Vila Císper

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2014). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Vila Cisper
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Distrito: Ermelino Matarazzo
Subprefeitura: Subprefeitura de Ermelino Matarazzo
Região Administrativa: Leste

Vila Cisper é um bairro no distrito de distrito de Ermelino Matarazzo, Zona Leste de São Paulo.[1]

Vila Císper e sua História[editar | editar código-fonte]

Sua origem remonta ao final da década de 1940, quando foi inaugurado na região uma fábrica de garrafas de vidro da empresa Císper (Companhia Industrial São Paulo e Rio), originária do Rio de Janeiro, de propriedade de Olavo Egídio de Sousa Aranha Júnior e Alberto Monteiro de Carvalho. Atualmente a fábrica chama-se OI do Brasil (Owens Illinois do Brasil). Em 1947, a Empresa Císper, começou a construir a sua fábrica em São Paulo. O local escolhido para a criação da fábrica foi devido a infraestrutura implantada pela Celosul, a proximidade com as estações de trem Engenheiro Goulart e Ermelino Matarazzo, além de mão-de-obra disponível e terrenos a baixo preço[2] .

Os primeiros moradores foram índios que viviam nas proximidades do Rio Tietê, numa região do aldeamento de Ururaí. Os bairros formados ao longo de sua margem foram fundados praticamente juntos, quando os jesuítas comandados pelos padres José de Anchieta e Manoel da Nóbrega saíram para cateczar os indígenas da região. Essa extensa região abrangia os municípios de Itaquaquecetuba, Guarulhos e a região de São Miguel Paulista, que inclui a Vila Císper e Ermelino Matarazzo. Muitos bairros surgiram a partir de 1940.

Os fatos relevantes para a Historia da Vila Cisper estão intrinsecamente ligados a outros locais: São Miguel Paulista e Ermelino Matarazzo. Vamos relembrá-los resumidamente.

Fatos que marcaram a história do bairro[editar | editar código-fonte]

1949[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 1949 é inaugurada a Fabrica Císper. A região foi escolhida devido a proximidade com a linha variante ferroviária, atual linha F, e pela estrutura crida pela CELOSUL, do grupo Matarazzo, em Ermelino Matarazzo.

1961[editar | editar código-fonte]

O SESI é instalado dentro da Fabrica Císper com o objetivo de alfabetizar os funcionários da empresa. Com o passar dos tempos alfabetiza também os filhos dos funcionários, como não havia nenhuma escola na região, sempre que possível, eram abertas vagas para comunidade.

1965[editar | editar código-fonte]

Criada a Sociedade Amigos da Vila Císper, a mais antiga do bairro.

1969[editar | editar código-fonte]

Inaugurado o primeiro mercado do bairro na Avenida Olavo Egídio de Sousa Aranha que é pavimentada e recebe iluminação publica.

1974[editar | editar código-fonte]

O SESI é transferido da Fábrica Císper para a Rua Caiçara do Rio do Vento.

1978[editar | editar código-fonte]

No terreno doado pela Fábrica Císper foi fincada uma cruz trazida em procissão na 6ª Feira Santa, da Paróquia de São Jesus Tadeu, dando origem ao Centro Comunitário Páscoa, hoje Paróquia de Santa Luzia.

1980[editar | editar código-fonte]

A Igreja Assembléia de Deus inicia suas atividades no bairro.

1983[editar | editar código-fonte]

Inaugurada a Creche Vila Císper, atual CEI Maria da Glória Freire Lemos.

1985[editar | editar código-fonte]

Inaugurada a EMEI Rodrigo Soares Júnior.

1988[editar | editar código-fonte]

Inaugurado o Posto de Saúde da Vila Císper, hoje denominado Unidade Básica de Saúde Prof. Dr. Humberto Cerrutti.

1994[editar | editar código-fonte]

Inaugurada a EMEF Prof. João Franzolin Neto, na Rua Pedra Lavrada.

1999[editar | editar código-fonte]

É criada a EMEF Vila Císper, na Rua Caiçara do Rio do Vento.

2005[editar | editar código-fonte]

É inaugurada a EMEF Dep. Januário Mantelli Neto (antiga EMEF Vila Cisper), na Rua Caiçara do Rio do Vento.

2008[editar | editar código-fonte]

Inauguração do CEU Quinta do Sol.

Relatos de moradores do bairro Vila Císper[editar | editar código-fonte]

Depoimento do Sr. Valdir Santos[editar | editar código-fonte]

"Envolvidos com trabalhos comunitários, fui reivindicar as autoridades da época o fechamento da Lagoa por dois motivos principais: era na verdade um projeto que tínhamos na cabeça a respeito do uso indevido da Lagoa, pelas crianças, jovens e moradores que utilizavam a água contaminada por detritos e restos dos feirantes para nadar e lavar roupas. O outro motivo era para aproveitar o local com a Educação, que foi a construção do EMEI Rodrigo Soares Júnior e a EMEF Januário Mantelli Neto". Segundo o Sr. Valdir Santos, na entrada principal da Paróquia Santa Luzia, havia uma nascente natural que se encontrava com a Lagoa.

Depoimento do Sr. Edelson dos Santos[editar | editar código-fonte]

“Filho de pais portugueses, onde seu pai, conhecido da região por Sr. Norbinha, imigrante que chegou ao Brasil em 1933, onde em 1969 inauguraram em família o 1º Mercado da Vila Císper e que contribuiu no papel social para formação do bairro com seu pedaço de colaboração”. Recorda que a logoa era um ponto turística e que a vidraçaria (Fábrica Císper) vendeu parte de seus terrenos para funcionários e para o BNH (Banco Nacional de Habitação), que posteriormente construiram cerca de 440 casas, financiadas pela Caixa (CEF), onde funcionários públicos de autarquias estadual, federal e municipal foram residir na região, com isso colaborando com o seu desenvolvimento.

Referências

  1. [1]
  2. Levino Ponciano, Bairros Paulistanos de A a Z, São Paulo, SP, 2ª edição (2004), p84 e 85.