Viação Nossa Senhora do Amparo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Viação Nossa Senhora do Amparo LTDA
Slogan Orgulho de ser Maricaense
Tipo Privada
Fundação 1950
Sede Brasil Brasil
Pessoas-chave Jacintho Luiz Caetano
Empregados 1750
Produtos Transporte urbano de Passageiro
Página oficial http://www.vnsamparo.com.br/

É uma empresa brasileira de transportes urbanos com sede na cidade de Maricá no estado do Rio de Janeiro que atende aos múnicípios de Maricá, Niterói, São Gonçalo e Rio de Janeiro.

História[editar | editar código-fonte]

A Viação Nossa Senhora do Amparo foi fundada em 10 de maio de 1950 por Jacintho Luiz Caetano (1900 –1986), um ilustre cidadão maricaense, que cresceu junto à sua terra. Filho de Caetano Gonçalves e Amélia Leopoldina do Amparo, nasceu no dia 15 de agosto, dia de Nossa Senhora do Amparo, padroeira de Maricá. Por sua devoção à Santa, batizou a empresa com o nome dela, além de dá-lo à sua sétima filha, Maria do Amparo Caetano. A homenagem foi retribuida quando, em 2000, Maria do Amparo lançou um livro intitulado “Jacintho Luiz Caetano, 100 anos de história”, onde narra a vida de seu pai, um homem empreendedor e de forte visão progressista. Desde novo, Jacintho conhecia o valor do trabalho. Acompanhava seu pai na lavoura e no pequeno comércio ambulante, além de auxiliar sua mãe na venda de doces artesanais. Juntando moedas, conseguiu, aos 12 anos, comprar um cavalo, e, aos 17, já possuía uma pequena tropa, com a qual levava para fora do município produtos como peixes, camarões, carvão e esteiras de taboa. Na volta trazia para Maricá bens de consumo que a cidade necessitava. Aos 18 anos, abriu seu primeiro negócio, o “Armazém Espírito Santo” e não parou mais. Montou novos armazéns em localidades próximas e adquiriu pequenas extensões de terra até chegar ao bem sucedido negócio de hoje. O inovador Jacintho participou de várias atividades em prol de Maricá. Na década de 50, engajou-se na luta contra o surto de malária que assolava o município, doou terrenos e ajudou no transporte dos materiais para a construção de hospitais e postos de saúde (Posto de Saúde Dr. Ildefonso Gonçalves Ferreira e o Posto de Saúde de São José do Imbassaí). Na educação, atuou ativamente com a doação de um terreno, em 1953, para a Fundação Anchieta, hoje Fundação Leão XIII, restaurou construções e ajudou na criação de outras instituições de ensino. No ano de 1981, Jacintho começava a sentir os primeiros sinais de um problema circulatório que se agravaria. Porém, Jacintho, que tinha uma grande fé em Nossa Senhora do Amparo, não demonstrava desânimo nem derrotismo. Pelo contrário, tinha força e perseverança. Mas, apesar disso, em 8 de dezembro de 1986, Jacintho Luiz Caetano não resistiu às complicações da doença e faleceu, deixando uma rica lição de coragem e determinação com sua história de vida, construída com muitas lutas e merecidas vitórias. Antes do falecimento de Jacintho, durante o governo de Leonel Brizola à frente do Executivo fluminense, em dezembro de 1985, houve a encampação da empresa. Sua administração foi entregue a pessoas indicadas pelo governo estadual e essa situação permaneceu até 1988. Quando a Viação Nossa Senhora do Amparo foi devolvida, estava com boa parte de seus veículos e instalações sucateadas, um significativo retrocesso para a empresa. acintho havia falecido e seus filhos, que tomaram a frente nos negócios, tiveram trabalho para reerguer a empresa. Mas, apesar das dificuldades, a recuperação foi muito bem-sucedida e, hoje, a Viação Nossa Senhora do Amparo conta com cerca de 980 funcionários ativos e trabalha diariamente oferecendo segurança, conforto, eficiência e pontualidade aos seus clientes.

