Viana (Espírito Santo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde fevereiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Município de Viana
Vista parcial de Viana a partir da BR-262

Vista parcial de Viana a partir da BR-262
Bandeira de Viana
Brasão de Viana
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 23 de julho de 1862
Gentílico vianense
Lema Desenvolvimento para todos
Prefeito(a) Gilson Daniel (PV)
(2013–2016)
Localização
Localização de Viana
Localização de Viana no Espírito Santo
Viana está localizado em: Brasil
Viana
Localização de Viana no Brasil
20° 23' 24" S 40° 29' 45" O20° 23' 24" S 40° 29' 45" O
Unidade federativa  Espírito Santo
Mesorregião Central Espírito-santense IBGE/2008 [1]
Microrregião Vitória IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Vitória
Municípios limítrofes - Guarapari ao Sul

- Cariacica ao Norte - Vila Velha a Leste - Domingos Martins a Oeste.

Distância até a capital 22 km
Características geográficas
Área 311,608 km² [2]
População 64 999 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 208,59 hab./km²
Altitude 34 m
Clima clima é tropical, com período de chuvas de outubro a janeiro
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,686 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 876 102,019 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 14 555,37 IBGE/2008[5]
Página oficial

Viana é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Faz parte da Região Metropolitana de Vitória. Localiza-se a uma latitude 20º23'25" sul e a uma longitude 40º29'46" oeste, estando a uma altitude de 34 metros. Sua população é de 64.999 habitantes segundo o Censo de 2010. Possui uma área de 311,608 km².

História[editar | editar código-fonte]

Ao final do século XVI e início do século XVII, os portugueses saíram de Vila Velha e seguiram pelo Rio Jucu em canoas, em busca de ouro. Acredita-se que sua primeira passagem tenha sido por Araçatiba, instalando-se ali os primeiros colonizadores, seguindo depois pelo Rio Santo Agostinho até alcançar o local que hoje é a sede do município de Viana. Os indígenas que habitavam a região eram da tribo dos Puris.

Viana inaugurou o ciclo da imigração européia para o Espírito Santo oficialmente em fevereiro de 1813. Vieram imigrantes alemães e italianos. Para reduzir a escassez de mão-de-obra agrícola e ajudar a povoar as margens da primeira estrada que ligaria Vitória à Minas, foram chamados também os açorianos.

Os açorianos receberam terrenos, casas, ferramentas, carros de bois ou cavalgaduras. Eles se instalaram nas proximidades do Rio Jucu e seus afluentes - Formate e Santo Agostinho - e iniciaram o cultivo de trigo e arroz, melhorando também as culturas de milho e mandioca, já conhecidas pelos nativos.

Viana teve também um porto fluvial bastante movimentado, chamado Porto da Igreja, localizado ao Sul da cidade, às margens do Rio Santo Agostinho. Desembarcaram ali os materiais utilizados na construção da Igreja Matriz, os objetos religiosos e a imagem de Nossa Senhora da Conceição. O Porto da Igreja foi um grande empório comercial.

O capelão Frei Francisco Nascimento Teixeira foi encarregado de fundar ali um núcleo populacional, para tanto, recebeu algumas terras do governo. O novo núcleo recebeu o nome de Viana, em homenagem a Paulo Fernandes Viana, o pioneiro da região. Antes, a cidade era chamada de Jabaeté.

A contribuição cultural deixada pelos europeus pode ser sentida ainda hoje nos casarios antigos que resistem no tempo. Os jesuítas, índios e negros também ajudaram na construção da história do município, que foi criado oficialmente em 23 de julho de 1862, ao ser desmembrado de Vitória.

Economia[editar | editar código-fonte]

Dos sete municípios que integram a Região Metropolitana da Grande Vitória, Viana é o terceiro maior em extensão territorial e possui localização privilegiada. Com 60% de área rural, a sua produção agropecuária especialmente a banana, o café e o gado, abastece parte do mercado consumidor da Grande Vitória, mas a economia do município tem como principais bases de sustentação a indústria, o comércio e os serviços. O setor que concentra o maior número de empresas e empregos é o comércio e reparação de veículos automotores. Também estão instaladas na região sete das 150 maiores empresas do Estado. O setor industrial representa cerca de 42% do PIB do município.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

No fim de 2006 foi sancionada na Câmara Municipal uma Lei que criou os bairros de Viana, unificando os 61 loteamentos regulares e irregulares até então existentes. A Lei delimitou 18 bairros para facilitar o controle administrativo dos serviços públicos e a orientação espacial das pessoas, e estipulou critérios para a criação de novos bairros. Como não existia lei com a delimitação de bairros e loteamentos, Viana não tinha dados do IBGE sobre cada bairro. Era vista como um aglomerado. Com a Lei, o levantamento de dados mais específicos de cada bairro vai facilitar a definição de políticas públicas e de ações voltadas para cada local.[6]

