Wayne Bridge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wayne Bridge
WayneBridge.jpg
Informações pessoais
Nome completo Wayne Michael Bridge
Data de nasc. 5 de agosto de 1980 (34 anos)
Local de nasc. Southampton,  Reino Unido
Altura 1,80 m
Canhoto
Informações profissionais
Clube atual Inglaterra Reading
Número 18
Posição Lateral-esquerdo
Clubes de juventude

19961998
Inglaterra Olivers Battery
Inglaterra Southampton
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
19982003
20032009
2006
20092013
2011
2012
2012-2013
2013-
Inglaterra Southampton
Inglaterra Chelsea
Inglaterra Fulham (emp.)
Inglaterra Manchester City
Inglaterra West Ham United (emp.)
Inglaterra Sunderland (emp.)
Inglaterra Brigton & Hove Albion (emp.)
Inglaterra Reading
151 0000(2)
087 0000(1)
012 0000(0)
042 0000(0)
015 0000(0)
008 0000(0)
037 0000(3)
010 0000(0)
Seleção nacional3
19981999
19992001
20022009
Flag of England.svg Inglaterra Sub-18
Flag of England.svg Inglaterra Sub-21
Flag of England.svg Inglaterra
003 0000(0)
008 0000(0)
036 0000(1)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 6 de fevereiro de 2014.


3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 12 de janeiro de 2011.

Wayne Michael Bridge (Southampton, 5 de agosto de 1980) é um futebolista inglês que atua como lateral-esquerdo. Atualmete, joga pelo Reading.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Bridge atuava pelo Olivers Battery, um clube amador, como centroavante, e foi descoberto pelo olheiro Micky Adams, que o levou ao Southampton em 1996. Foi um atacante em seu primeiro jogo pelo time B dos "Saints", contra o Portsmouth. Estreou pelo time principal em 16 de agosto de 1998, no lugar de John Beresford, num jogo de pré-temporada. Estreou pelo time oficial numa derrota por 5 a 0 para o Charlton Athletic. Bridge, já deslocado para a ponta-esquerda, foi uma das vítimas da má campanha do time na temporada, na qual escapou por pouco do rebaixamento.

Na temporada seguinte, Bridge se aproveitou de lesões do titular Francis Benali para recobrar seu lugar no time, na lateral. Ficou lá e não saiu mais. Marcou seu primeiro gol na temporada, contra o Wimbledon. Na temporada 2000-01, Bridge jogou todos os minutos dos jogos do Southampton na temporada, sendo votado Jogador do Ano pelos torcedores.

Chelsea[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2003 foi contratado pelo Chelsea, na chegada do milionário russo Roman Abramovich. Na chegada dele a Stamford Bridge, os torcedores não ficaram muito entusiasmados, mas após uma memorável comemoração de um gol num jogo contra o Portsmouth, Bridge entrou no coração dos torcedores dos Blues.

Ganhou mais espaço ainda quando marcou no jogo Arsenal 1-2 Chelsea, válido pela Uefa Champions League 2003-04. Sendo o Arsenal um rival londrino, os mandos de campo não costumam contar em dérbis assim, mas os Gunners tinham vencido na casa do Chelsea, obrigando o time azul a vencer na casa do rival. Bridge fez o gol da vitória aos 90+1' num passe de Eidur Gudjohnsen que despachou o Arsenal em pleno Highbury.

Bridge quebrou o tornozelo na temporada 2005-06 e, quando retornou, tinha a competição do francês Gallas e do espanhol Del Horno. Preferiu ser emprestado ao Fulham, onde os fãs o apelidaram de "Putney", graças à Ponte Putney (em inglês, Putney Bridge) que dá acesso ao estádio local.

