Violeta de Outono

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Violeta de Outono
"Espectro", picture sleeve by Fabio Golfetti
Informação geral
Origem São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Pós-punk
Rock psicodélico
Rock progressivo
Período em atividade 1984 - atualmente
Gravadora(s) Voiceprint Records
Página oficial Site Oficial
Integrantes Fabio Golfetti
Gabriel Costa
Fernando Cardoso
José Luis Dinóla
Ex-integrantes Angelo Pastorello
Claudio Souza
Claudio Fontes
Fred Barley
Fabio Ribeiro
Sandro Garcia
Gregor Izidro

Violeta de Outono é uma banda de rock brasileira, que surgiu na cidade de São Paulo, em meados de março de 1984. Suas músicas tem em sua essência o pós-punk e o som psicodélico.[1] [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Em 1981, após o termino das atividades de sua primeira banda (Lux), o vocalista Fábio Golfetti conhece o baterista Claudio Souza, e juntos, participam da primeira formação da banda paulistana Zero, ficando somente até gravar um dos primeiros singles da banda.

Após sairem do Zero, em encontros esporádicos no Lira Paulistana, teatro voltado para a música que funcionava num porão da Rua Teodoro Sampaio, no bairro de Pinheiros, São Paulo, deram origem à banda Violeta de Outono, formada por Fabio Golfetti, Claudio Souza e Angelo Pastorello. O som, um resultado da inspiração do rock psicodélico/progressivo e elementos de arte contemporânea, arquitetura e artes visuais.

Primeiras gravações[editar | editar código-fonte]

Picture by Victoria Golfetti

Em 1985, Em um pequeno gravador de dois canais é registrada a primeira demo-tape contendo ‘Outono’, ‘Dia Eterno’, Declínio De Maio’ e ‘Reflexos Da Noite’.

Em 1986, com os primeiros shows, a banda começa a ter um público cativo, e acaba sendo convidada pela loja de discos Wop-Bop para lançar um EP, gravado em 8 canais, com apenas três músicas, dentre elas Outono, uma das músicas mais conhecidas da banda.

Após o bom resultado do lançamento do EP, a banda assina com a gravadora RCA (hoje, selo pertencente à Sony Music), que lança em 1987 pelo selo Plug, o primeiro LP, batizado de "Violeta de Outono", que além de Outono, continha músicas como Declínio de Maio, Dia Eterno e o cover de Tomorrow Never Knows dos Beatles, considerado pelos ferozes críticos da época, ser tão bom quanto o original dos Fab Four.

Já em 1989 é lançado o segundo LP, intitulado "Em Toda Parte", que acaba não tendo o mesmo resultado do LP de estreia. Neste LP destaca-se a música-título do álbum.

Pós RCA / Surgimento do Invisible Opera of Tibet[editar | editar código-fonte]

Porém, com o fim do selo Plug da RCA, o Violeta de Outono acaba ficando sem gravadora, e neste período o vocalista Fábio Golfetti lança, através do produtor dos primeiros LPs da banda, um flexi-disc intitulado Numa Pessoa Só, sob o nome de Opera Invisível, um projeto o vocalista segue ao longo dos anos.

Durante o início dos anos 90, o Violeta de Outono faz alguns shows esporádicos com Claudio Fontes na bateria, no lugar de Claudio Souza que se afasta da banda. Neste mesmo período Fabio Golfetti resolveu abraçar de vez o projeto "Invisible Opera of Tibet", conceito idealizado por Daevid Allen, do Gong, e que tinha como princípio a junção de uma visão em comum do universo e uma evolução espiritual, ligando músicos de vários pontos do planeta. Começou a aquecer o selo Invisível, que depois do single solo de Fabio, lançou (ao lado de Renato Mello e da cantora May East), o disco The Eternal Voice.

A partir desta data, o "Invisible Opera of Tibet" começou a tocar em pequenas casas de São Paulo, com a mesma formação do "Violeta de Outono", porém com um som mais experimental e com um pequeno público.

