Warcraft III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Warcraft III: Reign of Chaos
Produtora Blizzard Entertainment
Editora(s) Estados Unidos Blizzard Entertainment
União Europeia Sierra Entertainment
Japão Capcom
Plataforma(s) Windows, Mac OS and Mac OS X
Data(s) de lançamento Estados Unidos 3 de Julho de 2002
União Europeia 5 de Julho de 2002
Japão 2003
Gênero(s) Estratégia em tempo real
Modos de jogo Single player, Multiplayer
Número de jogadores 1 a 12
Classificação Inadequado para menores de 14 anos i DEJUS (Brasil)[1]
Permitido para maiores de 15 anos ESRA (Irã)
Inadequado para menores de 13 anos i ESRB (América do Norte)
Permitido para maiores de 15 anos GRB (Coreia do Sul)[2]
Inadequado para menores de 8 anos i OFLCA (Austrália)
Inadequado para menores de 12 anos i PEGI (Europa)
Inadequado para menores de 12 anos i USK (Alemanha)
Mídia CD
Controles Teclado e mouse

Warcraft III: Reign of Chaos, desenvolvido e lançado pela Blizzard Entertainment em 2002, e expandido em 2003 com Warcraft III: The Frozen Throne, é um jogo eletrônico de estratégia em tempo real com elementos de RPG, feito para PCs.

Warcraft III apresentou uma mudança importante com relação às versões anteriores do jogo: unidades de jogo mais poderosas chamadas "Heroes" (heróis). Um herói no jogo pode achar ou trocar itens mágicos para melhorar suas perícias, seu poder de combate e outros atributos, lembrando RPGs. Heróis podem adquirir auras de proteção que beneficiam unidades aliadas que estão próximas a ele. Assim como nos RPGs, os heróis ganham experiência e conseguem subir de nível.

Outra inovação são os creeps: criaturas controladas pelo computador, presentes mesmo em jogos multijogador. Eles guardam certas áreas do mapa. São aproveitadas para aumentar o nível do herói no início do jogo, já que ele ganha experiência e tesouros.

Warcraft III inclui um editor de mapas. Ele utiliza uma linguagem de script similar ao sistema de eventos de StarCraft, conhecido como JASS.

Warcraft III: The Frozen Throne[editar | editar código-fonte]

Em 29 de maio de 2002, a Blizzard anunciou que a expansão Warcraft III: The Frozen Throne "foi a ouro", o que significa que o jogo foi preparado e enviado para a prensagem dos CDs. Foi lançado em todo o mundo e em várias línguas a partir de 1º de junho. Inclui um novo herói por raça, quatro campanhas, duas novas unidades por raça, cinco novos heróis neutros e algumas novas facilidades como enfileiramento de upgrades. Para jogar, é preciso possuir uma cópia do jogo normal, Reign of Chaos.

Periodicamente são lançadas novas versões de Warcraft III, inicialmente o jogo era vendido na versão 1.07, e a cada atualização são corrigidos erros de programação ("bugs") e de balanceamento do jogo. São adicionadas também correções quase invisíveis no visual do jogo e novos capítulos da campanha dos Orcs ("The Founding of Durotar").

A versão atual é a 1.26, lançada em 01 de março de 2011, essa versão é geralmente utilizada para partidas on-line do próprio Warcraft III, ou de mapas criados por terceiros, sendo o Dota All-stars o mais conhecido mundialmente. Essa versão apresenta diversas melhorias de balanceamento e algumas novas opções, como salvar replays automaticamente.

Warcraft III: Battlechest[editar | editar código-fonte]

A Blizzard lançou no mesmo ano do lançamento de Warcraft III: The Frozen Throne o pacote Warcraft III: Battlechest contendo o jogo Warcraft III: Reign of Chaos com sua expansão Warcraft III: The Frozen Throne.

