Whitesnake

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Whitesnake
Whitesnake live.jpg
Whitesnake ao vivo em Salónica, Grécia
Informação geral
Origem Leeds, Inglaterra
País  Reino Unido
Gênero(s) Hard rock, heavy metal, blues-rock
Período em atividade 1978-1990
1994-1998
2002-presente
Gravadora(s) Geffen Records
Página oficial www.Whitesnake.com
Integrantes David Coverdale (Vocais)
Reb Beach (Guitarra)
Michael Devin (Baixo)
Tommy Aldridge (Bateria)
Ex-integrantes Doug Aldrich (Guitarra)
Micky Moody (Guitarra)
Bernie Marsden (Guitarra)
Neil Murray (Baixo)
Dave Dowle (Bateria)
Jon Lord (Teclados)
Ian Paice (Bateria)
Cozy Powell (Bateria)
Mel Galley (Guitarra)
Colin 'Bomber' Hodgkinson (Baixo)
John Sykes (Guitarra)
Aynsley Dunbar (Bateria)
Rudy Sarzo (Baixo)
Steve Vai (Guitarra)
Vivian Campbell (Guitarra)
Adrian Vandenberg (Guitarra)
Warren DeMartini (Guitarra)
Marco Mendoza (Baixo)
Denny Carmassi (Bateria)
Chris Frazer (Bateria)
Uriah Duffy (Baixo)
Timothy Drury (Teclados)
Brian Tichy (Bateria)
Glenn Hugues (Baixo)

Whitesnake é uma banda de hard rock britânica formada em 1978. Entre os seus sucessos destacam-se a balada "Is This Love", do álbum Whitesnake de 1987, e a pesada "Love Ain't No Stranger", do álbum Slide It In de 1984.

História[editar | editar código-fonte]

Com o término do Deep Purple, em 1976, David Coverdale não perdeu tempo e no mesmo ano lançou seu primeiro álbum solo entitulado White Snake.[1] com fortes influências de soul e blues. No ano seguinte lançou o segundo Northwinds produzido por Roger Glover do Deep Purple e que contou com a participação de Ronnie James Dio (à época no Rainbow com Ritchie Blackmore) nos backing vocals.

No ano seguinte, já usando o nome de "Whitesnake" é lançado EP Snakebite, contando na formação com David Coverdale nos vocais, Bernie Marsden e Micky Moody (guitarras), Neil Murray (baixo) e Dave Dowle (bateria). Em 1978 é lançado o álbum de estréia do Whitesnake, Trouble, já com Jon Lord (também ex-membro do Deep Purple) nos teclados. No ano seguinte lançam Lovehunter, (que ficou famoso pela ilustração de capa com uma mulher nua montando uma cobra).

Em 1980 lançam Ready an' Willing já com Ian Paice (também ex-Purple) no lugar de David Dowle.[1] Apesar de tantos 'ex-Purples', o som do Whitesnake teve, desde o início, um estilo diferente do Deep Purple, mais voltado para o blues rock, com fortes influências 'redneck' presentes na guitarra com slide de Moody, riffs e um baixo bem presente e elaborado.

O primeiro álbum ao vivo Live in the Heart of City lançado mundialmente em 1980, é um álbum que reúne dois shows distintos feitos pela banda: o Live...in the Heart of the City gravado em 23 e 24 de junho de 1980 e o Live at Hammersmith gravado em 23 de novembro de 1978. Este último trazendo versões ao vivo das músicas "Mistreated" e "Might Just Take Your Life" do Deep Purple gravadas na fase em que Coverdale era o vocalista principal.

Em 1981, lançam Come an' Get It e no ano seguinte, Saints & Sinners que conquista o público com músicas como "Here I Go Again" e "Crying In The Rain". Esse álbum marca um período de grandes e profundas mudanças para David Coverdale e o Whitesnake, com a saída de Bernie Marsden, Neil Murray e Ian Paice, logo após o fim das gravações do álbum. Durante esse período turbulento David Coverdale cogitou inclusive acabar em definitivo com a banda e seguir carreira solo, porém o sucesso alcançado pela música "Here I Go Again", somado a um convite para se apresentar como headliner no grande festival "Monsters Of Rock" em Donington no verão de 82, convenceu Coverdale a remontar a banda, desta vez com o famoso baterista Cozy Powell para substituir Paice, Mel Galley (ex-Trapeze) e Micky Moody nas guitarras, Jon Lord nos teclados e Colin Hodgkinson no baixo.

Com essa formação, é lançado o álbum Slide It In em 1983, que após o lançamento em todo mundo exceto América do Norte (devido a problemas contratuais), tem como resultado mais mudanças na formação: saem Micky Moody e Colin Hodgkinson, substituídos por John Sykes (ex-Tygers of Pan Tang) e Neil Murray, que retorna depois de uma breve passagem pela banda do guitarrista Gary Moore. Ambos regravam seus instrumentos para uma nova versão do álbum exclusiva para o mercado norte-americano.

Durante as sessões de ensaio para a nova vindoura turnê, Mel Galley deixa a banda para tratar de uma lesão no braço direito[2] e David Coverdale opta por fazer a tour com um único guitarrista e também com um tecladista contratado Richard Bailey, já que Jon Lord havia retornado ao Deep Purple.

