Voortrekkers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A bandeira dos Voortrekkers

Os Voortrekkers (Africâner e Neerlandês para pioneiros, literalmente "aqueles que caminham à frente") eram imigrantes que durante os anos 1840 e 1850 saíram da Colónia Britânica do Cabo, para o interior do que é hoje a África do Sul, num movimento designado "Die Groot Trek" (a grande caminhada).

A Grande Caminhada não foi um movimento organizado de raiz, mas sim um movimento migratório que, em várias levas e sob várias lideranças (de, por exemplo, Louis Trichardt, Hendrik Potgieter, Sarel Cilliers, Pieter Uys, Gerrit Maritz, Pieter Retief e Andries Pretorius), levou milhares de africânderes (bôeres) para fora da zona administrada pelos Britânicos no Cabo.

Os Voortrekkers eram sobretudo originários das áreas rurais da zona Este da província do Cabo, mas não exclusivamente. Havia igualmente muitos artesãos, comerciantes, etc.

O modelo deste movimento migratório era baseado na própria cultura boer, que desde sua chegada ao Cabo se tinha baseado no avanço para o interior em caravanas acompanhadas por manadas de gado bovino e ovelhas; este estilo de vida semi-nómada era aliás característico de uma parte do povo boer, conhecido como Trekboer, que percorriam a colónia com os seus rebanhos de uma pastagem para outra ao sabor das estações.

Um grupo de Voortrekkers avançou para Natal, onde negociou um tratado de cedência de terras com o rei Zulu Dingane, contudo os Zulus renegaram porteriormente o tratado e atacaram os Voortrekkers, matando cerca de metade dos deles que lá se haviam estabelecido. Outro grupo seguiu para o Norte, para a região de Waterberg, onde para muitos a "Grande Caminhada" terminou, ao estabelecerem-se em fazendas de criação de gado.

Mas, e apesar dos reveses, os Voortrekkers não estavam dispostos a desistir de Natal. Andries Pretorius, um auto-proclamado líder dos Voortrekkers estabeleceu novas negociações de paz com Dingane, com o pressuposto de este devolver a terra disponibilizada no tratado anterior. Os Zulus reagiram enviando cerca de 12.000 guerreiros impis para atacar os Voortrekkers; o recontro teve lugar a 16 de Dezembro de 1838, junto ao rio Nacome (e ficou conhecida como a Batalha de Blood River). Apesar da superioridade numérica dos Zulus, os Voortrekkers derrotaram os impis Zulus, uma vez que este estavam armados com suas armas tradicionais (lanças), que não estavam à altura das espingardas de carregar pela culatra dos Voortrekkers.

A vitória trouxe, para além da terra, a confiança política para a fundação da República de Natália, que mais tarde seria anexada pelos ingleses, em 1843.

Após a anexação, parte de sua população boer iniciou nova migração para o Norte, para se juntarem a outros grupos de Voortrekkers que aí se haviam estabelecido.

Dos vários conflitos armados com os Ndebele sob a liderança de Mzilikazi e com os Zulus sob Dingane, dos quais os Voortrekkers saíram vitoriosos, levou-se ao estabelecimento de várias pequenas outras repúblicas Africânderes, que com o tempo foram-se fundindo, levando à criação do Estado Livre de Orange e da República da África do Sul. Estes dois estados seriam extintos e seus territórios anexados em 1900, pelos Ingleses, na sequência da Segunda Guerra Boer.

Ícone de esboço Este artigo sobre a África do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.