Facções[editar | editar código-fonte]

As quatro facções do jogo têm vantagens diferentes, desde a maneira de coletar os recursos (Ouro e Madeira) até os tipos de unidades, que são únicas por raça. Várias características são similares aos atributos raciais das facções de Starcraft. Os Night Elves, por exemplo, lembram os Terrans no aspecto de que suas construções podem levantar e se movimentar; também lembram os Zergs devido ao trabalhador ser sacrificado para criar a construção. Os Undead, tais como os Zergs, também corrompem o solo com suas construções, e a maioria das construções só podem ser feitas no solo contaminado.

Humans[editar | editar código-fonte]

Os Humanos, lutam ao lado de elfos e anões, defendendo os reinos da Alliance (Aliança). Embora a Aliança esteja enfraquecida em consequência das sucessivas guerras, os cidadãos de Azeroth e Lordaeron ainda empunham suas armas contra os inimigos da Humanidade. Suas unidades em geral possuem boa defesa e unidades variadas e equilibradas. Seus trabalhadores podem construir em conjunto para concluir as construções mais rápido.

Orcs[editar | editar código-fonte]

Os Orcs que já cultivaram uma sociedade shamanista no mundo de Draenor, foram corrompidos pela magia da Burning Legion (Legião Flamejante) e aliando-se aos Trolls e Ogros formaram a Horde (Horda). Atraídos para Azeroth por um portão dimensional (o Dark portal) aberto por Medivh, O Profeta, a Horda foi manipulada contra os Humanos de Azeroth e Lordaeron, facilitando a posterior invasão da Burning Legion. Depois de vencidos os orcs que permaneceram em Azeroth eventualmente retornaram a suas tradições xamanistas sob o comando de Thrall. Fugindo de Azeroth para Kalindor eles se aliaram aos Trolls Headhuntes e, em Kalindor, aos Taurens formando a Nova Horda. Os Orcs possuem as unidades mais caras e poderosas do jogo, investindo mais em qualidade do que em quantidade. Suas construções podem ser barricadas com espinhos que dão dano aos atacantes.

Undead[editar | editar código-fonte]

A armada Undead, também conhecida por Scourge , é formada por mortos-vivos e almas amaldiçoadas. A Scourge foi criada pela Burning Legion para espalhar o terror no mundo antes da chegada da mesma. O comando da Scourge foi por muito tempo do Lich King,este teve Kel'Thuzad como seu braço direito por muito tempo. O atual portador do trono Lich king (que pertencia a Ner'zul) agora é de Arthas (o antigo príncipe Arthas filho do Rei Terenas Menethil II, príncipe coroado de Lordaeron e antigo Paladino da Silver Hand),ele ao subir os montes do leste em Northrend, o continente esquecido, fundiu-se com Lich King (Ner'zul (Frozen Throne), que estava perdendo seus poderes e assim fazendo com que Arthas também perdesse os seus) tornando a si mesmo um dos Reis e seres mais poderosos do mundo de warcraft. Os Undeads utilizam de práticas necromancistas e os poderes elementais do norte gelado contra seus inimigos. Ao construir, o solo ao redor da construção é contaminado por Blight (Peste). As unidades que ficam sobre Blight ganham regeneração de vida extra. Seus trabalhadores são os Acolytes, que não precisam construir e não pegam madeira, apenas invocam as construções. A unidade mais básica de infantaria Undead é responsável pela coleta de madeira.

Elfo Noturno[editar | editar código-fonte]

Os Elfos Noturnos foram a primeira raça a aparecer no mundo de Warcraft e também os primeiros a estudar magia. Aliados das Dríades, Hipogrifos e outras criaturas da floresta, eles formam o grupo dos Sentinelas. Eles evitaram a invasão da Legião Ardente, porém sua terra natal foi dividida e engolida pelo mar. Desde então, os Elfos Noturnos pararam de usar magia arcana temendo a volta da Legião e se isolaram no topo da montanha Hyjal por milhares de anos. As unidades Elfo Noturno se especializam em ataque a distância e magias de cura, manipulação da natureza e metamorfose. Seus trabalhadores são Espíritos que não destroem as árvores, e, como o nome indica, a maioria das unidades Elfos Noturnos ganham bônus à noite, como regeneração de vida extra e a habilidade de se camuflar.

