Vila Nova de Santo André

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Vila Nova de Santo André  
—  Freguesia  —
Igreja da Senhora da Graça
Igreja da Senhora da Graça
Brasão de armas de Vila Nova de Santo André
Brasão de armas
Vila Nova de Santo André está localizado em: Portugal Continental
Vila Nova de Santo André
Localização de Vila Nova de Santo André em Portugal
38° 04' N 8° 47' O
País  Portugal
Concelho STC1.png Santiago do Cacém
 - Tipo Junta de freguesia
Área
 - Total 74,32 km²
População (2011)
 - Total 10 647
    • Densidade 143,3/km2 
Código postal 7500 Santo André
Correio electrónico junta.freguesia@santoandre.pt
Sítio www.santoandre.pt

Vila Nova de Santo André é uma cidade portuguesa do município de Santiago do Cacém, na região do Alentejo e na sub-região do Alentejo Litoral com 74,32 km² de área e 10 647 habitantes (2011). Densidade: 143,3 hab/km².

Foi elevada a cidade em 26 de Agosto de 2003, sob o nome de Vila Nova de Santo André, permanecendo inserida no município de Santiago de Cacém.

Vila Nova de Santo André fica a 7 km de Santiago do Cacém e a 13 km de Sines.

História da freguesia[editar | editar código-fonte]

A ocupação desta freguesia remonta ao tempo do neolítico como o atestam os materiais arqueológicos recolhidos no lugar do Areal. A idade do Bronze também deixou vestígios de ocupação nas Casas Novas e Cerradinha, margem Este da lagoa de Santo André.

Foram identificados na freguesia, pelos arqueólogos Joaquina Soares e Carlos Tavares da Silva, sítios romanos, como a Figueirinha e Cascalheira.

A sua formação é de origem medieval, devendo-se à Ordem de Santiago.

Além da aldeia de Santo André, a freguesia compreendia no século XVIII (1758) três pequenas aldeias: aldeia de Azinhal, com 10 vizinhos, aldeia do Giz com vinte vizinhos e a aldeia de Brescos com 24 vizinhos.

Com o terramoto de 1755, a freguesia "padeceu muita ruína", especialmente nas casas dos moradores, na residência do pároco e na própria igreja, que ficou por consertar até princípio do primeiro quartel do século XIX.

À volta da igreja realizava-se anualmente uma feira no dia 30 de Novembro que chegou a render, segundo o padre António Macedo "24$000 réis de terrado, que se aplicava para a fábrica".

Por volta de 1855 pescadores de Ílhavo e respectivas famílias chegaram à Costa de Santo André, "no recenseamento da população do ano de 1863, existiam na praia de Santo André 6 fogos com um total de 18 pessoas. Havia 9 homens que se dedicavam à profissão de pescadores" relata os "Annaes do Município" de 1869, construíram cabanas e armazéns de colmo e caniço e devido à abundância de sardinha no mar (no Verão) e outro peixe na Lagoa (no Inverno) terão estabelecido duas companhas com lavradores da região, praticando a arte xávega. Pela fonte acima referida, a Câmara Municipal exercia o seu domínio sobre a lagoa, pois já em 1685 a autarquia a arrendou durante o período de três anos pela quantia de 18$500 réis. A lagoa continuou arrendada a particulares até ao ano de 1975, após esta data passa para a gestão do Gabinete da Área de Sines.

Em 1957 surgiram no meio das barracas dois restaurantes. E a partir de então começou a desenvolver-se um aglomerado populacional que ocupou a duna primária.

Para tornar a Lagoa de Santo André um local privilegiado para quem procura a natureza, a Câmara Municipal de Santiago do Cacém promoveu a desocupação da duna primária da Costa de Santo André do caos urbanístico que se agravou na década de 1970 durante a vigência do Gabinete da Área de Sines, criando um novo loteamento destinado a realojamento das famílias até então residentes na duna.

A Lagoa de Santo André constitui um ponto estratégico para a estadia, passagem e nidificação de muitas espécies de aves migratórias. Foi declarada pelo estado Português a Reserva Natural das Lagoas de Santo André e da Sancha pelo Decreto Regulamentar 10/2000 de 22 de Agosto[1] .

Nos meados dos anos 1970 começaram a radicar-se na freguesia, na zona do Areal, centenas de famílias atraídas pela oferta de trabalho que o Complexo Industrial de Sines oferecia.

O então Centro Urbano de Santo André caracterizou-se durante anos pela falta de infra-estruturas e equipamentos colectivos. Com a extinção do gabinete da Área de Sines as autarquias passaram a gerir o centro urbano e a situação começou a alterar-se com o desenvolvimento integrado na freguesia, com a radicação dos seus dos seus habitantes e renovação urbana que lhe foram dando uma nova e agradável imagem.

Património[editar | editar código-fonte]

História da cidade[editar | editar código-fonte]

A cidade de Vila Nova de Santo André, que só recentemente tomou a capitalidade da freguesia, não corresponde à antiga aldeia ainda existente e pujante: o burgo original dista 3 quilómetros do austero núcleo urbano criado nos anos 1970 num antigo pinhal.

A nova urbe, que até 1991 não tinha sequer existência administrada como freguesia, é, efectivamente, uma mancha urbana isolada com características de arredor metropolitano de Sines, implantada em plena zona semi-rural alentejana, predominantemente constituída por residentes com forte ligação à cidade industrial de Sines. Foi inicialmente pensada para 100.000 habitantes, criada de raiz para servir de dormitório ao complexo industrial de Sines.

A antiga povoação matriz é muitas vezes denominada de Aldeia de Santo André, retroactiva e informalmente, para evitar confusão de nomes.

Áreas urbanas[editar | editar código-fonte]

Equipamentos públicos[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

A estrutura educacional de Vila Nova de Santo André encontra-se distribuída da seguinte forma:

  • Escolas Básicas (1 °Ciclo): EB nº1, EB nº2 e EB nº3
  • Escolas Básicas (2 °Ciclo + 3 °Ciclo): EB 2/3 - Ciclo Preparatório até ao 9º ano.
  • Escolas Secundária (3º Ciclo): ESPAM - Escola Secundária Padre António Macedo, escola secundária do 7º ao 12ºano.
  • Escolas Superiores: Instituto Superior de Estudos Interculturais e Transdisciplinares - (ISEIT), suportado por um hotel local, Vila Park, um projecto associado com o instituto de Piaget.

Principais eventos[editar | editar código-fonte]

  • Mostra Internacional de Teatro de Santo Andre
  • Festival das Cores - O Movimento Pelas Artes
  • AJAGATO- GATO SA
  • Festa da Senhora da Graça
  • Festa de São Luís
  • Festa de São Romão
  • Festa de Brescos

Na sede da freguesia comemora-se todos os anos, em Junho, a elevação a vila

Desportivos[editar | editar código-fonte]

. Clube de Ténis de Santo André

Praias locais[editar | editar código-fonte]

Lagoa de Santo André.
  • Porto das Carretas (Vacaria)
  • Fonte do Cortiço (Areias Brancas)
  • Lagoa de Santo André

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.