Via Labicana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Via Labicana

A Via Labicana era uma antiga estrada romana na Itália, na direção leste-sudeste a partir de Roma. É possível que a estrada tenha a princípio levado a Túsculo e que tenha sido estendida até Labicos. Ela pode até ter superado o tráfego da Via Latina como uma rota para o sudeste pois, enquanto a distância da junção principal em Ad Bivium (ou até outra junção em Compitum Anagninum) é praticamente idêntica, o nível máximo da primeira é 22 metros menor que a última, um pouco mais a oeste do passo de monte Algido. Após a junção, é provável que a estrada tenha sido conhecida por Via Latina ao invés de Via Labicana. O caminho da estrada após os primeiros dez quilômetros de Roma não coincide com nenhuma outra estrada moderna, mas é claramente visível pelos restos de pavimentação e pelas edificações à beira da rota.

A Via Labicana entrava em Roma pela muralha aureliana pelo antigo portão monumental chamado de Porta Prenestina e alcançava, após um trecho interior, a muralha serviana, entrando ali pela Porta Esquilina, decorada com o arco de Galiano. O trecho da estrada perto de Roma é hoje conhecido como Via Casilina. Uma estátua de Augusto como pontífice máximo (pontifex maximus), encontrada numa vila de Livia nesta estrada, é conhecida como "tipo de Via Labicana" e está hoje preservada no Museu Nacional Romano. O imperador romano Dídio Juliano foi enterrado na região da quinta marca na Via Labicana, após ter sido executado em 193 d.C.

Pontes romanas[editar | editar código-fonte]

Há restos de pelo menos uma ponte romana ao longo da estrada, que cruza o Fosso del Giardinetto onze quilômetros a leste de Roma.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Via Labicana (em inglês) Encyclopædia Britannica (11ª edição). Página visitada em 16/03/2011.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • T. Ashby in Papers of the British Schoól at Rome, i.215 ff. (em inglês)