Naga[editar | editar código-fonte]

Uma facção jogável apenas na campanha. Foram a última raça a aparecer e foram primeiramente vistos por Thrall e seus orcs, numa parada inesperada no meio do Grande Oceano. São monstros aquáticos, variando sua forma em seres semelhantes a crocodilos, sereias, peixes, tartarugas, etc. Eles um dia já foram Nigh Elves, mas na guerra dos anciões pela cobiça de magia eles ficaram ao lado da Burning legion e Azshara, e ao perderem a guerra caíram ao mar com a destruição de sua terra natal e da Well of Eternity, se transformando em aberrações adaptadas para a vida aquática com a explosão mágica. Depois quase todos adormeceram pelo mandado da rainha Azshara para se fortalecer e voltar a dominar.

Depois vieram ao chamado de Illidan, um Herói traidor dos Night Elves. Seus fins para dar esse chamado foi destruir o trono de gelo (Frozen Throne). Illidan traiu seu irmão e toda a sua raça para ganhar poder, porém no final ele teve se aliar novamente ao seu irmão para salvar Tyrande, esposa de seu irmão. Os Naga então permaneceram junto dos elfos de sangue após a quase morte de Illidan em seu confronto contra Arthas aos pés do Frozen Throne. As unidades Naga tem a habilidade de nadar na água, o que facilita os jogadores a andar livremente pelo mapa mesmo tendo mares. E além disso, os Naga não tem campanha própria, eles são apenas jogáveis na campanha da Alliance: Curse of the Blood Elves em cooperação com os humanos no Warcraft III: The Frozen Throne.

Campanhas[editar | editar código-fonte]

O modo Campanha do jogo é dividido em partes, onde cada parte enfoca uma das raças. Cada parte é, então, dividida em capítulos, que são como missões ou fases.

Warcraft III: Reign of Chaos[editar | editar código-fonte]

Prologue: Exodus of the Horde[editar | editar código-fonte]

Nome em português: O Êxodo da Horda.

Capítulo 1: Chasing Visions (Perseguindo Visões)[editar | editar código-fonte]

A introdução à história de Warcraft. Tudo se inicia quando Thrall (Líder de um Clã Orc) tem uma visão do Profeta que diz para Thrall o encontra-lo. O Profeta diz que os Demonios estão retornando e o manda para Kalimdor. E apesar de Thrall estar desconfiado dele, os espíritos lhe dizem para confiar no Profeta. São ensinadas noções básicas do gênero RTS e algumas unicidades presentes no Warcraft III.

Capítulo 2: Departures (Partidas)[editar | editar código-fonte]

Thrall aguarda em um acampamento o resto dos exércitos Orcs para fazer a viagem a Kalimdor, mas descobre que Grom Hellscream (considerado irmão por Thrall) foi capturado pelos Humanos que possuem uma base próxima. Após o resgate de Grom, eles usam as embarcações Humanas para ir a Kalimdor. O jogador é ensinado a construir e manter uma base simples.

Humans: The Scourge of Lordaeron[editar | editar código-fonte]

Nome em português: O flagelo de Lordaeron.