(Fonte: Viação Nossa Senhora do Amparo)

Frota[editar | editar código-fonte]

Na década de 1970, a frota da empresa já possuía 30 ônibus e, pela necessidade de uma garagem mais ampla e equipada, uma nova fora construída. Em 1973, com a criação da linha Maricá–Rio do Ouro, houve a necessidade da construção de uma garagem de apoio na localidade de Rio do Ouro. Em 1976, a linha Maricá–Rio de Janeiro entrou em operação, graças à inauguração da Ponte Presidente Costa e Silva (Ponte Rio–Niterói), em 1974. A empresa progredia e a vida prosperava em Maricá, que, a esta altura, ofertava mais empregos e maior movimentação econômica. Em 1980,quando completou 30 anos, passou a investir mais em sua modernização e estar atenta ao seu papel social. Em 2014 atua com uma frota de aproximadamente 293 veículos.

(Fonte: Viação Nossa Senhora do Amparo)

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Nos primeiros anos de funcionamento da Viação Nossa Senhora do Amparo, os veículos só entravam em circulação após serem benzidos.

Todo dia 10 de maio, às 10h, era realizada uma missa em Ação de Graças à Viação Nossa Senhora do Amparo, até o falecimento de Jacintho Luiz Caetano.

No início das atividades da empresa, o primeiro horário de saída do ônibus de Maricá para Niterói era às 5h. Jacintho verificava pessoalmente a pontualidade da saída e, caso o motorista ou o cobrador não estivessem presentes, ele ia até suas casas saber o porquê da ausência.

Na década de 1980, havia um ônibus na garagem da viação que era considerado mal-assombrado, porque, à noite, emitia sons estranhos como estalos. Por isso, nenhum funcionário queria entrar nele para tirar cochilos ou pernoitar.

(Fonte: Viação Nossa Senhora do Amparo)

Itinerários[editar | editar código-fonte]

Linhas Municipais (MAR 01.000)[editar | editar código-fonte]

  • Linha 10 - Maricá x Itaipuaçu
  • Linha 19 - Maricá x Inoã (Via Flamengo)
  • Linha 20 - Inoã x Cassorotiba
  • Linha 34 - Inoã x R126 (Via Cajueiros)
  • Linha 36 - Inoã x Itaipuaçu (Recanto)
  • Linha 40 - Inoã x Santa Paula
  • Linha 59A - Inoã x TERMINAL (via Itaocaia Valley)
  • Linha 59B - Rua 126 x Recanto ( via estrada de Itaipuaçu)
  • Linha 59D - Rua 126 x Recanto (via R. 34/Barroco)
  • Linha 59E - Circular ( terminal, Rua 1, avenida 2, Rua 66, Rua 34, terminal)

Linhas Intermunicipais (RJ 186.000)[editar | editar código-fonte]

  • L.144R - Maricá x Niterói (Via Tribobó)
  • L.145R - Maricá x Niterói (Via São José Do Imbassaí)
  • L.146D - Castelo x Maricá
  • L.534R - Niterói x Ponta Negra
  • L.535R - Niterói x Várzea das Moças (Via Tribobó)
  • L.536R - Niterói x Várzea das Moças (Via Maria Paula)
  • L.537R - Itaipu x Niterói (Via Tribobó)
  • L.540R - Jóquei Club x Niterói (Via Tribobó / Oásis)
  • L.541R - Jóquei Club x Niterói (Via Arsenal)
  • L.542R - Anaia x Niterói
  • L.543R - Niterói x Várzea das Moças (Via Santa Anita)
  • L.544R - Maricá x Rio do Ouro
  • L.571R - Engenho do Roçado x Niterói
  • L.585R - Itaipuaçu x Niterói
  • L.590R - Ponta Negra x Rio de Janeiro
  • - Maricá x Rio de Janeiro

(Fonte: Setrerj)