Viva o Gordo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Viva o Gordo
Informação geral
Formato
Criador(es) Jô Soares
Max Nunes
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Cecil Thiré
Francisco Milani
Walter Lacet
Direção Geral
Produtor(es) Mozart Régis
Apresentador(es) Jô Soares
Elenco Alcione Mazzeo
Ângela Vieira
Cristina Nunes
Denise Bandeira
Eliezer Motta
Felipe Carone
Flávio Migliaccio
Francisco Milani
Hélio Ary
Inês Galvão
Luiz Delfino
Maria Odete
Claudia Raia
Mônica Torres
Sandra Bréa
Rogério Cardoso
Milton Carneiro
Brandão Filho
Walter D'Ávila
Berta Loran
Paulo Silvino
Nina de Pádua
Tema de abertura instrumental
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Formato de exibição PAL-M (4:3)
Transmissão original 9 de março de 1981
-15 de dezembro de 1987

Viva o Gordo foi um programa de televisão humorístico brasileiro exibido pela Rede Globo na década de 1980, com apresentação de Jô Soares e participação de convidados. Composto por esquetes feitas pelo humorista Jô Soares, com texto de Max Nunes, onde mais de 300 personagens foram compostos ao longo dos seis anos de existência do programa. Viva o Gordo foi produzido de 1981 a 1987 e apresentava quadros fixos e esquetes, com personagens vividos pelo humorista e o elenco de apoio, além da participação de convidados especiais.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O programa estreou em 9 de março de 1981 e dentre os personagens mais famosos de Jô Soares no Viva o Gordo estão: Capitão Gay (criado por Max Nunes para Jô Soares) e seu assistente Carlos Suely (Eliezer Motta), Alice no País das Maravilhas, Reizinho, Ciça (ginasta), Aninha (a cozinheira que apresentava um programa de culinária), Zé da Galera (com seu bordão "Bota ponta, Telê!"), Vovó Naná, Pai Coruja e Dalva Mascarenhas (a mulheríssima). Grande parte do conteúdo das histórias eram críticas implícitas ao governo da época. O programa ia ao ar tradicionalmente às segundas-feiras a noite às 21:20h depois da novela das 8. O último programa foi ao ar em 15 de dezembro de 1987.

O título foi retirado de uma peça de teatro do Jô Soares, Viva o Gordo e Abaixo o Regime, fazendo trocadilho com a palavra regime, já que o Brasil estava na fase final da ditadura.

Jô Soares saiu da Rede Globo e reeditou o programa no SBT, com o nome Veja o Gordo em 1988.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Capitão Gay

Era um personagem criado por Max Nunes para (Jô Soares) e seu assistente Carlos Suely (Eliezer Motta), no programa Viva o Gordo, de 1981, primeiro programa humorístico comandado exclusivamente por Jô, que já havia participado na Tv Globo dos humorísticos "Quadra de Setes" (1966), "Faça Humor Não Faça Guerra" (1970), "Satiricom" (1973), "Planeta dos Homens" (1976) e do programa de variedades "Globo Gente" (1973). É considerado um dos personagens clássicos de Jô Soares.[1]


Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Alguns episódios do "Viva o Gordo" foram reprisados no Programa do Jô até 2004.
  • Jô Soares, que estreou no SBT em março de 1988, cumpriu seu contrato com a TV Globo até o final, 15 de dezembro de 1987, data de exibição do último "Viva o Gordo".
  • Era possível rever quadros de sucesso do "Viva o Gordo" no bloco final do Programa do Jô, quando era exibido o quadro "No Fundo da Caneca".
  • Em Portugal, onde o "Viva o Gordo" fez muito sucesso em 1986, quando era exibido pela RTP, a atração podia ser vista, na íntegra, no canal GNT Globo, aos domingos pela manhã (até 2005).
  • Em Portugal, Jô Soares é conhecido como "Gordo", em virtude do sucesso do programa "Viva o Gordo".
  • Em reprise no canal Viva, a partir de 21 de fevereiro de 2011, às 21:00h.
  • O final do programa sempre trazia o personagem Zezinho que dialogava com Jô Soares sempre descontente com o programa por não ter cenas de mulheres ficando sem roupa , entre as que apareciam na esquete , uma delas era a modelo Magda Cotrofe que posteriormente ,foi capa da ediçao brasileira da Playboy e até na edição que trouxe a atriz e ex paquita Andrea Veiga apareciam as “ Garotas do Zezinho“[carece de fontes?].
  • Ao ir para o SBT o programa recebera o nome de Veja o Gordo onde Jô Soares fora derrotado pela Rede Globo que lançaria a sessao “Tela Quente“ e derrotando o SBT com filmes como Star Wars e a trilogia Indiana Jones.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.