Uma estranha contaminação afetou o reino dos Humanos. O Príncipe Arthas, um jovem paladino, decide investigar quem está por trás disso. Ele descobre que Mal'Ganis, um Dreadlord, trouxe a contaminação a Lordaeron. Arthas, após reencontrar uma antiga colega, Jaina Proudmoore eles percorrem diversas vilas contaminadas. Vendo o caos que a praga estava causando eles matam Kel'thuzard, um antigo membro do Kirin Tor de Dalaran, agora um Necromante que havia ajudado a espalhar a praga. Antes de morrer, alertou que ele não era mais útil a Scourge e sua morte não iria parar a praga. Arthas, volta a Andorhal e se vê obrigado a matar todas as pessoas que estão contaminadas, para evitar que virem mais soldados para a crescente legião de mortos-vivos. O Profeta Medivh diz a ele para esquecer isso e partir à oeste imediatamente, mas Arthas não ouve o Profeta e executa a matança. Jaina, que o estava ajudando até o momento, horrorizada pelo que aconteceu, decide seguir as ordens do profeta. Arthas desafia Mal'Ganis para um combate, mas Mal'Ganis recusa e diz a Arthas para reencontrá-lo nas terras geladas do Norte. Tomado pela sede de vingança, ele e seus seguidores vão para o continente de Northrend e encontram um aliado, o anão Muradin Bronzebeard. Ele diz a Arthas que seus homens foram encurralados pelos mortos-vivos. Os dois se juntam para derrotar os mortos-vivos que os ameaçam. Quando os soldados de Arthas ameaçam ir embora pela falta de recursos naquela terra inóspita, Arthas chega ao ponto de destruir os navios para evitar que fujam. Após, Arthas e Muradin partem em busca de uma espada poderosa, Frostmourne, com a qual eles poderiam derrotar Mal'Ganis, de acordo com Muradin. A espada possui uma maldição : " As the blade rends flesh, so must power scar the spirit ", mas Arthas alega que suportará qualquer perigo pelo seu povo. Ao retirar a espada, um estilhaço de gelo fere ( aparentemente matando ) Muradin, e Arthas vai embora. Com a espada Frostmourne em mãos, Arthas mata Mal'Ganis. Pegar a espada foi o seu fim, pois a mesma era um meio do líder da Scourge, uma entidade até então desconhecida, de selecionar um sub-líder para realizar seu plano maligno.

Undead: Path of the Damned[editar | editar código-fonte]

Nome em português: O caminho dos malditos.

Depois de retornar à sua terra natal e assassinar seu próprio pai, o rei Terenas de Lordaeron, Arthas agora serve aos mortos-vivos como um poderoso Death Knight, um grupo de paladinos caídos. Tichondrius, um Dreadlord, agora o guia e diz a ele para recuperar a urna com os restos mortais de Kel'Thuzad, visando ajudá-lo em sua jornada para destruir o norte de Lordaeron, a residência dos elfos, Quel'thalas. Após muito esforço o reino élfico é despedaçado, e Arthas consegue ressuscitar Kel'Thuzad. Logo eles vão as montanhas BlackRock, ao que restou das tribos da horda em Lordaeron. Logo os orcs acharam que os demônios estavam testando sua competência como agentes da Burning Legion, e não permitiram à Scourge se comunicar com Archimonde. Depois de muitos orcs caídos, eles se comunicaam com Archimonde através de um Demon Gate, onde ele ordena ser trazido ao mundo de Azeroth, através dos encantamentos contidos no livro de Medivh, em Dalaran, a capital de magia em Lordaeron. Depois de matar o arquimago Antonidas e os últimos membros do Kirin Tor, eles conseguem o livro. Kel'Thuzad, então, se encarrega de invocar Archimonde no mundo físico para depois tramarem seu plano. Mas Archimonde não liga muito para os dois e torna Tichondrius seu seguidor. Archimonde invoca outros demônios como Mannoroth que antigamente comandava os orcs e que agora queria o controle novamente, para isso ele amaldiçoa uma fonte de águas em Kalimdor com seu sangue demoníaco.

Orcs: The Invasion of Kalimdor[editar | editar código-fonte]

Nome em português: Invasão a Kalimdor.

