Vila Nova Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Vila Nova
Vilanovafc football.png
Nome Vila Nova Futebol Clube
Alcunhas Tigre
Tigre da Vila Famosa
Torcedor/Adepto Vilanovense
Mascote Tigre
Fundação 29 de junho de 1943 (70 anos)
Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga
Capacidade 6.500 pessoas
Localização Brasão de Goiânia.svg Goiânia - Goiás GO
Brasil Brasil
Mando de jogo em Serra Dourada
Capacidade (mando) 41.574 pessoas
Presidente Brasil Joás Araujo Abrantes
Treinador Brasil Sidney Moraes[1]
Patrocinador Brasil Mednutrition
Brasil Água Nativa
Brasil Arroz Cristal
Brasil Gatorade
Material esportivo Brasil Finta
Competição Goiás Campeonato Goiano
Brasil Campeonato Brasileiro
Goiás 1ªD 2014
Brasil B 2014
10º colocado (rebaixado)
A disputar
Goiás 1ªD 2013
Brasil 3ªD 2013
8º colocado
4º colocado
Goiás 1ªD 2012
Brasil 3ªD 2012
4º colocado
11º colocado
Ranking nacional 44º lugar, 2.982 pontos
Website vilanovafc.com.br
Kit left arm.png Kit body vnfc14h.png Kit right arm.png
Kit shorts vnfc12h.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm vnfc12a.png Kit body vnfc12a.png Kit right arm vnfc12a.png
Kit shorts vnfc12a.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

Vila Nova Futebol Clube é uma agremiação esportiva brasileira com sede em Goiânia, no estado de Goiás, fundada em 29 de julho de 1943.

O Tigrão, como é conhecido por conta do mascote escolhido para representar o seu time, possui a segunda maior torcida de Goiânia.[2]

É considerado um dos maiores clubes do Centro-Oeste do Brasil e um dos três grandes de Goiás, juntamente com o Goiás Esporte Clube e o Atlético Clube Goianiense.

Joga no estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, de propriedade do clube, e no estádio Serra Dourada (jogos com maiores públicos).

História[editar | editar código-fonte]

O Vila Nova é fruto do desejo do Padre José Balestiere, que no ano de 1938 criou a Associação Mariana com o objetivo de incentivar o congraçamento das comunidades católicas e propiciar entretenimento.

O Padre José Balestiere não pensava estar levantando as colunas de um clube que seria, em breve, um dos mais populares do Centro-Oeste Brasileiro. O nome Vila Nova Futebol Clube foi devido ao time ter sido fundado no bairro da Vila Nova, conhecido em Goiânia como a vila mais famosa, pela divulgação que o Tigrão faz de seu nome.

O então Major Francisco Ferraz de Lima, entusiasta do clube amador, ao lado de outros pioneiros, aceitou o desafio de fundar um time para representar o bairro de Vila Nova. Para tal missão, o Major contava com o idealismo do Padre José Balestiere, de Boaventura Moreira de Andrade, Luiz Rasmussem, Pedro Cavalcante, Garibalde Teixeira, José Balduíno, entre tantos outros entusiastas.

Em 1943, finalmente o Vila Nova Futebol Clube foi fundado pelo coronel Francisco Ferraz de Lima, com a água benta do Padre Giuseppe Balestière e a bênção de Gercina Borges, mulher de Pedro Ludovico Texeira, conhecida em Goiânia como a "mãe dos pobres". No mesmo ano de sua fundação, o time foi inscrito na Federação Goiana de Desporto (FGD), e nesse mesmo ano passou a disputar competições no mês de julho. Devido a uma crise financeira, em 1946 o clube teve que mudar de nome e passou a se chamar Operário Futebol Clube.

Em 1949, ocorre nova mudança com o clube passando a se chamar Araguaia. Em 1950 o nome do clube passa a ser Fênix Futebol Clube, denominação que dura até 1955, quando o clube volta a ter o nome de Vila Nova Futebol Clube.

Entre os anos de 1950 a 1955 o clube disputou torneios de várzea. Algum tempo depois, sob o comando de Onésio Brasileiro Alvarenga e Teodorico José da Silva, o clube começou a investir no departamento de futebol e obteve a terceira colocação no estadual de 1958. Nos anos de 1959 e 1960 o time ficou em quarto lugar na competição.

O primeiro título do Vila Nova Futebol Clube chegou no dia 13 de março de 1961. O clube foi campeão do octogonal Goiânia/Anápolis, no dia 21 de maio conquistou a Taça Cidade de Goiânia e no dia 8 de outubro foi campeão do primeiro turno do campeonato estadual. Após isso, o título do Campeonato Goiano daquele ano chegou em 17 de dezembro.

