Vive Latino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Festival Iberoamericano de Cultura Musical Vive Latino
Apresentação de Vicentico no Vive Latino 2005.
Período de a(c)tividade 1998, 2000, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011
Número de edições 12
Fundador(es) Corporação Interamericana de Entretenimento (CIE-OCESA)
Local(is) Cidade do México
 México
Gênero(s) Rock, Pop, Reggae, Ska
Página oficial www.vivelatino.com.mx


O Festival Iberoamericano de Cultura Musical Vive Latino é um festival de rock celebrado anualmente no espaço de eventos e esportes Foro Sol, na Cidade do México, organizado pela OCESA, uma divisão da Corporação Interamericana de Entretenimento (CIE). É comumente conhecido por Vive Latino.

História[editar | editar código-fonte]

Sua primeira edição foi em 1998. Os dois únicos anos nos quais não foi celebrado foram 1999 e 2002.[1] Conta com vários palcos e tendas, tradicionalmente três (Vive Latino; Indio e Tenda Roja), entretanto a partir do ano 2009 foi instalado um quarto palco denominado “Tenda Intolerante”.[2] Dentro do festival pode-se assistir aos shows dos grupos musicais mais representativos dos gêneros abarcados pelos festivais, de toda Ibero-América e banda latinas dos Estados Unidos como Tito & Tarântula, Devendra Banhart, Los Abandoned, Los Super Elegantes, Ill Niño, The Mars Volta, Los Lobos, Los Straitjackets, Rodrigo y Gabriela e Ozomatli. Entretanto, não está fechado a propostas musicais hispanófilas, nos últimos anos o evento vem recebendo a presença de artistas de todo o mundo, como Save Ferris, The Magic Numbers, Reel Big Fish, Black Rebel Motorcycle Club, Blasted Mechanism, Little Joy, Marky Ramone, Calexico, Rise Against, Empire of the Sun, Deftones e Chemical Brothers.

Neste festival também há uma forte presença do ska e do reggae, com a participação de importantes nomes do gênero como The Wailers, The Skatalites, Desmond Dekker e Steel Pulse, além da participação de grande banda da América Latina como Los Fabulosos Cadillacs, Los Auténticos Decadentes, Gondwana, Maldita Vecindad, Panteón Rococó e Calle 13.

Paralelo as atrações musicais o festival conta com mostras de arte urbana, tais como grafitagem e teatro, com apresentações de artistas de toda Ibero-América. Também está presente a emblemática feira e bazar itinerante Tianguis Cultural Del Chopo.

Vista da arquibancada do palco principal do festival Vive Latino em sua edição 2010.

A última edição do festival, realizada nos dias 8, 9 e 10 de abril de 2011, recebeu mais de 90 bandas das mais diversas nacionalidades. Foi a primeira edição a registrar em material audiovisual todo o planejamento, realização, montagem e difusão do evento, projeto encarregado por Pablo Fulgeria. Outra novidade na edição 2011 foi "Tenda Ambulante", dedicada à projeção de filmes, documentários e demais materiais cinematográficos relacionados com o mundo da música e do rock,[3] este novo projeto teve direção e curadoria de Diego Luna e Gael García Bernal,[2] que foram os anfitriões desta tenda.

Referências

  1. Historia del Festival Vive Latino. Acesso em: 02 julho 2011.
  2. a b Boletín oficial Festival Vive Latino 2011. Acesso em: 02 julho 2011.
  3. Vive Latino 2011: Conferencia de prens. Acesso em: 02 julho 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Festivais de Música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.