Vision Divine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vision Divine
Vision Divine - Rockin' field festival - luglio 2008 (1).jpg
Vision Divine - Rockin' field festival 2008 (Idroscalo, Milan)
Informação geral
País  Itália
Gênero(s) power metal
progressive metal
Período em atividade 1998 - atualmente
Página oficial www.visiondivine.com
Integrantes Fabio Lione
Olaf Thorsen
Federico Puleri
Andrea Torricini
Alessio Lucatti
Alessandro Bissa
Ex-integrantes Michele Luppi
Mattia Stancioiu
Andrew McPauls
Cristiano Bertocchi
Matteo Amoroso
Ricardo Quagliato
Oleg Smirnoff

Vision Divine é uma banda italiana de power metal.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vision Divine nasceu em 1998, criado originalmente como projeto de solo de Olaf Thorsen (guitarrista do Labyrinth naquele tempo). Logo teve a colaboração outra vez de Fabio Lione (vocalista do Labyrinth em seu primeiro álbum "No Limits") e o projeto solo rapidamente tomou rumo e se transformou numa banda de verdade na qual o nome é a combinação "Vision" (antigo Labyrinth, quando Olaf criou a banda) e "Divine" o nome que Olaf desejava para o álbum solo.

A formação se completou com a entrada de Mattia Stancioiu (bateria) (atualmente no Labyrinth), Andrew Mc Pauls (teclados) e Andréa “Tower” Toriccini (baixo). Em 1999 o primeiro álbum Vision Divine, conta com faixas agressivas, com muita influência de música clássica e mostra um vocal diferente do que estamos acostumados a escutar por parte de Fabio Lione no Rhapsody. O álbum Vision Divine também conta com um cover da música "The Final Countdown" da banda de hard rock Europe.

Após uma longa turnê para divulgação do primeiro álbum, a banda inclusive vem para o Brasil no fim de 2000 e faz um show no Via Funchal em São Paulo, já que as bandas tinham praticamente os mesmo membros o Vision Divine vem junto com o Labyrinth, os shows são um sucesso, e os fãs brasileiros presenciam o nascimento de uma grande banda. Destaque para a participação especial de Kiko Loureiro no show tocando a música "Wasted Years" do Iron Maiden.

Em 2001 após uma longa turnê pela Europa e América do Sul, a banda começa a trabalhar no novo álbum chamado Send me an Angel e no início de 2002 o segundo e tão esperado álbum é lançado. Nessa mesma época Olaf decide colocar mais um guitarrista na banda para compor melhor o som então entra o seu aprendiz o novato e talentoso Federico Puleri que além de guitarrista também era vocalista. Send me an Angel mostra um amadurecimento difícil de se encontrar nas bandas de hoje em dia. O som está mais pesado, com influências progressivas e também conta com um cover um tanto peculiar da música "Take on Me" da banda A-ha. No fim do ano de 2002, Olaf decide deixar o Labyrinth para focar seu trabalho exclusivamente no Vision Divine e acabar com rumores de que a banda seria um mero projeto.

Em três anos, o Vision Divine lança dois álbuns e com uma boa vendagem torna possível uma turnê mundial. Depois da turnê do Send me an Angel, saem da banda Mat Stancioui e Andrew McPauls, eles saíram pois só queriam se dedicar ao Labyrinth. Entram em seus lugares o tecladista talentoso Oleg Smirnoff e o baterista Matteo Amoroso. Com essa nova formação começam a gravar o próximo álbum.

Em 2003 a banda começa o trabalho para o terceiro álbum quando infelizmente Fabio Lione tem problemas com sua carreira e seus deveres no Rhapsod que havia se tornado uma banda grande e com isso sua agenda se estendia, por isso Lione não conseguia mais fazer parte de duas bandas. Após alguns meses concordam mutuamente em romper de maneira amigável e o novo vocalista escolhido é Michele Luppi, um cara altamente hábil e talentoso (graduado em '98 em V.I.T. de Los Angeles) com uma experiência notável. Finalmente foi possível terminar as últimas canções e então o novo álbum gravado e intitulado Stream of Consciouness é lançado em abril de 2004.