A Horda foi separada depois de um desastre. Thrall, o vidente, tenta reunir alguns Orcs para ajudá-lo. Ele conhece Cairne Bloodhoof, um Tauren. Ele informa Thrall que eles estavam sendo massacrados pelos centauros, e precisavam de ajuda. Depois de ajudá-lo, Cairne disse que para encontrarem o que queriam, eles deveriam ir para o Norte para consultar o Oráculo. No caminho Thrall encontra Grom Hellscream e pede que ele não ataque os humanos, não obedecendo as ordens e atacando a base dos humanos, Thrall percebe que é este o seu destino: lutar contra a raça humana. Os dois então, ajudados por Cairne Bloodhoof partem para o norte em busca do Oráculo. Thrall castiga Grom pela exterminação dos humanos e o manda ir a Ashenvale encontrar madeira para que faça um acampamento enquanto ele se encarrega do Oráculo e os dois então se separam. Para fazer o acampamento, Grom precisa de muita madeira e acaba quase desmatando a floresta de Ashenvale enfurecendo os elfos que moram ali. Então Cenarius, o Senhor da Natureza aparece, faz renascer todas as árvores e ataca os orcs. A tropa de Grom diz que há um estranho poder naquela floresta que pode ser a chave para derrotar Cenarius, ele então parte para o centro do poder que na verdade é a fonte amaldiçoada por Mannoroth e bebe sua água. Depois de ficarem mais fortes com a água os orcs conseguem derrotar Cenarius. Mannoroth aparece e diz que agora os orcs pertecem a ele, assim Grom é escravizado pelas magias demoníacas de Mannoroth. No mesmo momento Thrall entra na caverna do Oráculo e encontra Jaina, e descobre que na verdade o Oráculo é o Profeta que mandou os dois ali. Ele diz que eles precisam unir forças para acabarem com o mal que está para destruir suas raças e salvar Grom da perdição. Thrall, com a ajuda dos humanos e de Cairne captura Grom que é "limpo" das magias e volta a consciência. Ele diz que Mannoroth está no Vale, os dois orcs então partem para matá-lo, mas Grom se sacrifica acabando com a vida de Mannoroth e salvando os orcs de uma nova horda demoníaca. Agora sob o comando de Thrall, não mais influenciados pela Burning Legion batalham contra a mesma usando de seus poderios militares e shamanistas, cultivando uma nova sociedade em Barrens, Kalindor.

Night Elves: Eternity's End[editar | editar código-fonte]

Nome em português: O fim da eternidade.

Os elfos noturnos acreditam que se os humanos e os orcs são inimigos da natureza por eles terem matado Cenarius, o Protetor de Ashenvale, então eles decidem vingar a morte de Cenarius. Os líderes da Scourge dão as caras. Tyrande e Furion Stormrage se encarregaram de acordar os Druidas do seu sono eterno. Tichondrius, Archimonde e os mortos-vivos estão em seu máximo potencial. Os Humanos, liderados por Jaina, os Orcs, liderados por Thrall, e os Night Elves, liderados por Tyrande e Furion, têm de impedir Archimonde de destruir a Árvore do Mundo. Illidan Stormrage, o caçador de demonios, estava em uma prisão por ja ter sido, em parte, viciado em magia arcana, e traído seu povo há muitos anos ná guerra dos anciões. Tyrande o liberta, mesmo sob os avisos de Furion. Illidan confronta Tichondrius enquanto os outros dois confrontam Archimonde.Logo Arthas avisa Illidan sobre o crânio de Guldan, o que corrompeu felwood, e com uma sede de magia não saciada por dez mil anos, ele drena o poder e se transforma em um ser horrendo, logo em seguida destroça Tichondrius, assim como Arthas e seu líder queriam... Logo Illidan, agora um demônio é exilado por Furion e nunca devia voltar a Kalindor. Em seguida no monte Hial eles confrontam Achimonde,onde foram facilmente derrotados,e então ele chegou a árvore do mundo, mas era uma armadilha. Assim que Archimonde chegou, os espíritos da floresta, acordados por Furion destroçaram Archimonde e sua Horda de demônios, mas essa explosão destruiu a árvore do mundo, tirando assim a fonte da vida eterna dos elfos.

Warcraft III: The Frozen Throne[editar | editar código-fonte]

Sentinels: Terror of the Tides[editar | editar código-fonte]

Nome em português: Terror das Ondas

Illidan causou um caos em Ashenvale. A sua forma demoníaca deixou-o descontrolado e desesperado por magia e, para ajudá-lo a encontrar uma fonte ele acordou a raça dos naga, que são lagartos marinhos com um passado antigo e devastador, fazendo assim dos nagas um aliado.

