Vitória, Princesa Herdeira da Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vitória
Princesa herdeira da Suécia
Duquesa de Västergötland
Cônjuge Daniel, Duque de Västergötland
Descendência
Estela Sílvia, duquesa de Östergötland
Nome completo
Vitória Ingrid Alice Desidéria
Casa Bernadotte
Pai Carlos XVI Gustavo da Suécia
Mãe Rainha Sílvia da Suécia
Nascimento 14 de Julho de 1977 (37 anos)
Estocolmo,  Suécia
Religião Igreja da Suécia
Família real sueca
Casa de Bernadotte
Greater coat of arms of Sweden.svg

SM o Rei
SM a Rainha


Vitória, Princesa Herdeira da Suécia, Duquesa de Västergötland (em sueco, Victoria, Sveriges kronprinsessa, hertiginna av Västergötland; Estocolmo, 14 de julho de 1977), é a princesa herdeira ao trono sueco. Se ela se tornar rainha, como é esperado, tornar-se-á a quarta rainha reinante sueca (após Margarida, Cristina e Ulrica Leonor). Em 19 de junho de 2010, casou-se com seu ex-personal trainer, Daniel Westling, atual Duque de Västergötland. Em 23 de fevereiro de 2012, nascia a primeira filha do casal, princesa Estelle.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Batizado[editar | editar código-fonte]

O seu nome é uma homenagem aos seus parentes. O seu primeiro nome é uma homenagem à sua trisavó, Vitória de Baden, a rainha consorte da Suécia, esposa do rei Gustavo V da Suécia. O mesmo nome também glorifica a sua tataravó materna, Vitória do Reino Unido. Seus outros nomes são homenagens a sua tia-avó Ingrid da Dinamarca; sua avó materna, a brasileira Alice Sommerlath e a sua ancestral Desidéria Clary, a rainha consorte de Carlos XIV da Suécia.

Ela foi batizada na Igreja Real do Palácio em 27 de setembro de 1977. Os seus padrinhos foram o Rei Haroldo V da Noruega, seu tio materno, Ralf Sommerlath, a Rainha Beatriz dos Países Baixos e sua tia, Princesa Desidéria, Baronesa de Silfverschiöld.

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Vitória nasceu dia 14 de julho de 1977 em Estocolmo, sendo a filha mais velha do Rei Carlos XVI Gustavo da Suécia e de sua esposa, Rainha consorte Sílvia da Suécia, pertencendo a Casa Real de Bernadotte. Nasceu como Princesa da Suécia, sendo designada como Princesa Herdeira em 1979, a frente de seu irmão mais novo, graças a uma mudança constitucional. Vitória é actualmente a única Princesa Herdeira no mundo, sendo chamada de Sua Alteza Real, A Princesa Herdeira. Graças a seu pai, um primo de terceiro grau da Rainha Elizabeth II, ela também está na Linha de sucessão ao trono britânico.

Vitória também é a madrinha de batismo de muitas crianças da realeza, como da Princesa Ingrid Alexandra da Noruega, Princesa Catarina Amália dos Países Baixos e do Príncipe Christian da Dinamarca, como também da Princesa Leonor da Bélgica.

Educação[editar | editar código-fonte]

Primeira Educação[editar | editar código-fonte]

Vitória frequentou uma escola pública até o 9º ano, tendo depois frequentado uma escola privada (Enskilda gymnasiet) em Estocolmo, onde completou o curso secundário em 1996.

Ensino Superior[editar | editar código-fonte]

Vitória entrou na Universidade de Uppsala aonde estudou um programa multidisciplinar que a levou a outras instituições. Estudou durante um ano na Université Catholique de l'Ouest em Angers, França, e dois anos na Universidade Yale, nos Estados Unidos. A princesa também estudou e acompanha o trabalho do governo sueco, a nível local, nacional, e na europeu, familiarizando-se com a política e economia sueca. Estudou também agricultura e desenvolvimento florestal. Entre setembro de 2006 a junho de 2007 estudou diplomacia no Ministério do Exterior sueco. Bacharelou-se na Universidade de Uppsala em junho de 2009.

Trabalhou como estagiária nas Nações Unidas, em Nova Iorque, e na embaixada da Suécia em Washington, DC. Participou na Agência Sueca para a Cooperação e Desenvolvimento Internacional e no Conselho do Comércio Sueco em Berlim e Paris.

