Voo Avianca 203

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Vôo Avianca 203
Sumário
Data   27/11/1989
Causa do acidente   Bomba terrorista
Local   Colômbia
Mortos   † 110
Feridos   0
Aeronave
Tipo da aeronave   Boeing 727
Empresa aérea   Avianca
Prefixo   HK 1803
Passageiros   101
Tripulação   6
Sobreviventes   0

O vôo 203 da Avianca, um Boeing 727, foi destruído por uma bomba sobre a Colômbia em 27 de novembro de 1989.

O võo iria de Bogotá, capital colombiana, para Cali. O avião estava no ar cinco minutos quando um artefato explosivo foi detonado a bordo, provocando a ignição de vapores num tanque de combustível vazio. A explosão rasgou a aeronave ao meio. Todas as 107 pessoas a bordo foram mortas. Os restos do avião, ao cair no solo, ainda mataram 3 pessoas.

A explosão à bomba do vôo 203 foi o pior ataque criminoso em muitas décadas de violência na Colômbia. O Cartel de Medellín assumiu a responsabilidade pelo ato, dizendo que o alvo era Cesar Gaviria Trujillo, o então candidato a presidente líder nas pesquisas, embora ele não estivesse no vôo. Dandeny Munoz-Mosquera, o chefe assassino do Cartel de Medellín, foi sentenciado pela Corte Distrital dos Estados Unidos a uma pena de detenção que chegava ao período de dez vidas consecutivas.

Ver também[editar | editar código-fonte]