Maiev, a carcereira de Illidan por dez mil anos viu que estrago Illidan fez a sua terra recém recuperada depois do estrago de Archimonde e parte para captura-lo novamente junto com a caçadora amiga Naisha. Maiev chegou aos destroços de broken isles, e seguiu os passos de Guldan para achar Illidan e sua fonte, logo ela descobre que a fonte é o olho de Sargueras, o titã e descobre o verdadeiro surgimento dos naga, logo Naisha se sacrifica para Maiev fugir, e isso a deixa com sede de vingança. Tyrande e Furion estão de volta junto com Maiev. Eles partem para o reino destruído de Lordaeron perseguindo Illidan que planeja destruir o norte do planeta com o olho de Sargueras. Eles encontram um grupo de Blood Elves da Aliança e oferecem ajuda contra a Scourge que era dominante para voltar a os restos de Quel'thalas. Mas os mortos-vivos estão lá para destruir o comboio com os suprimentos de armas e magia, para deixar os Blood Elves fracos e finalmente destrui-los. Mas com isso Tyrande quase se sacrifica para salva-los, destruindo uma ponte em que estava em cima. Depois disso, Illidan ajudou Furion a salvar Tyrande que depois fugiu para Outland do descontrolado senso de justiça de Maiev.

Alliance: Curse of the Blood Elves[editar | editar código-fonte]

Nome em português: A Maldição dos Elfos Sangrentos

Príncipe Kael, filho do antigo rei de Quel'thalas Anasterian Sunstrider, agora morto, sai em busca de sobreviventes. Depois de voltar de Dalaran, ele viu seu reino devastado, e seu pai morto, logo ele abandonou as magias de gelo e água do Kirin Tor e adiciona fogo e sombras. Ele e seus seguidores se rebatizam de Blood elves, ou elfos sangrentos em memória aos que caíram em Quel'thalas. Depois de voltar do oeste de Lordaeron, eles voltam às ruínas de Dalaran onde Lord Garithos, um humano racista deu a eles uma tarefa humilhante de reparar os observatórios, mas um grupo da Scourge destruiu todos os barcos, logo sem meios de transporte eles não iam conseguir chegar ao próximo observatório, entretanto a Lady vashi, uma Naga os ajudou. Mas garithos armou para eles, e os colocou contra uma horda de mortos-vivos e seriam devastados se não fossem ajudados pelos naga. Vendo que seu plano não deu certo e que os Naga eram intimidadores Garithos os "acusou" de traição e os mandou para as masmorras. Depois de os naga ajudá-los novamente, o restante dos Blood elves fugiram para Outland junto com os Naga para encontrar uma nova fonte de poder, lá eles ajudaram Illidan escapar de Maiev, vendo forte aliados, Illidan atacou os Dimensional Gates de Outland e os ensinou que magia Fel é um jeito de saciar o vicio, e logo em seguida em uma tripla força eles derrotaram Magtheridon, tomando black citatel e Outland, e eles descobriram então o verdadeiro mestre de Illidan. Mas com o coração amargurado e uma sede insaciável de magia, não sabemos o que o futuro espera dos blood elves...

Scourge: Legacy of the Damned[editar | editar código-fonte]

Nome em português: Legado dos Amaldiçoados

Arthas se auto nomeia como rei da Scourge. Este tem que destruir várias vilas Humanas e impedir que estes escapem como um "presente" ao Lich king. Então, Arthas sente dores terríveis e diminuição de seu poder. É o Lich King falando com ele, diretamente do Trono Congelado, que fica no norte-gelado. Ele detectou que alguém quer destruir o Trono, e convoca Arthas a voltar para Northrend imediatamente. Sylvanas Windrunner, a Arqueira que virou Banshee, tenta matar Arthas com uma flecha venenosa (Esta virou Dark ranger). E os Necromantes de Kel'Thuzad morrem sem razão, e então Arthas sente as dores de novo. O Rei Lich acredita que Arthas está demorando muito para voltar, e manda Arthas se apressar. No caminho para Northrend, conhece Anub'arak, um Lorde Aracnídeo que o ajuda em sua jornada mostrando-o um atalho. Na batalha final, Arthas confronta Illidan, derrotando-o. Arthas então sobe ao Trono Gelado, tornando-se o novo Lich King.