A Volta[editar | editar código-fonte]

Nestes shows como "Invisible Opera of Tibet", surge em 1994 a idéia de fazer um show como "Violeta de Outono". O resultado foi a casa cheia.

Com isto, a banda inicia as gravações do novo álbum, que seria lançado somente em 1999, intitulado como "Mulher na Montanha", gravado pela formação original da banda.

Durante um ano e meio, a banda na formação original, fez várias apresentações, fazendo resurgir os velhos fãs e criando novos. Neste período, a banda chegou a abrir 02(dois)shows para a banda internacional FOCUS em São Paulo-SP e tocou com OS MUTANTES/SERGIO DIAS], no Rio ArtRock Festival.

Em 2004, Fábio Golfetti lança Early Years Complete, contendo 14 canções, passando por sobras de estúdios e versões ao vivo.

Em 2005 o grupo volta com novo álbum e com a formação inicial da banda, adicionada da presença do tecladista Fernando Cardoso (CompaCta Triô). É o lançamento do CD Ilhas, contando ainda com Gregor, na bateria. Neste álbum a banda volta a viver seus grandes momentos, com músicas como Blues, Eclipse, Língua de Gato em Gelatina e Ecos.

Em 2007 a banda lança o seu sétimo álbum, intitulado "Volume 7", com o baixista Gabriel Costa (ComapCta Triô) no lugar de Angelo, que se afasta da banda. Neste álbum a banda se aproxima mais ainda do som progressivo, com forte presença dos teclados de Fernando Cardoso.

Em 2009, após a realização de um memorável show no Teatro Municipal de São Paulo (durante a Virada Cultural) é a vez do baterista Cláudio Souza se afastar da banda, dando lugar ao baterista Fred Barley (CompaCta Triô), dando início à produção das músicas para um novo álbum. No entanto, Fred Barley segue uma tournée internacional pela Europa e América do Sul, deixando o Violeta de Outono. Após a bem-sucedida tour ele é convidado para entrar na banda O Terço.

Em 2011, a banda lança em DVD o show da Virada Cultural em 2009, gravado no Teatro Municipal, em São Paulo. Neste ano a banda integra o baterista José Luis Dinóla (ex-Chave do Sol) no lugar de Fred Barley.

Em 2012, a banda lançou o álbum "Espectro" (em julho,no SESC Pompéia). Ao fim do ano, Fabio Golfetti realiza tournée internacional com a consagrada banda setentista Gong, com quem excursiona pela Europa, Inglaterra e Japão.

Discografia[editar | editar código-fonte]

- Reflexos da Noite (EP, 1986)[editar | editar código-fonte]

Primeira gravação oficial do Violeta De Outono em meados de 1986 pelo lendário selo Wop Bop, remasterizado e incluíndo bonus.

1. Outono

2. Trópico

3. Reflexos Da Noite

- Violeta de Outono (LP, 1987)[editar | editar código-fonte]

Primeiro LP lançado pelo Violeta de Outono, pela RCA, em 1987. A banda desenvolveu sua sonoridade caracteristica com suas passagens climáticas psicodélicas e orientais. Posteriormente foi relançado em edição limitada no formato mini-LP, remasterizado e com faixas bônus * que foram gravadas no estúdio durante as mesmas sessões de gravação.

1. Outono

2. Declínio de Maio

3. Faces

4. Luz

5. Retorno

6. Dia Eterno

7. Noturno Deserto

8. Sombras Flutuantes

9. Tomorrow Never Knows

10. Noite Escura*

11. Caminho*

12. Om Voice*

13. 2000 Light Years From Home*

- The Early Years (K7, 1988)[editar | editar código-fonte]

O Violeta de Outono registrou em 1989 uma fita K7 contendo quatro regravações de bandas influentes. Era uma idéia antiga da Wop Bop, mas que ficou guardada após o Violeta de Outono ser contratado pela BMG, que lançou os dois primeiros discos da banda. A Wop Bop não lançava fitas K7, porém para "Early Years" foi preparado um pacote especial para os fãs, além da fita K7 com as quatro covers, havia um flexidisc com um trecho de uma canção inédita (Numa pessoa só) e um fanzine de 10 páginas com release, fotos, trajetória dos integrantes, registros dos locais e datas dos shows, além de curiosidades interessantes da banda. Esse trabalho foi limitado em 500 cópias e hoje pode ser considerado material raro para os fãs. Em vinil foi lançado apenas na Inglaterra, que inclui 4 covers clássicos da era psicodélica mais uma faixa bônus (Echoes-No Quarter) gravada ao vivo durante os ensaios.


