Voo Aires 8250

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Voo Aires 8250
Sumário
Data 16 de agosto de 2010 (3 anos)
Causa Descontrole devido a pane provocada por queda de raio.
Local Colômbia Aeroporto Internacional Gustavo Rojas Pinilla, San Andrés, Colómbia
Coordenadas 12º 35' 01" N 81º 42' 39" W
Origem Aeroporto Internacional El Dorado, Bogotá
Destino Aeroporto Internacional Gustavo Rojas Pinilla, de San Andrés, Colômbia
Passageiros 121 [1]
Tripulantes 6
Mortos 1[1]
Feridos 114[1]
Sobreviventes 126
Aeronave
Modelo Boeing 737-700
Operador Colômbia Aires
Prefixo HK 4682
Primeiro voo 10 de Janeiro de 2003

O VOO AIRES 8250 era operado pela companhia Colômbiana Aires, utilizando uma aeronave de passageiros Boeing 737-700, que em um voo na madrugada do dia 16 de agosto de 2010, a cerca de 80 m da pista do Aeroporto Internacional Gustavo Rojas Pinilla, em San Andrés, e Colómbia, sofre com o impacto de um raio e partiu-se em três partes.[1]

Segundo o coronel Gustavo Barrero Barrero, comandante do Grupo Aéreo del Caribe de la Fuerza Aérea Airesa (FAC), "a aeronave que fazia o trajecto Bogotá-San Andrés iria pousar no meio de uma terrível tempestade eléctrica quando um potente raio caiu sobre ele e provocou seu descontrolo na cabeceira da pista 06’’". O Voo 8250, que saiu do Aeroporto Internacional El Dorado por volta das 12:07 (hora local) voava com 121 passageiros e 6 tripulantes. Ao pousar, partiu-se em três partes.[1]

O Socorro[editar | editar código-fonte]

A rápida intervenção dos tripulantes e bombeiros evitou que as pessoas ficassem queimadas no meio dos destroços. Foram vários os intervenvientes de ajuda neste acidente, desde a polícia local, civis e inclusive os taxistas, que se encontravam à espera de clientes na parte exterior do aeroporto. Os feridos foram prontamente evacuados em ambulâncias, carros particulares e em táxis até ao Hospital Departamental Amor de Patria, Clínica Villareal e Sanidad Portuaria.

A aeropnave estava sob o comando do capitão Wilson Gutiérrez, natural de Medellín que foi trasladado para a Clínica Villareal, juntamente com o resto da tripulação e 32 passageiros. Para o hospital Amor de Patria foram levadas por volta de 70 pessoas.[1]

Vítimas[editar | editar código-fonte]

A única vítima mortal chama-se Amar Fernández de Barreto. De acordo com as autoridades médicas a mulher sofreu um infarto momentos depois da queda e acabou por morrer durante a viagem até à unidade hospitalar. Todos os outros passageiros encontram-se fora de perigo de vida.[1]

Lista de Passageiros[editar | editar código-fonte]

A aeronáutica civil apresenta abaixo a listagem dos passageiros que foram transladados depois do acidente da aeronave HK4682:[1]

  • María Girón
  • Jaime Moreno
  • Carlos Girón
  • Gilma Girón Trujillo
  • Adrián Rodríguez Castillo
  • Natalia Avellaneda Rodríguez
  • Carlos Avellaneda
  • Mónica Rodríguez
  • Sebastián Vélez
  • Chiag Caboquech
  • Katerine Lobo
  • Ramiro Lobo
  • Guillermo Montenegro
  • Zulma Plaza
  • Sandra Hidalgo
  • Ricardo Ramírez
  • Natalia Loaiza
  • Marisol Marín (criança)
  • Adriana Cárdenas (hospedeira de bordo)
  • Camilo Piñeros (piloto)
  • Airlene Tirada
  • Liani Silvana
  • Hernando Hernández
  • Carolina Carrillo
  • Alirio Granados
  • Alba López (hospedeira de bordo)
  • Diana Ospina (hospedeira de bordo)
  • Carlos Julio Avellaneda
  • Wilson Gutiérrrez (piloto)
  • Mariluz Avellaneda
  • Teddil Narváez
  • Angely Vanessa Torres
  • Tiago Cavalcanti
  • Caroline Gonçalves
  • Alexander Gutiérrez Roa (menor com 1 ano)
  • Martín Quintero (criança de colo)
  • Jerónimo Quintero (criança de colo)
  • Paula Bueno (criança de colo)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]