WYSIWYG

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
O programa a esquerda usa um editor WYSIWYG para produzir um documento. O programa da direita contém código LaTeX, o qual quando compilado vai produzir um documento que parecerá muito semelhante ao documento da esquerda. A compilação do código de formato não é um processo WYSIWYG.

WYSIWYG é o acrônimo da expressão em inglês "What You See Is What You Get", cuja tradução remete a algo como "O que você vê é o que você obtém" (OQVVEOQVO). Significa a capacidade de um programa de computador de permitir que um documento, enquanto manipulado na tela, tenha a mesma aparência de sua utilização, usualmente sendo considerada final a forma impressa. O uso inicial do termo foi relacionado a editores de texto, agora porém é aplicado a qualquer tipo de programa, como, por exemplo, programas de web design.

Dois exemplos clássicos de editores WYSIWYG são o Writer e o Microsoft Word, nos quais o documento é mostrado na tela da mesma forma que será impresso.

O criador do primeiro editor WYSIWYG, o Bravo, foi Charles Simonyi.

Significado[editar | editar código-fonte]

O termo define uma interface com o usuário que permite ao usuário ver algo muito similar ao resultado final que irá obter enquanto um documento ou imagem (ou outro produto qualquer) está sendo criado e modificado. Por exemplo, usando um editor de texto WYSIWYG, o usuário pode editar o texto e vê-lo da forma exata como será impresso.[[Imagen:Lorem Ipsum - WYSIWYG en Latex - tekst als paden.svg|thumb|300px|direita|O programa na esquerda usa o editor WYSIWYG para produzir um documento Lorem Ipsum. O programa da direita contem codigo LaTeX, quando é compilado deve produzir o documento que vai parecer muito similar ao documento da esquerda. O processo de compilar o código de formatar não é um processo WYSIWYG.]]

Para os usuários que entraram em contato com o computador após a invenção das interfaces gráficas GUI, WYSIWYG parece ser o modo natural de trabalhar, porém todas as gerações anteriores de usuários eram habituadas a ver a tela de um jeito e o documento de outro. Ou, ainda, produzir o resultado final por meio de uma linguagem de comandos ou mesmo de uma linguagem de programação, como é feito com os softwares troff, TeX e LaTeX.

Diferenças entre a tela e a impressão[editar | editar código-fonte]

Muitas vezes existem diferenças, mais ou menos sutis, entre o que se tem na tela e o material impresso. Por exemplo, é comum ao usar o Microsoft Excel que o usuário tenha o sistema configurado para mostrar as linhas que separam as células na tela, mas não na impressão.

Existem dificuldades técnicas de produzir uma interface que seja facilmente manipulável e totalmente igual a saída, incluindo questões que são próprias do momento de impressão, como o tamanho do papel, borda branca exigida pela impressora sendo usada. E, mesmo assim, nem sempre o usuário quer ver o documento como será impresso, mas sim em um formato mais adequado para a edição (por exemplo, organizado por tópicos). Por causa disso, ainda são usados modos específicos de edição e visualização na maioria dos programas. Por exemplo, no Microsoft Word você encontra os modos de visualização:

  • Normal
  • Esquema Web
  • Esquema de Impressão
  • Esquema de Leitura
  • Destaques

Além desses, ainda podemos ver o documento no modo de previsão de impressão, onde o esforço de as características da impressora é maior.

Tudo que você consegue[editar | editar código-fonte]

Diversas variações sobre o acrônimo foram criadas, normalmente como piadas evidenciando suas falhas. Hoje em dia, devido ao poder e flexibilidade das aplicações WYSIWYG, muitas das piadas perderam sua força. Nenhum dos acrônimos a seguir é tão reconhecido quanto o original.

WYSIWIS
What You See Is What I See (usado no contexto de aplicações onde vários usuários vêem a mesma informação, como em CSCW)
WYSIWYAF
What You See Is What You Asked For (uma referência aos programas onde uma linguagem de comando ou de programação é usada para gerar a saída)
WYSIAYG
What You See Is All You Get (usado por aqueles que acreditam que os editores WYSIWYG não possuem poder, flexibilidade ou semântica suficiente, como nas linguagens de marcação)
WYSIAWYG
What You See Is Almost What You Get (usado para ironizar as diferenças entre tela e impressão)
WYSIWYM
What You See Is What You Mean
WYSIMOLWYG
What You See Is More Or Less What You Get (novamente, ironizando as diferenças)
WYGINS
What You Get Is No Surprise - (novamente, ironizando as diferenças)
WYTYSIWYTYG
What You Think You See Is What You Think You Get (para programas que não são realmente WYSIWYG, apesar de dizerem que são)
WYCIWYG
What You Cache is What You Get ("wyciwyg://" aparece ocasionalmente na barra de endereços de Web browsers baseados no Gecko, como o Mozilla Firefox. - ou - What You Create Is What You Get -or- What You Click Is What You Get
WYPIWYF
What You Print is What You Fax, brevemente popular no início da era dos faxes, para distinguir software que apresentava a máquina de faxes ao Sistema Operativo através de um "driver" da impressora e portanto tornava possível para qualquer programa capaz de imprimir enviar faxes.
WYGIWYG
What You Get Is What You Get (uma piada sobre o uso de linguagens de marcação)
WYGIWYGAINUC
What You Get Is What You're Given And It's No Use Complaining
YAFIYGI
You Asked For It, You Got It
WYSYHYG
What You See You Hope You Get (mais uma piada, usada pela Microsoft em um vídeo promocional, falando sobre editores não WYSIWYG).
WYSINWOG
What You See Is Not What Others Get (unless by coincidence)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]