1. Citadel

2. Interstellar Overdrive

3. Blues For Findlay

4. Within You Without You

5. Echoes

6. No Quarter

- Em Toda Parte (LP, 1989)[editar | editar código-fonte]

Neste 2º álbum, o Violeta de Outono introduziu elementos étnicos através de samplers, aproximando-se mais do rock avant-garde. Podem ser ouvidas aqui influências do som das orquestras de gamelão de Bali. Uma remaster no formato mini-LP foi lançado em edição limitada e inclui faixas bonus gravadas durante as sessões de gravação nos estúdios da RCA.

1. Rinoceronte Na Montanha De Geléia

2. Em Toda Parte

3. Vênus

4. Aqui & Agora

5. Outra Manhã

6. Ilhas

7. Terra Distante

8. Dança

9. Lunática

10. Numa Pessoa Só

11. Tropical (instrumental)

- Eclipse - Ao Vivo (CD, 1995)[editar | editar código-fonte]

Gravação ao vivo do show de lançamento do 1º EP da banda em 1986, no teatro do SESC Pompéia em São Paulo. O selo independente Record Runner lança "Eclipse" com bônus* das quatro versões inéditas da fita ‘The Early Years’, de 1988.

1. Dia Eterno

2. Outono

3. Declínio de Maio

4. Outra Manhã

5. Sombras Flutuantes

6. Luz

7. Reflexos Da Noite

8. Tomorrow Never Knows

9. Em Toda Parte

10. Citadel*

11. Interstellar Overdrive*

12. Blues For Findlay*

13. Within You Without You*

- Mulher Na Montanha (CD, 1999)[editar | editar código-fonte]

Mulher na Montanha é um álbum do Violeta De Outono composto de gravações inéditas que foram registradas durante ensaios em 1995. As 3 primeiras faixas foram gravadas para compor um single que nunca foi editado. As faixas Trópico e Reflexos da Noite foram gravadas em 1986 e saíram no 1º EP da banda lançado pela Wop Bop, e as demais faixas foram compostas e gravadas durante ensaios para compor uma demotape para um novo álbum inédito.

1. Mulher Na Montanha

2. Lírio de Vidro

3. Outro Lado

4. Total Silêncio

5. Lágrimas Do Dragão

6. Creme Gelado, Desculpe

7. Espelhos Planos

8. Duna

9. Flutuando

10. Sonho

11. Terra Distante

12. Ilusão

13. Trópico

14. Reflexos Da Noite

15. Astronomy Dominé

- Live at Rio ArtRock Festival '97 (CD, 2000)[editar | editar código-fonte]

Lançado em CD a gravação integral do show do Violeta De Outono no Rio ArtRock Festival de 1997. Este CD registra um dos últimos shows com a formação original da banda além da participação especial do tecladista Fabio Ribeiro. Inclui os clássicos do VDO.

1. Astronomy Dominé

2. Mulher Na Montanha

3. Outro Lado

4. Dia Eterno

5. Eclipse

6. Noturno Deserto

7. Faces

8. Sombras Flutuantes

9. Declínio de Maio

10. Tomorrow Never Knows

11. Em Toda Parte

- Ilhas (CD, 2005)[editar | editar código-fonte]

Ilhas foi gravado durante 2002-2004 registrando um momento de transição do som do Violeta de Outono, com mais elementos de rock progressivo. Conta com a participação de Fabio Ribeiro (teclados), Gregor Izidro (bateria), Naide Patapas (vocal) e João Parahyba (percussão).