Na temporada 2006-07, estava de volta ao Chelsea, desta vez disputando posição com o concorrente pela mesma vaga na Seleção - Ashley Cole. Tornou-se uma ótima opção para José Mourinho, que sofreu muito com desfalques nesta temporada. Bridge chegou a jogar de zagueiro central em emergências. Fez parte da final na qual o Chelsea ganhou a Copa da Liga Inglesa contra o Arsenal por 2 a 1. Na confusão entre o marfinense Touré e o nigeriano Obi Mikel, Bridge recebeu um soco na nuca de Eboué e caiu desacordado. Bizarramente, o juiz expulsou Adebayor pelo lance.

Manchester City[editar | editar código-fonte]

Dia 2 de janeiro de 2009 o Manchester City o contratou por cerca de 12,4 milhões de euros, aproximadamente R$ 40 milhões, após quase 4 anos em Stamford Bridge, Bridge decidiu ir para os Sky Blues após perder espaço com a chegada do novo treinador do Chelsea que pouco o colocou para jogar.

Em janeiro de 2011 após secessivas partidas no banco de reservas dos blues skys, Brigde foi emprestado ao West Ham até ao final da temporada.

Carreira na Seleção[editar | editar código-fonte]

Estreou na seleção inglesa no dia 13 de fevereiro de 2002 e marcou seu primeiro gol com a camisa da seleção inglesa num jogo contra a Islândia no dia 5 de junho de 2004. Em 2002, ganhou a briga com o veterano Graeme Le Saux para ser reserva de Ashley Cole no grupo que foi à Copa do Mundo de 2002, sendo uma das "surpresas" de Sven-Göran Eriksson.

Em 2006, teve que vencer uma série de lesões para conseguir ir à Copa, e conseguiu novamente. Em ambas as ocasiões, envergou a camisa 14 e não entrou em campo um minuto sequer. Durante as eliminatórias para esta competição, chegou a atuar como meia-esquerda, mas a parceria com Cole, seu rival pela lateral, não foi muito produtiva.

O momento em que Bridge (número 3) recusou-se a cumprimentar John Terry

É convocado quase que regularmente por Fabio Capello atual técnico da seleção inglesa, mas em 2008 continuou a perder espaço por ter sido reserva de Cole no Chelsea, mas em 2009 será titular no City e poderá recuperar espaço e brigar pela lateral-esquerda na seleção com Ashley Cole e Lescott.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Polêmica[editar | editar código-fonte]

Bridge com seu filho Jaydon

O jogador se viu envolto numa polêmica amorosa ao descobrir que John Terry, seu antigo parceiro de Chelsea e considerado um dos melhores amigos de Bridge teve um caso extraconjugal com a sua então esposa, a modelo francesa Vanessa Perroncel. O caso repercutiu intensamente nos tablóides ingleses, trazendo consequências como a perda de Terry da braçadeira de capitão do English Team além da aposentadoria de Bridge da mesma seleção inglesa. No dia 27/02/2010, em partida válida pelo campeonato inglês, Terry e Bridge, jogadores do Chelsea e Manchester City, respectivamente, protagonizaram uma cena histórica na hora dos tradicionais cumprimentos.

Traído por Terry, Bridge cumprimentou a todos os adversários da fila, mas, quando chegou a vez do zagueiro, deixou o jogador do Chelsea com a mão estendida no vazio e seguiu cumprimentando os demais atletas do elenco londrino, em cena repetida inúmeras vezes pela televisão.[1] O Manchester City venceu o Chelsea por 4x2 na partida que ficou conhecida como A vingança do marido traído.

Atualmente[editar | editar código-fonte]

A cantora Frankie Sandford, atual noiva de Wayne Bridge

Desde dezembro de 2010, Bridge namora a cantora Frankie Sandford da banda britânica The Saturdays. Em abril de 2013, os dois ficaram noivos, e agora, Wayne e Frankie são pais de Parker Raye Bridge, nascido a 18 de Outubro de 2013.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Inglaterra Seleção Inglesa

Inglaterra Chelsea

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Inglaterra Southampton

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de InglaterraSoccer icon Este artigo sobre futebolistas ingleses é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.