Mudança de estatuto[editar | editar código-fonte]

A princesa Vitória tornou-se a primeira na linha de sucessão ao trono apenas em 1 de janeiro de 1980, após a aprovação do Ato Sueco da Sucessão (Successionsordningen). Esta reforma constitucional tornou possível que o descendente mais velho do monarca fosse o herdeiro do trono, independentemente do gênero. A Suécia foi o primeiro país a adotar este sistema.

Antes dessa mudança constitucional, o herdeiro do trono era seu irmão Príncipe Carlos Filipe, que agora se tornou o segundo na linha de sucessão, tendo recebido o título de Duque da Värmland. A Princesa Madalena, irmã mais jovem de ambos, tem o título de Duquesa de Hälsingland e Gästrikland, sendo a terceira na linha de sucessão. Existem alegações de que a reforma não teria sido apoiada pelo rei, que pretendia que o Príncipe Carlos Filipe fosse o herdeiro do trono.

Deveres reais[editar | editar código-fonte]

A princesa Victória da suécia com o marido Daniel Westling.
Países que a Princesa visitou oficialmente (exceto visitas privadas).

A Princesa Vitória foi solenemente investida como herdeira do trono sueco numa cerimônia no Palácio Real de Estocolmo, a 14 de Julho de 1995, dia do seu 18ª aniversário, quando proferiu discurso no parlamento.

Como princesa herdeira ao trono sueco, Vitória trabalha como membro da Família Real Sueca com a sua própria agenda oficial, dando um grande suporte ao seu pai. Vitória participa regularmente no Conselho de Relações Internacionais. Também participa em jantares oficiais promovidos pelos seus pais para visitantes estrangeiros de alto nível e visitas oficiais de chefes de estado, da abertura do Parlamento, celebrações do Dia Nacional Sueco e das festividades nacionais do Prémio Nobel.

Vitória faz muitas viagens oficiais como representante da Suécia. A sua primeira viagem oficial ao exterior foi ao Japão em 2001, onde ela promoveu o turismo sueco, design, música, gastronomia e sustentabilidade durante o evento sobre o estilo sueco. No mesmo ano, Vitória também viajou para a costa oeste dos Estados Unidos, onde participou nas celebrações do centenário do Prémio Nobel.

Em 2002, fez visitas oficiais ao Kosovo, onde visitou o Campo Vitória, os Estados Unidos, Espanha, Uganda e Etiópia. Em 2003 ela fez visitas oficiais ao Egipto e aos Estados Unidos. No início de 2004 fez visitas a Arábia Saudita, como parte de uma grande delegação sueca e em Outubro de 2004, foi para a Hungria.

Em Janeiro de 2005, Vitória fez uma longa visita oficial a Austrália, promovendo a Suécia e em Abril ela visitou Bangladesh e o Sri Lanka, para seguir os seus trabalhos na área da saúde e ter informações sobre o tsunami. Em Abril de 2005, Vitória fez uma visita oficial ao Japão, onde ela visitou a Expo 2005 em Aichi, dando início a construção de uma loja da IKEA em Yokohama, juntamente com a Princesa Takamado e conheceu a Família Real Japonesa. No mesmo ano,visitou oficialmente a Turquia e a China

Em março de 2006, Vitória fez uma visita oficial ao Brasil onde ela visitou projetos subsidiados pela sua Fundação Mundial da Infância.

Afilhados[editar | editar código-fonte]

A princesa Victoria é uma madrinha de vários príncipes:

Anorexia[editar | editar código-fonte]

A princesa sofreu de dislexia durante sua adolescência, e, posteriormente, de anorexia seguida de bulimia.

Em 1997, a princesa admitiu, publicamente, sofrer de anorexia nervosa e estar sob tratamento médico. O anúncio foi feito por um porta-voz do palácio, após algum tempo de especulação na imprensa sobre a excessiva magreza da princesa. Um ano depois, Vitória anunciou que se sentia bem, "embora todos tenham passado momentos difíceis".

Namoro e Casamento com Daniel Westling[editar | editar código-fonte]

Namoro e noivado[editar | editar código-fonte]

Em 2002, houve especulações pela imprensa acerca de uma possível ligação amorosa entre a Vitória e Daniel Westling, seu antigo personal trainer e dono de uma academia, na qual estava matriculada. Na época, Vitória apenas reconheceu ser amiga de Westling. Em 2004, porém, o jornal sueco Expressen noticiou que o casal pretendia anunciar o seu noivado no início de 2005 e se casar no verão daquele mesmo ano,o que não aconteceu

Em 2006, os boatos continuavam, Vitória e Daniel foram vistos várias vezes juntos. Daniel Westling também participou de alguns eventos formais em que a princesa esteve presente.