Horde: The Founding of Durotar[editar | editar código-fonte]

Nome me português: A Descoberta de Durotar

O Almirante Proudmoore, pai de Jaina, não acredita que a Horda está do lado dos Humanos e tenta destrui-los. Rexxar tem de conseguir reforços de todos os jeitos para ajudar Thrall a sobreviver aos ataques. Ele primeiro vai pedir ajuda a Cairne Bloodhoof, que primeiramente recusa por acreditar que seu filho Baine está morto. Rexxar, após encontrar Baine, consegue a ajuda de Cairne e dos Minotauros. Depois, encontra na vila um Ogre que precisa desesperadamente de ajuda. Rexxar vai até o líder do clã do Ogre e se junta a este. Por este recusar-se a ajudar a Horda, Rexxar desafia o líder Ogre e tem de derrotá-lo. Então tem os Minotauros (Tauren) e os Ogres ao seu comando. Agora estão prontos para a batalha contra o Almirante Proudmoore. (Nota: Esta jornada não tem nada relacionado à história de Illidan.)

Multiplayer[editar | editar código-fonte]

No modo multiplayer, é possível além de jogar mapas do Warcraft III Reign of Chaos (ROC, como é popularmente conhecido) e da expansão The Frozen Throne (TFT) é possível jogar mapas customizados, que são feitos utilizando o editor de mapas. Os modos mais comuns de se conectar a outros são jogadores são pela Battle.net[3] , GG-Game[4] e Eurobattle[5]

Mapas[editar | editar código-fonte]

DotA All-stars (Defense of the Ancients)[editar | editar código-fonte]

É um mapa adaptado para combates entre heróis muito jogado em LAN Houses onde o Warcraft é muito popular. No início, você escolhe entre os Sentinels ou a Scourge. Você escolherá um herói para o combate. Note que há várias lojas com itens para ajudá-lo na luta. Depois de segundos de jogo, aparecerão unidades (creeps) que irão atacar a base inimiga, do outro lado do campo. (Sentinels no sudoeste, e a Scourge no nordeste do mapa). Você não pode controlar essas unidades, apenas seu herói. Mate as unidades do lado oposto e seu herói irá subir de nível e aprender habilidades próprias. Para vencer, a Scourge deverá destruir as Ancient Towers níveis 1, 2, 3, os defensores da World Tree, e a World Tree. Para os Sentinelas, eles deverão destruir as Spirit Towers níveis 1, 2, 3, as defensoras do Frozen Throne, e então destruir o Trono. O primeiro time a destruir a World Tree ou o Frozen Throne, ganha o jogo.

Nota: Este mapa só funciona na versão Frozen Throne, mas há versões adaptadas para ambas as versões, mas são bem antigas e difíceis de serem encontradas.

Island Defense (ID/Island)[editar | editar código-fonte]

É um jogo clássico bem conhecido, com um objetivo simples, sobreviver ao titã que é controlado, por um jogador. Você faz parte de uma tribo de pequenos animais que devem sobreviver e acabar com o titã de uma vez por todas, que acorda em uma ilha com uma sede insaciável de destruição, com apenas um objetivo, obter reino total da pequena ilha fora do mapa. Aos defensores cabe apenas acabar com o titã, mas se o titã conseguir acabar com um dos defensores, ele se torna um mini-titã, ao lado de seu mestre. Esse pequeno titã pode ser controlado pelo jogador principal, dono do titã, ou o dono do defensor, dependendo apenas do que o titã principal quer.

Referências

  1. Warcraft III: Reign of Chaos. Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação. Página visitada em 20 de abril de 2010.
  2. Warcraft III: Reign of Chaos (em coreano). Game Rating Board. Página visitada em 20 de abril de 2010.
  3. Battle.net.
  4. GG-Game.
  5. Eurobattle (em inglês). Página visitada em 16/08/2009.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]