Depois no fim da turnê do Stream, o DVD de Stage of Consciouness é lançado (ao invés de Stream of Consciouness), gravado ao vivo na Transilvânia, Reggio Emilia, Itália em 16 de abril de 2005. Nesse vídeo são tocadas na íntegra todas as músicas do álbum, bem como algumas dos dois primeiros álbuns. Apesar do show ser em um palco pequeno que só cabia cerca de 100 pessoas o show tem uma acústica excelente e as performances de todos os músicos merece destaque. Depois da turnê Olaf retoma o trabalho duro em cima de um novo álbum conceitual com a colaboração de Oleg Smirnoff e Michele Luppi.

Em outubro 2005, enquanto o DVD começa a ser liberado no Japão a banda faz dois shows inacreditáveis em Osaka e Tokyo. O último feito do Vision Divine, o álbum The Perfect Machine que teve a produção do veterano Timmo Tolkki do Stratovarius. Esse álbum mostra mais uma vez a maturidade e competência da banda e conta com um cover da banda americana de metal progressivo Queensrÿche com a música "The Nedle Lies".

Sai Matteo Amoroso (bateria) e entra Riccardo Quagliato, porém por motivos pessoais e técnicos Rick Quagliato é substituído por Alessandro Bissa. Sai Andrea “Tower” Torricini e entra Cristiano Bertocchi, sai Oleg Smirnoff pois queria largar a música e se dedicar mais a sua família e entra Alessio "Tom" Lucatti.

Em 2007 é lançado o álbum The 25th Hour, Oleg Smirnoff participou da produção junto com Timmo Tolkki,esse álbum que conta a continuação da história do álbum Stream of Counsciousness, a banda vem ao Brasil novamente no fim do ano após sete anos, dessa vez Michele Luppi aparece com cabelo curto, dessa vez a banda só toca em Curitiba por motivos de organização, e por a banda não ser tão conhecida no país só tem cerca de 100 pessoas no show,fato curioso pois em 2000 quando a banda só tinha dois anos de vida e era praticamente desconhecida de 95% dos metaleiros do Brasil ela levou mais de 10 mil pessoas ao Via Funchal.

No início de 2008 a banda faz um show especial na Itália para comemorar os 10 anos, nesse show estão presentes também os ex-membros: Fabio Lione, Oleg Smirnoff, Ricky Quaqliato e Andrea "Tower" Torricini. Em 2008 segue-se em andamento a turnê do álbum The 25th Hour.

Depois do fim da turnê do álbum The 25th Hour, Michele Luppi surpreendentemente sai da banda possivelmente por estar frustrado de a banda não ter o sucesso e reconhecimento merecido, agora vai passar a se dedicar somente a sua banda Mr.Pig que toca covers de bandas clássicas como Kiss, Europe, Guns N' Roses, Whitesnake, Metallica e Deep Purple.

Alguns meses depois Michele Luppi anuncia em seu website oficial que estaria dando início a uma nova banda chamada Killing Touch.

Com certeza Luppi fará muita falta pois é um dos melhores vocalistas da atualidade. O anúncio para o novo vocalista estava marcada para o dia primeiro de maio de 2008, mas por algum motivo Olaf decidiu adiar. Quase um mês depois é anunciada a volta de Fabio Lione para os vocais do Vision Divine.

Em 2012, a banda lança seu trabalho intitulado Destination Set To Nowhere, saindo em turnê do qual passou, também, por São Paulo no dia 31 de março, no Manifesto Bar, tendo o Seventh Seal como banda de abertura, apesar da casa estar lotada, ainda ao contrário do seu primeiro show em 2001, o público foi bem reduzido, após o show, a banda desceu para atender os fãs, tirar fotos e dar autógrafos, praticamente um "meet & greet", foram muito atenciosos com todos que permaneceram no local num domingo a noite. A turnê ainda se estendeu por outros países da América do Sul.

Formação[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

DVDs[editar | editar código-fonte]

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vision Divine
Flag of Italy.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical da Itália, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.