Finalmente, em 24 de Fevereiro de 2009 a corte sueca anunciou que Vitória e Daniel Westling estavam noivos. O noivado fora autorizado pela câmara baixa do país e o casamento real, marcado para 19 de Junho de 2010, na Catedral de Estocolmo. Após o casamento Westling usará o título de:SAR - Príncipe - duque de Västergötland.[1] O anúncio provocou manifestações antimonárquicas e grande mobilização, especialmente pela Internet. Muitos suecos consideram inaceitável que as despesas com o casamento - estimadas em 3 milhões de dólares - sejam custeadas com recursos públicos.[1]

Em Abril de 2005, durante uma visita à Expo 2005, em Aichi, Japão, durante entrevista ao jornal Yomiuri Shimbun, Vitória admitiu a existência de alguém na sua vida, sem citar o nome de Daniel Westling. Ao ser questionada sobre o que pensava a respeito do casamento de membros da realeza com pessoas não pertencentes à nobreza, respondeu: "Creio que, em geral, os suecos acreditam que o jeito moderno seja casar-se que amamos, não importando de onde ele ou ela vem". Também a rainha Sílvia, mãe de Vitória, é de origem burguesa, tal como o fundador da Casa de Bernadotte, Jean-Baptiste Bernadotte, marechal de Napoleão I que se tornou filho adotivo de Carlos XIII.

Diante da perspectiva do casamento da Princesa Vitória com Daniel Westling, cogita-se que, quando Vitória se tornar rainha, a Casa de Bernadotte será substituída, no trono da Suécia, por uma nova casa real - a Casa de Westling.

Casamento[editar | editar código-fonte]

O Casal na sacada do Palácio Real de Drottningholm.
A Princesa Vitória e Daniel na carruagem real.
Casamento Real.

O casamento real entre a Princesa Vitória, e Daniel Westling ocorreu em 19 de Junho de 2010, na Catedral de Estocolmo[2] . Foi descrito como "o maior real casamento da Europa desde que o Príncipe de Gales, se casou com Lady Diana Spencer em 1981.

O título e estilo de Daniel Westling depois do casamento é agora Sua Alteza Real,o Príncipe Daniel da Suécia, Duque de Västergötland. O ano de 2010 marcou os 200 anos de poder da Casa de Bernadotte na Suécia desde que Jean Baptiste Bernadotte se tornou herdeiro do trono sueco.[3]

A cerimônia começou às 15:30 no horário local de Estocolmo, com cerca de 1.100 convidados presentes. As damas de honra da princesa Vitória foram a Princesa Ingrid Alexandra da Noruega e a Princesa Catarina Amália dos Países Baixos, o cavalheiro de honra de Daniel foi Cristiano, Príncipe da Dinamarca.

A música da cerimônia foi presidida por Gustaf Sjökvist, organista da corte e da paróquia da Catedral de Estocolmo. Ele também foi responsável pela música durante o casamento dos pais de Vitória em 1976.[4] Os oficiantes, escolhidos pelo rei, foram o arcebispo Anders Wejryd, o bispo emérito Lars-Göran Lönnermark,o bispo de Lund Antje Jackelén e Dom Åke dy Bonnier.

Vitória estava vestida com um vestido de casamento branco com vários metros de comprimento. Ela usou a mesma tiara com que a sua mãe se casou. A primeira parte da música que foi tocada foi composta por Karin Rehnqvist especialmente para o casal. Vitória andou pelo corredor da Catedral de Estocolmo com o pai, o rei Carlos Gustavo, que depois a entregou a Daniel. O casal de noivos, em seguida, parou diante do arcebispo Anders Wejryd, que lhes falou sobre a importância do apoio mútuo num casamento. Depois de Vitória e Daniel serem declarados marido e mulher, os cantores suecos Agnes Carlsson e Björn Skifs terminaram a cerimônia com a canção “Quando você diz ao mundo que é minha”, escrita para o casal.[5] Vitória e Daniel passaram por debaixo de espadas cruzadas após sair da catedral. A carruagem dos noivos, em procissão, passou por uma grande multidão de pessoas em Slottsbacken. O casamento de Vitória e Daniel foi o maior evento da história moderna de Estocolmo e de também maior audiência da história na Suécia,segundo a SVT}.