No dia 15 de abril de 1962, o clube conquistou o bicampeonato da Taça Cidade de Goiânia e no dia 22 de julho tornou-se bicampeão do Torneio Octogonal Goiânia/Anápolis.

Em 1977, o Tigrão iniciou sua tragetória na Série A do Campeonato Brasileiro, voltando a disputá-la em 1978, 1979 (quando chegou ao 21º lugar sua melhor colocação na história da Primeira Divisão), 1980 e 1981, quando sofreu o rebaixamento para a Série B de 1982, mas voltou no ano seguinte, quando sofreu de novo o rebaixamento e novamente retornou para a disputa Campeonato Brasileiro de Futebol de 1985, sua sétima e última participação na elite.

O Vila Nova sagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro de 1996 - Série C ao vencer o Botafogo de Ribeirão Preto por 2 a 1 em Goiânia e 1 a 0 em Ribeirão Preto, invicto, com onze vitórias e 3 empates, tornando-se o primeiro clube a obter tal façanha na terceira divisão nacional, em campeonato disputado por 58 equipes de todo o Brasil.

Durante os mais de sessenta anos de sua história, o Vila Nova conquistou 139 troféus de campeão incluindo, campeonatos, torneios e taças, 58 taças de vice campeão e 10 de terceiro lugar em competições em âmbito regional, estadual e nacional.

Em termos nacionais, as maiores conquistas do Vila Nova foram o Campeonato Brasileiro Série C em 1996 de forma invicta e a classificação para a Copa Conmebol de 1999.

O Vila Nova no século XXI[editar | editar código-fonte]

No século XXI, o Vila Nova sagrou-se campeão goiano em 2001 e 2005, tendo perdido o título de 2004 para o CRAC.

Queda para a Série C[editar | editar código-fonte]

O Vila Nova não foi bem em 2006, caindo para o Campeonato Brasileiro Série C do ano seguinte, após ser goleado pelo Guarani-SP, equipe que também seria rebaixada, na última partida, por 5 a 1.

A equipe vila-novense disputou a primeira fase do Série C no grupo 10, juntamente com o Jaciara-MT, Itumbiara-GO e Guará-DF, terminando esta fase em primeiro lugar, com treze pontos.

Pela segunda fase o time participou do grupo 22, jogando contra o Rio Claro-SP, o Guarani-SP e o CRAC-GO, garantindo a vaga para a fase seguinte no último jogo, com um gol aos quarenta e três minutos do segundo tempo.

Na terceira fase, participando do grupo 27, o Vila Nova enfrentou Atlético-GO, Esportivo-RS e Villa Nova-MG, e se classificou para a fase final, ficando então no terceiro lugar, conquistando o acesso para a Campeonato Brasileiro Série B de 2008. Nesse ano o Tigrão esbarrou no acesso para a Série A, pois ficou durante todo o campeonato entre os quatro primeiros, mas com algumas derrotas o time acabou ficando em 6° lugar.

2011 também não foi um bom ano para o Vila, que caiu novamente para a Série C, retornando para a Série B em 2014.

A luta pelo acesso à Série A[editar | editar código-fonte]

A última participação do Vila Nova na Série A havia sido em 1985. A partir daí o clube manteve uma constante luta pelo tão sonhado acesso. O mais perto que o time chegou foi em 1999, quando ficou em 4º lugar perdendo a vaga para o Goiás, seu maior rival.

Com o sexto lugar na edição de 2008 da Série B, o Vila novamente esteve perto do acesso para a Primeira Divisão, estando entre os quatro primeiros na maior parte do campeonato, mas caindo de rendimento nas últimas rodadas, tendo chegado a levar mais de 30.000 torcedores na vitória sobre o futuro campeão, o Corinthians, e terminando com uma média de público de 12.404 pagantes, a segunda melhor média deste campeonato.

Em 2009 a campanha do time esteve bastante irregular, tendo conseguido o objetivo de manter-se na Série B.

Em 2010, o Vila Nova correu risco de rebaixamento à Série C até a última rodada do campeonato, quando venceu o São Caetano em casa e se manteve na Série B.

Em 2011, como já era esperado por boa parte dos torcedores e com quatro rodadas de antecedencia depois de uma péssima campanha na série B onde o time sequer conseguiu vencer dois jogos consecutivos, após um empate melancólico com o péssimo Duque de Caxias o Vila Nova retorna a série C após cinco anos, fruto de uma parceira incompetente com a New Ville Sports, que tentaram terceirizar o departamento de futebol do clube e o resultado foi o rebaixamento para a Terceira Divisão do futebol nacional.

Terceira divisão e dificuldades (2012-2013)[editar | editar código-fonte]

Na série C de 2012, o rebaixado Vila Nova foi eliminado na primeira fase do torneio. No campeonato estadual foi eliminado pelo arquirrival, Goiás, nas semifinais do torneio.

