Vlado Chernozemski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vlado Chernozemski

Vlado Chernozemski (19 de outubro de 1897 - 9 de outubro de 1934), nascido Velichko Dimitrov Kerin (em búlgaro: Величко Димитров Керин), foi um revolucionário búlgaro, que mais tarde se tornou o terrorista mais perigoso da Europa.[1]

Chernozemski iniciou a sua atividade revolucionária em 1922, quando ingressou na Organização Revolucionária Interna da Macedônia (ORIM)[2] Logo tornou-se um assassino da ORIM. Ele matou dois notáveis ​​políticos búlgaros, o comunista Dimo Hadzhidimov e o membro da ORIM Naum Tomalevski. Em ambas as ocasiões ele foi condenado à morte, mas escapou da punição na primeira e foi liberado a partir da segunda. Após ter sido solto em 1932, tornou-se instrutor da Ustaše. Ele treinou um grupo da Ustaše para assassinar o Rei Alexandre I da Iugoslávia, mas no final acabou por realizar o regicídio em 9 de outubro de 1934, matando também Louis Barthou. Após o atentado, foi alvejado pela polícia francesa e espancado por populares, morrendo no mesmo dia.[3]

Referências

  1. *Istoricheski pregled, Books 1-6, Bŭlgarsko istorichesko druzhestvo, Institut za istoria (Bŭlgarska akademia na naukite), 1987, str. 49.
  2. Promacedonia- Atentado de Marseille de 1934 : (em búlgaro) АТЕНТАТЪТ В МАРСИЛИЯ par Mitre Stamenov, chapitre ВЛАДО ЧЕРНОЗЕМСКИ. ЖИВОТ, ОТДАДЕН НА МАКЕДОНИЯ (Vlado Černozemski, une vie dédiée à la Macédoine, site consulté le 25 février 2009).
  3. Alejandro de Yugoslavia, asesinado en Marsella. Por Edmundo Domínguez Aragonés. El Sol de México, 10 de agosto de 2008.