Conforme a Lei, os Bairros são:

Bairro Loteamentos
01 Centro Cabral – Santo Agostinho – Santa Terezinha – Nova Viana – Nova Viana I – Sede – Verona
02 Bom Pastor Vila Nova – Bom Pastor – Chácaras Pedra Negra - Pimentas
03 Ribeira Ribeira – Buiaiaras - Pimentas
04 Universal Calabouço – Parque do Flamengo – Vila Nova – Universal - Ipanema
05 Canaã Canaã – Calabouço
06 Primavera Primavera – Guaritas – Treze de Maio – Vista Linda – Chácaras Beira Rio
07 Marcílio de Noronha Marcílio de Noronha – Industrial - Guaritas
08 Vila Bethânia Guaritas – Seminário – Vila Bethânia
09 Nova Bethânia Contendas – Nova Vila Bethânia – Eldorado – Santa Terezinha (Lagoa Azul)
10 Areinha Soteco – Vale do Sol A, B, C, D – Areinha A, B, C, D
11 Arlindo Ângelo Villaschi Parte de Arlindo Ângelo Villaschi
12 Caxias do Sul Guaritas – Caxias do Sul – Soteco – parte de Arlindo Ângelo Villaschi
13 Campo Verde Simmer Setor Caic – Campo Verde – Parque Residencial Bethânia
14 Morada Bethânia Morada Vila Bethânia – Jardim Vila Bethânia
15 Parque Industrial Guaritas – Garoupa – Calabouço – Buiaiaras - Ribeira
16 Jucu Antártica – Jucu – Village Belém – Nova Belém
17 Araçatiba Araçatiba – Mamoeiro – Seringal
18 Boa Esperança Parte da Fazenda Boa Esperança – Alecrim Bonito e Pedra da Mulata

Turismo[editar | editar código-fonte]

Estação de Viana

A estação de Viana foi inaugurada em 1895 pela E. F. Sul do Espírito Santo. Mais tarde, foi incorporada à linha do Litoral da E. F. Leopoldina, ligada ao Rio de Janeiro e Niterói. Por algum tempo, nos anos 1960, a estação foi chamada de Jabaeté, retomando seu nome original depois. A estação hoje serve como museu.

Igreja Nossa Senhora da Ajuda

Situada na localidade de Araçatiba, a Igreja Nossa Senhora da Ajuda foi construída pelos jesuítas no século XVIII, fazendo parte do conjunto de edifícios da antiga fazenda Araçatiba, constituída pela residência, engenhos, senzalas e oficinas. Desse conjunto, restam somente a Igreja e as ruínas da residência. Tombada pelo IPHAN, a Igreja de Nossa Senhora da Ajuda hoje está sob a. responsabilidade da Cúria Metropolitana de Vitória.

Igreja Nossa Senhora da Ajuda
Igreja Nossa Senhora da Conceição

Localização: Distrito de Araçatiba, Viana. Acesso: Distrito de Araçatiba, sentido Viana X Rio de Janeiro, localizada a 8 Km de Viana Sede.

Igreja Nossa Senhora da Conceição

Um dos principais monumentos históricos de Viana, a Igreja Nossa Senhora da Conceição situa-se no centro do município. É um mo numento de arquitetura barroca, construído no período de 1815 a 1817 pelos colonos açorianos. A primeira missa foi celebrada em 24 de junho de 1816, e a inauguração solene da igreja foi em 1817. A igreja foi tombada, em março de 1983, pelo Conselho Estadual de Cultura que reconheceu sua importância para o patrimônio histórico e artístico do Estado.


Localização: Rua Alvimar Silva (Colina da Igreja), Centro - Viana.

Igreja Nossa Senhora de Belém

Possui arquitetura típica das igrejas das fazendas do ciclo da cana -de -açúcar. Começou a ser construída em outubro de 1780, mas devido a um incêndio, encontra-se em ruínas. Fica a 4 km do trevo da BR 262/BR 101, no alto de um monte, próximo à entrada do bairro Jucu.

Ruinas da Igreja Nossa Senhora de Belém
Interior das Ruinas da Igreja Nossa Senhora de Belém

Localização: Jucu, Viana Acesso: na Rodovia BR-101, no sentido Viana x Rio de Janeiro, próximo à entrada do Bairro Jucu.

Rampa do Urubu

Com cerca de 260 metros de altura, a Rampa do Urubu é utilizada não apenas por praticantes de vôo livre como também por apreciadores da natureza em geral, uma vez que o atrativo possibilita interação total com os elementos naturais associados a vista panorâmica da região.

Localização: Bairro Universal, Viana. Acesso: pela BR 262, km 15, Bairro Universal sentido Ipanema.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 31 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Divisão dos Bairros Prefeitura de Viana.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]