Não foi bom o início do ano de 2013, quase rebaixado no Campeonato Goiano, salvou-se apenas na última rodada. [3]

Série C de 2013 e Retorno à Série B[editar | editar código-fonte]

O Vila Nova terminou a fase de grupos da Série C do Campeonato Brasileiro de 2013 na segunda colocação do Grupo B após uma vitória na rodada final sobre o Macaé, conseguindo assim a classificação para as quartas de final.[3] Após eliminar o Treze com uma vitória no Estádio Serra Dourada, o Vila Nova se classificou à semi-final da competição e garantiu o retorno à Série B do Campeonato Brasileiro.[4]

Contudo, o Vila foi eliminado da competição após ser derrotado pelo Sampaio Corrêa no Estádio Castelão, em São Luís.[5]

2014: Nova queda para segunda divisão do Campeonato Goiano[editar | editar código-fonte]

No Campeonato Goiano 2014, o Vila Nova fez uma péssima campanha, terminou em último lugar no campeonato e foi rebaixado para segunda divisão pela segunda vez em sua história. No Campeonato Goiano 2014, em 14 jogos foram apenas 3 vitórias, 4 empates e 7 derrotas.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Cscr-featured.png Campeão Invicto

Nacional
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Brasileiro Série C 1 1996
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Goiás Campeonato Goiano 15 1961, 1962, 1963, 1969, 1973, 1977, 1978, 1979, 1980, 1982, 1984, 1993, 1995, 2001 e 2005.
Goiás Campeonato Goiano da Segunda Divisão 1 2000
Goiás Torneio Início do Campeonato Goiano 7 1961, 1963, 1965, 1967, 1969, 1972 e 1973

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Títulos no Basquete[editar | editar código-fonte]

Internacional
Competição Títulos Temporadas
Brasil Campeonato Sul-Americano de Basquete 1 1974
Nacional
Competição Títulos Temporadas
Brasil Campeonato Brasileiro de Basquete Masculino 1 1973
Brasil Taça Ivan Raposo 1 1973

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Temporadas[editar | editar código-fonte]

Últimas dez temporadas
Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Campeonato Goiano
Div. Pos. J V E D GP GC Fase Máxima Div. Pos.
2005 B 21 10 2 9 28 29 2ª Fase 1D
2006 B 20º 38 11 9 18 45 68 Oitavas-de-final 1D
2007 C 32 17 6 9 59 41 1D
2008 B 38 17 7 14 57 55 1D
2009 B 13º 38 14 7 17 42 59 1D
2010 B 16º 38 13 7 18 50 68 1D
2011 B 18º 38 7 11 20 34 53 1D
2012 C 11º 18 6 5 7 27 26 1D
2013 C 22 9 6 7 23 16 1D
2014 B A disputar 1D 10º


Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Classificado à Copa Libertadores da América
     Classificado à Copa Sul-Americana
     Rebaixamento
     Acesso

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes dos jogadores[editar | editar código-fonte]

  • 1º - Camisa vermelha, calção branco e meias vermelhas;
  • 2º - Camisa branca, calção vermelho e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

  • Azul com detalhes amarelos.
  • Amarelo com detalhes azuis.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Quarto
  • 2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro

Recordes[editar | editar código-fonte]

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

( * ) Jogos no Estádio Serra Dourada.[6]

( ** ) Jogo mencionado no site oficial do Serra Dourada, em que o autor não conseguiu identificar o confronto exato.

  1. Vila Nova 1 a 2 Goiás, 64.614, 29 de julho de 1979
  2. Vila Nova 1 a 3 Goiás, 58.953 (57.682 pagantes), 7 de julho de 1977
  3. Vila Nova 0 a 1 Goiás, 58.843, ??/??/1982 ( ** )
  4. Vila Nova 1 a 1 Atlético-GO, 56.854, 30 de junho de 1976 (rodada dupla)
  5. Vila Nova 0 a 2 América-MG, 55.000 (43.808 pagantes), 16 de novembro de 1997
  6. Vila Nova 1 a 4 Goiânia, 48.761, 04 de julho de 1976 (rodada dupla)
  7. Vila Nova 5 a 3 Goiás, 47.712, 28 de março de 1999
  8. Vila Nova 3 a 3 Goiás, 45.351, 3 de junho de 2001
  9. Vila Nova 0 a 0 Goiás, 45.317, 17 de abril de 2005
  10. Vila Nova 0 a 2 Goiás, 44.707, 9 de abril de 1989
  11. Vila Nova 0 a 3 Botafogo-RJ, 44.452, 16 de outubro de 1977
  12. Vila Nova 1 a 0 Rio Verde, 44.132, 25 de setembro de 1977 (rodada dupla)
  13. Vila Nova 1 a 0 Santa Cruz-PE, 44.022, 4 de dezembro de 1999
  14. Vila Nova 0 a 1 Goiás, 43.913, 8 de dezembro de 1999
  15. Vila Nova 0 a 2 Goias, 42.703, 24 de novembro de 1999
  16. Vila Nova 1 a 0 Itumbiara, 42.328, 12 de julho de 1977
  17. Vila Nova 0 a 2 Flamengo-RJ, 41.615, 19 de julho de 1979
  18. Vila Nova 0 a 1 Goiás, 41.156, 7 de julho de 1976 (rodada dupla)
  19. Vila Nova 1 a 2 Goiás, 41.003, 12 de dezembro de 1982