1. Línguas De Gato Em Gelatina

2. Mahavishnu

3. Blues

4. Estrelas

5. Ecos

6. Eclipse

7. Azul

8. Supernova

9. Transe

10. Cartas

11. Jupiter

12. Dança

13. Moon Princess

- Violeta de Outono & Orquestra (DVD, 2006)[editar | editar código-fonte]

1º DVD oficial da banda gravado ao vivo acompanhado de uma orquestra de câmara de 20 integrantes, uma seção de cordas (violinos, viola, violoncelo e contrabaixo) e metais (trompete, trompa e trombone), além de um set de percussão. Concerto realizado no Teatro do SESI, São Paulo em Novembro de 2004.

1. Outono

2. Mahavishnu

3. Mulher Na Montanha

4. Blues

5. Lírio de Vidro

6. Supernova

7. Eyes Like Butterflies

8. Espectro

9. Jupiter

10. Faces

11. Sombras Flutuantes

12. Declínio de Maio

13. Tomorrow Never Knows

14. Dia Eterno

- Volume 7 (CD, 2007)[editar | editar código-fonte]

Sétimo álbum do Violeta de Outono com uma sonoridade totalmente renovada com a presença marcante dos sons de órgão hammond e timbres analógicos. O álbum marca também a entrada do novos integrantes Fernando Cardoso (teclados) e Gabriel Costa (baixo).

1. Além do Sol

2. Caravana

3. Broken Legs

4. Eyes Like Butterflies

5. Em Cada Instante

6. Pequenos Seres Errantes

7. Ponto de Transição

8. Fronteira

- Seventh Brings Return - A Tribute to Syd Barrett (DVD, 2009)[editar | editar código-fonte]

Este DVD registra uma das apresentacões da banda brasileira Violeta de Outono prestando de uma forma absolutamente competente e inspirada, sua homenagem a genialidade de Syd Barrett, um verdadeiro exercicio de psicodelismo que mostra o quanto a obra de Syd permanece atual e influente.

1. Astronomy Domine

2. Arnold Layne

3. See Emily Play

4. Lucifer Sam

5. Matilda Mother

6. Flaming

7. Interstellar Overdrive

8. The Gnome

9. Chapter 24

10. Scarecrow

11. Bike

12. Jugband Blues

13. No Good Trying

14. Set The Controls For The Heart of The Sun (Bonus)

- Theatro Municipal, São Paulo, 3 de maio de 2009 (CD, 2011)[editar | editar código-fonte]

DVD gravado ao vivo no Teatro Municipal De São Paulo em 03 de Maio de 2009. O Violeta de Outono toca na íntegra seu primeiro e clássico LP, lançado originalmente em 1987 pela gravadora RCA.

1. Introdução

2. Outono

3. Trópico

4. Reflexos Da Noite

5. Declínio de Maio

6. Faces

7. Luz

8. Retorno

9. Dia Eterno

10. Noturno Deserto

11. Sombras Flutuantes

12. T.N.K.

13. Em Toda Parte

14. Vênus

- Espectro (CD, 2012)[editar | editar código-fonte]

Novo CD do Violeta de Outono, o 8º álbum de estúdio. Gravado durante Março e Abril de 2012 este CD dá continuidade ao trabalho anterior, o Volume 7, trazendo 10 novas composições numa bem dosada mistura de rock psicodélico e progressivo.

1. Formas-Pensamento

2. Montanhas da Mente

3. Dia Azul

4. Ondas Leves

5. Claro Escuro

6. Algum Lugar

7. Anos-Luz

8. Espectro

9. Solstício

10. News from Heaven


Formações[editar | editar código-fonte]

  • 1984 a 1990

Claudio Souza/ bateria • Fabio Golfetti/ guitarra/ vocal • Angelo Pastorello/ baixo

  • 1990 a 1992

Fabio Golfetti/ guitarra/ vocal • Angelo Pastorello/ baixo • Claudio Fontes/ bateria

  • 1992 a 2000

Claudio Souza - bateria • Fabio Golfetti - guitarra e vocal • Angelo Pastorello - baixo

  • 2000 a 2001

Gregor Izidro - bateria • Fabio Golfetti - guitarra e vocal • Sandro Garcia - baixo

