Voskhod 2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Voskhod 2
Insígnia da missão
Sinal de chamada Рубин (Rubi)
Estatísticas da missão
Número de tripulantes 2
Lançamento 18 de março de 1965, 07:00 UTC
Cosmódromo de Baikonur LC1
Aterrissagem 19 de março de 1965, 09:02: UTC
59.37° N, 55.28° E
Órbitas 17
Duração 1 dia 2 h 02 min 17 s
Navegação
Último
Último
Voskhod-1 mission patch.svg Voskhod 1
Soyuz 1 Soyuz-1-patch.png
Próximo
Próximo

Voskhod 2 foi a segunda nave espacial soviética enviada ao espaço pelo Programa Voskhod. O lançamento do veículo aconteceu no dia 18 de março de 1965, através do Cosmódromo de Baikonur. A missão foi a primeira a registrar uma caminhada espacial, feita pelo cosmonauta Aleksei Leonov, na história da exploração espacial.

A nave espacial tinha as mesmas características estruturais da Voskhod 1, com um foguete de reentrada com combustível reserva, adicionada ao módulo da descida. O assento de ejeção foi removido e dois suportes foram adicionados no interior em ângulo de 90 graus. Uma cabine pressurizada inflável exterior foi adicionada ao módulo de descida do lado oposto à escotilha de entrada.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Parâmetros da missão[editar | editar código-fonte]

Missão[editar | editar código-fonte]

Ficheiro:1101650326 400.jpg
Aleksei Leonov no espaço, na capa da revista TIME, de 26 de março de 1965.

A missão foi histórica, pois marcou o primeiro passeio espacial de um ser humano na história da astronáutica, mas não ocorreu sem um percalço.. Leonov vestiu uma roupa especialmente preparada para a caminhada no espaço, enquanto Belyayev permaneceu na nave. Durante 12 min 9 s, Leonov ficou no espaço com um fino cabo ligando seu traje à nave. A 'caminhada' teve início quando a nave estava sobre o noroeste da África (perto do norte do Sudão e sul do Egito) e terminou na Sibéria oriental, na União Soviética. Porém, problemas com a roupa de Leonov prejudicaram o regresso à nave espacial. Ao tentar voltar à cabine, ele descobriu que seu traje tinha inflado e não passava pela pequena escotilha. Ele foi forçado a fazer uma despressurização da roupa para que pudesse pssar novamente pela escotilha da cápsula. 1 Depois de entrar no módulo, a escotilha primária não foi fechada completamente. O sistema de controle de ambiente da cápsula fez com que a cabine recebesse oxigênio, criando uma situação perigosa em que poderia ocorrer incêndio na cabine, devido a mistura, em condição normais de pressão, do oxigênio com o nitrogênio.2

Durante a reentrada da nave na atmosfera, os retropropulsores falharam. Para resolver a situação, foi acionada manualmente a retrofrenagem. Ainda o módulo de serviço falhou ao se separar do módulo de descida, causando uma seqüência de bruscos giros antes que os cabos que os conectavam fossem desintegrados pelo calor, até que eles finalmente se desconectaram a 100 km de altura.2

Os dois cosmonautas aterrissaram no dia 19 de março. O atraso de 46 s nos procedimentos de reentrada fizeram com a Voshkod pousasse 320 km fora do ponto designado para o pouso, perto de um vilarejo nos Montes Urais, na Sibéria. A tripulação passou duas noites num bosque, cercada por lobos e com temperatura abaixo de zero. Uma equipe de resgate teve que abrir uma clareira no bosque para pousar o helicóptero que socorreu Belyayev e Leonov na manhã seguinte. 1 A missão foi amplamente divulgada pelo mundo com imagens pela televisão, como um grande trunfo do programa espacial soviético. Entretanto, as demais missões da série Voskhod foram canceladas, por terem sido consideradas perigosas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Siddiqi, Asif A. Challenge To Apollo: The Soviet Union and the Space Race, 1945-1974. [S.l.]: NASA.
  2. a b Leonov, Alexei. "The Nightmare of Voskhod 2", Air & Space, 2005-01-01. Página visitada em April 15, 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Programa Voskhod

Vôos de teste: Cosmos 47 | Cosmos 57 | Cosmos 110
Vôos tripulados: Voskhod 1 | Voskhod 2