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

  • Última atualização: 6 de março de 2014
Legenda
  • Capitão : Capitão
  • Suspenso : Jogador suspenso
  • Lesão : Jogador contundido


Goleiros
Jogador
Brasil Tony
Brasil Jean
Brasil Olimpio Neto
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Neto gaúcho Capitão Z
Brasil Douglas Assis Z
Brasil Vítor Pio Z
Brasil George Z
Brasil Tiago Irineu Z
Brasil Thiago Viana Z
Brasil Arthur LD
Brasil Tiago Cametá LD
Brasil Wanderson LD
Brasil Allan LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Luis Marques V
Brasil Osmar V
Brasil Romário V
Brasil Robston V
Brasil Felipe Brisola M
Brasil Weslley M
Brasil Diego M
Brasil Thiago Marin M
Atacantes
Jogador
Brasil Breno
Brasil Felipe Alves
Brasil Gustavo
Brasil Marco Aurélio
Brasil Rodrigo Dantas
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Sidney Moraes T

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

Seu maior rival é o Goiás. Também rivaliza com outros 2 times da capital, o Atlético e o Goiânia.

Fatos históricos[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Primeiro time goiano a disputar uma competição internacional, a Copa Conmebol de 1999.
  • Único clube do estado de Goiás a ser campeão invicto em uma competição nacional. Tal feito aconteceu no Campeonato Brasileiro de Futebol de 1996 da Série C, onde o time realizou 14 partidas, vencendo 11 e empatando 3.
  • Único time goiano a ser Campeão de um torneio Internacional, Campeão Sul-Americano de Basquete - 1974; também foi Campeão de basquete da Taça Brasil - 1973 e no Mundial de Basquete ficou em 3° lugar.

Torcida[editar | editar código-fonte]

Segundo pesquisa solicitada pelo Instintuto Gallup em 2012, o Vila possui 0,80% da torcida brasileira, ocupando a 24ª posição entre todos os clubes apontandos. No acumulado da Timemania desse mesmo ano, o Tigrão foi mencionado como o time do coração em 0,68% das apostas realizadas em todo o território nacional.

No cenário regional o clube possui cerca de 25% da torcida na capital goiana, de acordo com o levantamento realizado pelo Instituto Serpes em agosto de 2009. Segundo pesquisa nacional da Pluri Consultoria em 2012, o Vila Nova tem 590.000 torcedores, concentrados em Goiás e no Distrito Federal.[7]

Torcidas organizadas[editar | editar código-fonte]

  • Esquadrão Vilanovense

A história da TEV se iniciou em 17 de junho de 1994, data que marcou a sua fundação, após a união de duas outras torcidas do Vila, a Camisa 12 e Comando Vermelho, com objetivo de criar uma só torcida, uma só voz. Assim surgia a Esquadrão Vilanovense.

Conhecida por sempre ditar moda, a TEV inovou ao criar o primeiro bandeirão em formato de camisa do Brasil. De acordo com o seu cadastro de pesquisa, a torcida possui quase 10.000 membros.

Referências

  1. Focado no trabalho Sidney Moraes chega ao Vila Nova. Sítio oficial Vila Nova FC (6 de março de 2014).
  2. SERPES. Times de Futebol de Goiânia Preferidos. Página visitada em 19 de novembro de 2008.
  3. a b De briga jurídica a greve: como cada clube chegou às quartas da Série C (em português). Globoesporte.com, 19 de outubro de 2013. Página visitada em 12 de novembro de 2013.
  4. Com dois gols de Frontini, Vila bate o Treze, vai à semifinal e volta à Série B (em português). Globoesporte.com, 27 de outubro de 2013. Página visitada em 13 de novembro de 2013.
  5. Em jogo emocionante, Sampaio bate Vila Nova e está na final da Série C (em português). Globoesporte.com, 9 de novembro de 2013. Página visitada em 11 de novembro de 2013.
  6. RSSSF Brasil Maiores públicos do futebol do Centro Oeste
  7. Pesquisa de torcidas da Pluri Consultoria

Ligações externas[editar | editar código-fonte]