  • 2001 a 2003

Gregor Izidro - bateria • Fabio Golfetti - guitarra e vocal • Angelo Pastorello - baixo

  • 2003 a 2005

Claudio Souza - bateria • Fabio Golfetti - guitarra e vocal • Angelo Pastorello - baixo

  • 2005 a 2005

Claudio Souza - bateria • Fabio Golfetti - guitarra e vocal • Angelo Pastorello - baixo • Fernando Cardoso - teclados

  • 2005 a 2008

Claudio Souza - bateria • Fabio Golfetti - guitarra e vocal • Gabriel Costa - baixo • Fernando Cardoso - teclados

  • 2008 a 2011

Fred Barley - bateria • Fabio Golfetti - guitarra e vocal • Gabriel Costa - baixo • Fernando Cardoso - teclados

Formação atual:

Fabio Golfetti - guitarra & vocal Com formação erudita em violão, o guitarrista forma, aos 18 anos, seu primeiro grupo, LUX, apresentando-se no circuito universitário paulistano. Em 1983 forma o grupo ZERO, com o qual grava um compacto e posteriormente o VIOLETA DE OUTONO em 1985, gravando uma série de trabalhos desde 1986. Paralelamente, desenvolve o INVISIBLE OPERA COMPANY OF TIBET, conceito criado por Daevid Allen (GONG) que mistura rock, música psicodélica e progressiva, com dois CD’s lançados na Inglaterra. Em 2007, junto com Gabriel Costa e Fred Barley (COMPACTA TRIÔ), acompanhou Daevid Allen em sua turnê brasileira no mês de novembro. De forte conotação psicodélica, a guitarra de Fabio é reminiscente de nomes como Syd Barrett, Steve Hillage e Daevid Allen.

Gabriel Costa - baixo Aluno do baixista Ricardo Finazzi, teve contato com músicos como Paulo Moura, Arrigo Barnabé e Fernando Corrêa em diversos workshops. É membro fundador da banda HOMEM COM ASAS (1996), de São Carlos, e em 2003 é convidado a integrar o COMPACTA TRIÔ, sendo um dos membros fundadores do MEFISTO no mesmo ano. Em 2005 integra-se ao VIOLETA DE OUTONO, com quem lança o disco “Volume 7”, participando também do INVISIBLE OPERA COMPANY OF TIBET (space rock), que acompanhou o músico Daevid Allen (GONG) em apresentações em São Paulo e em São Carlos em novembro de 2007. Suas influências residem nas escolas de Canterbury e Rock in Opposition e em baixistas como Richard Sinclair e John Greaves, além de John Entwistle do The Who.

José Luiz Dinóla - bateria Começou a tocar bateria aos 16 anos tendo como principal banda no inicio de carreira A CHAVE DO SOL com três discos gravados. Foi uma das bandas mais solicitadas pelo público no programa Fabrica do Som da TV Cultura nos anos 80. Depois atuou em bandas instrumentais e covers do circuito paulista. Entrou no Violeta de Outono em 2011, e participa criativamente nos arranjos do grupo. Entre suas influências estão o baterista Billy Cobham e Dave Weckl.

Fernando Cardoso - órgão, piano & synth De formação erudita (piano e cravo), participa desde 1991 de diversas bandas como tecladista e baixista. Em 1997 forma em São Paulo o COMPACTA TRIÔ, banda de rock instrumental com um CD compacto lançado e que, em 2003, une-se a outras bandas para formar o mega-projeto de criação coletiva MEFISTO (Movimento Experimental Fantástico de Integração Sonora Total). Foi membro da banda-tributo YESSONGS de 2000 a 2005, integrando-se neste ano ao VIOLETA DE OUTONO, com quem lança o álbum “Volume 7”. Também participa da ORQUESTRA ARTE BARROCA e HOMEM COM ASAS (Hard Rock), além de sua atuação como cravista em diversos projetos de música erudita em São Paulo. As bandas de rock que mais influenciam Fernando são Mutantes, Yes, Uriah Heep e Van der Graaf Generator.

[3]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.