Wanda Sá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde setembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Wanda Maria Ferreira de Sá (São Paulo, 11 de julho de 1944) é uma violonista e cantora de bossa nova e música popular brasileira.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Seus pais trocaram São Paulo pelo Rio de Janeiro. Estudava balé e aos onze anos começa a tocar violão. Gostava de bossa nova, e durante a sua adolescência assistiu a muitos espetáculos. Sentava-se na primeira fila para memorizar os acordes do braço do violão. Foi aluna de Roberto Menescal. Em 1962 já fazia parte do professorado de violão da escola de música, que Roberto Menescal tinha junto com Carlos Lyra, em Copacabana. Tem três filhos com o compositor Edu Lobo: Mariana, Bernardo e Isabel.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1962 participou junto com Tom Jobim, Sérgio Mendes e o conjunto Bossa Rio, do programa de TV "ao vivo" - Dois no balanço - direção de Luiz Carlos Miéle e Ronaldo Bôscoli, na TV Excelsior. Durante o antológico show Fino da bossa, no Teatro Paramount, atual Teatro Abril, de São Paulo, foi lançado o longplay Wanda Vagamente em 1964, produzido por Roberto Menescal, com a participação de Dom Um Romão, Edison Machado, os conjuntos de Luís Carlos Vinhas, Tenório Junior e Sérgio Mendes, com os primeiros arramjos de Eumir Deodato (2001 - Uma odisséia no espaço - Assim falou Zaratustra - 1968), constando também as primeiras composições de Edu Lobo, Francis Hime, Marcos Valle e Nelson Motta. Fez parte do conjunto musical Brasil 65 de Sérgio Mendes, indo para os Estados Unidos da América. Volta ao Brasil decidida a prestar vestibular para o curso de Sociologia da Pontifícia Universidade Católica PUC-RJ.

Casou-se com Edu Lobo e foi morar nos Estados Unidos. Deixou suas atividades artísticas para se dedicar à família. Separando-se em 1982 de Edu Lobo, retomou a carreira artística.

Em 1985, Wanda se tornou evangélica, isso entretanto não a fez mudar sua carreira como cantora de música popular[1] .

Participações[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1964 - Wanda Vagamente - RGE
  • 1965 - Brasil´65 - Wanda Sah featuring The Sérgio Mendes Trio - Capitol
  • 1965 - Softly - Capitol
  • 1992 - Brasil Bossa Nova - Pery Ribeiro, Wanda Sá e Osmar Milito
  • 1994 - Brasileiras - Wanda Sá e Célia Vaz - CID
  • 1995 - Eu e a música - Wanda Sá e Roberto Menescal - CID
  • 1997 - Uma mistura fina - Roberto Menescal, Wanda Sá e Luís Carlos Miele - Albatroz
  • 1998 - Estrada Tokyo-Rio - Roberto Menescal e Wanda Sá
  • 2000 - Wanda Sá & Bossa Três - Abril Music
  • 2001 - Relançamento Wanda Vagamente - Dubas Musical/Universal Music
  • 2001 - Bossa entre Amigos - Roberto Menescal - Marcos Valle
  • 2002 - Domingo azul do mar - DeckDisc
  • 2003 - Wanda Sá com João Donato - DeckDisc
  • 2004 - Jesusmania
  • 2005 - Swingueira - Sony e BMG DVD)
  • 2006 - Bossa do Leblon - DeckDisc
  • 2007 - Disney Adventures in Bossanova - Es Tu Meu Príncipe Azul (A Bela Adormecida)

Referências

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.