Videolog.tv

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Videolog
Requer pagamento? Não
Gênero Vídeos
País de origem  Brasil
Idiomas Português
Lançamento Maio de 2004
Desenvolvedor Videolog Inc
Proprietário Ariel Alexandre e Edson Mackeenzy

Videolog é um portal de compartilhamento de vídeos do Brasil. Criado em Maio de 2004 por Ariel Alexandre e Edson Mackeenzy, se tornou um dos maiores sites do gênero no país.

Popularidade[editar | editar código-fonte]

Em 2006, o Videolog, formou uma parceria com o UOL. Nesta oportunidade, o Videolog é então apontado como tendo 170.000 usuários registrados, 95% deles do Brasil, e mais de 190.000 vídeos, bem como 1.5 milhões de visitantes únicos por mês, 35 milhões de page views e 3.5 milhões de vídeos acessados diariamente.[1]

Em Novembro de 2010, a parceria foi encerrada e o Videolog se uniu ao portal de notícias brasileiro R7, do Grupo Record.[2]

O R7 informou que desde 2010, o Videolog recebeu 80 milhões de visitantes únicos e 250 milhões de vídeos foram acessados.[3]

Em Dezembro de 2011, o Videolog.tv é listado na posição #300 do ranking de sites mais acessados do Brasil, e #12404 na estatística global de sites visitados, pelo Alexa.

A parceria com o R7 encerrou-se em 2014 e agora o Videolog faz parte da rede Batanga Media.

Recursos[editar | editar código-fonte]

O Videolog permite ao usuário o envio de vídeos limitados a 25 minutos de duração, além de 400 MB, exceto para os Videologgers PRO que podem enviar vídeos com duração ilimitada e tamanho máximo de 700 MB.

O tocador também suporta Alta Definição em 1280x720 (720p).

Notas e referências

  1. UOL e Videolog unem-se em uma das maiores parcerias da Internet brasileira. UOL. Universo Online (22/12/2006). Página visitada em 07/12/2011.
  2. Videolog, maior comunidade de vídeos no Brasil, chega ao R7. R7. Rede Record (02/11/2010). Página visitada em 24/11/2010.
  3. Videolog comemora 1 ano no R7 com 250 milhões de exibições de vídeos. R7. Grupo Record (01/11/2011). Página visitada em 07/12/2011.

[editar | editar código-fonte]