Muitos membros da nobreza internacional compareceram ao casamento, entre eles os Conde e Condessa de Wessex representando a rainha Elizabeth II e o Príncipe Filipe[6] , a Rainha e o Príncipe Consorte da Dinamarca, Príncipe Herdeiro e a Princesa da Dinamarca, o Príncipe herdeiro do Japão, o Rei e a Rainha da Jordânia, o Príncipe regente e Princesa de Liechtenstein, o Grão-Duque e a Grã-Duquesa do Luxemburgo, a Rainha dos Países Baixos e o Príncipe de Orange e a Princesa Máxima, O Rei e a Rainha da Noruega e o Príncipe Herdeiro e a Princesa da Noruega, a rainha da Espanha, o Príncipe e a Princesa de Astúrias, entre outros.

Após o casamento, a popularidade da família real explodiu. Uma pesquisa mostrou que 70% dos suecos aprovavam a monarquia e apenas 16% gostariam de abandonar o regime monárquico.

Com o casamento, Daniel recebeu o título de Sua Alteza Real, Príncipe Daniel, Duque de Västergötland.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Os principes Victória e Daniel com a filha Estelle

Em Agosto de 2011 foi anunciado que a princesa Vitória e o seu marido estavam à espera do primeiro filho.

Em 23 de Fevereiro de 2012, às 4:16h locais, no Hospital Universitário Karolinska, em Estocolmo, Vitória deu à luz a sua primeira filha, nomeada Estelle Sílvia Ewa Mary.

Residência[editar | editar código-fonte]

Palácio de Haga

Após seu casamento em 19 de Junho de 2010, a Princesa Vitória e o seu consorte Daniel mudaram-se para o Palácio de Haga. Curiosamente foi neste palácio que atual rei da Suécia, Carlos XVI Gustavo, e suas irmãs nasceram.

Ascendência[editar | editar código-fonte]

Títulos, estilos e honras[editar | editar código-fonte]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

Honras[editar | editar código-fonte]

  • Alemanha Alemanha: Grande Cruz de Classe Especial de Ordem ao Mérito da República Federal da Alemanha
  • Áustria Áustria: Grande Estrela da Decoração de Honra por Serviços para a República da Áustria
  • Bélgica Bélgica: a Ordem de Leopoldo - 2001
  • Brasil Brasil: Grã-Cruz da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul - 2007[7]
  • Bulgária Bulgária: Ordem de Stara Planina, Primeira Classe
  • Dinamarca Dinamarca: Dama da Ordem do Elefante - 14 de julho de 1995 [8]
  • Estónia Estônia: Ordem da Cruz da Terra Mariana, Primeira Classe (1995)
  • Estónia Estônia: Ordem da Estrela Branca, Primeira Classe (2011)[9]
  • Finlândia Finlândia: Ordem da Rosa Branca - 1996 [9]
  • França França: Grande Cruz da Ordem Nacional ao Mérito
  • Grécia Grécia: Grande Cruz da Orgem de Honra (2008)
  • Islândia Islândia: Dama da Grande Cruz da Ordem do Falcão (2004)
  • Japão Japão: Grande Cordão da Ordem do Crisântemo
  • Jordânia Jordânia: Grande Cordão da Ordem da Renassença
  • Letónia Letónia: Comandante da Ordem das Três Estrelas
  • Lituânia Lituânia: Grande Cruz da Ordem do Grande Duque Lituano Gediminas (1995)[10]
  • Luxemburgo Luxemburgo: Grande Cruz da Ordem de Adolfo de Nassau
  • Malásia Malásia: Comandante da Ordem de Defesa de Realm
  • Noruega Noruega: Grande Cruz da Ordem Real Norueguesa de St. Olav (1995)
  • Roménia Romênia: Grande Cruz da Ordem da Estrela da Romênia.
  • Suécia Suécia: Membro da Real Ordem do Serafim (av Lok KMO) - 14 de julho de 1995 - presente.

Referências

  1. a b Revista IstoÉ, 18 de março de 2009, p. 92
  2. [1]
  3. [2]
  4. [3]
  5. [4]
  6. [5]
  7. (6 de setembro de 2007) "Decreto de 5 de setembro de 2007". Diário Oficial da União (173): 7. Visitado em 8 de junho de 2014.
  8. Persondetaljer Hendes Kongelige Højhed Kronprinsesse Victoria af Sverige - website borger.dk (Danish)
  9. a b Fálkaorðuhafar
  10. [6]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Precedido por
Herdeira presuntiva
Linha de sucessão ao trono sueco
Sucedido por
Estela, duquesa de Östergötland
Precedido por
Príncipe Carlos Filipe
Linha de sucessão ao trono britânico
Sucedido por
Princesa Estelle