Graças a nova sonoridade mais pesada e aos vídeos veiculados extensivamente pela MTV norte-americana, músicas como "Love Ain't No Stranger", "Guilty Of Love" e "Slow and Easy" tornam o álbum um grande sucesso. O Whitesnake segue com um só guitarrista.

Em 1985 a banda toca no Brasil, no Rock in Rio, no lugar do Def Leppard (que desistiu na última hora devido ao trágico acidente de carro de seu baterista, Rick Allen, que teve um braço amputado)[3] .

No final do mesmo ano de 1985, Cozy Powell deixa a banda para se juntar a um novo projeto com Greg Lake e Keith Emerson. E após longa espera de dois anos um novo álbum é lançado: Whitesnake ou simplesmente "1987", considerado por muitos fãs o melhor trabalho da banda até então, e que traz dentre outras participações especiais o experiente baterista Aynsley Dunbar (ex-Starship, Journey), o famoso tecladista Don Airey, conhecido por seus trabalhos com Ozzy Osbourne, Black Sabbath e Ritchie Blackmore's Rainbow, e o até então desconhecido guitarrista holandês Adrian Vandenberg que gravaria o solo da nova versão da música "Here I Go Again", o que confirmou os rumores da saída precoce do guitarrista John Sykes, que formou sua própria banda, o Blue Murder ao lado do baterista Carmine Appice.

E-D: Adrian Vandenberg e David Coverdale nos bastidores do Monster of Rock Festival em Donnington - Inglaterra em 1990.

As mudanças não param por aí, além da efetivação de Vandenberg no lugar de Sykes, Tommy Aldridge (ex-Ozzy Osbourne) e Rudy Sarzo (Quiet Riot) substituem Aynsley Dunbar e Neil Murray respectivamente. Vivian Campbell (ex-Dio) é contratado para ser o outro guitarrista, transformando o Whitesnake em um quinteto.

Em 1989, é lançado um novo álbum Slip of the Tongue, que criou grande expectativa nos fãs e crítica, pois dentre outras coisas, contava com o virtuoso guitarrista Steve Vai (ex-David Lee Roth) no lugar de Vivian Campbell (que algum tempo depois se juntaria ao Def Leppard). Apesar do sucesso de hits como "The Deeper The Love" e da nova versão de "Fool For Your Loving", o disco vendeu abaixo das expectativas, e após seguidos problemas com a gravadora, Coverdale decide desmontar a banda para seguir em um novo projeto com Jimmy Page, (ex-Led Zeppelin) chamado de unicamente de Coverdale/Page.

Coverdale reformulou o Whitesnake em 1994, para promover o lançando da coletânea, Greatest Hits mantendo Vandenberg e Sarzo e trazendo o guitarrista Warren DeMartini (Ratt), o baterista Denny Carmassi (ex-Coverdale/Page) além do tecladista Paul Mirkovich (ex-Nelson) para completar o time. Dois anos depois, lança um novo álbum "Restless Heart", com uma sonoridade mais blues relembrando os primeiros álbuns, que traz a participação especial do ex-baixista do Pink Floyd Guy Pratt e do tecladista Brett Tuggle (ex-David Lee Roth). Para a turnê são chamados o guitarrista Steve Farris, o baixista Tony Franklin e o tecladista Derek Hilland. Essa seria a última turnê antes da banda entrar em um novo recesso que duraria até 2003.

Em 1997, Coverdale e Adrian Vandenberg lançam o álbum Starkers in Tokyo que surgiu quando a gravadora EMI propôs que Coverdale e Adrian Vandenberg fizessem um show acústico no Japão para promover o novo álbum.[4] O resultado foi tão bem aceito pelos fãs que acabou virando álbum.

Em meados de 2003, David Coverdale decide reativar a banda com uma nova formação que incluiria músicos conhecidos como Reb Beach (Winger, Dokken) e Doug Aldrich (ex-Dio) nas guitarras, Timothy Drury (Eagles, Don Henley) nos teclados, Marco Mendoza (ex-Blue Murder) no baixo e o veterano Tommy Aldridge na bateria, este último um velho conhecido dos fãs do Whitesnake. Com essa formação, a banda lança seu primeiro DVD ao vivo Live...In Still Of The Night, lançado em 2005 e contendo seus maiores sucessos como "Love Ain't No Stranger", "Here I Go Again" e a balada "Is This Love". Durante a tour de promoção do DVD que incluiu o Brasil em apresentações conjuntas com o Judas Priest, Mendoza é substituído pelo jovem baixista Uriah Duffy, músico conhecido por seus trabalhos com artistas do pop e soul como Christina Aguilera e Sly & The Family Stone, Duffy permaneceria na banda por quase sete anos.

Em 2008, já com Chris Frazier no lugar de Aldridge, a banda lança o álbum Good to Be Bad o primeiro albúm com músicas originais em 11 anos. O disco é lançado em versão CD normal, uma versão Boxset contendo poster, autocolantes e faixas extras, além de uma versão em LP especial. Os destaques do álbum vão para músicas como a faixa de abertura "Best Years", a zeppeliniana "Lay Down Your Love", a faixa título "Good To Be Bad" e ainda as tradicionais baladas como "All I Want All I Need".

Em 2010, a banda lança um novo álbum "Forevermore" com novas mudanças de formação: saem Duffy e Frazier e entram o novato Michael Devin o experiente Brian Tichy (ex-Billy Idol, Slash Snakepit, Foreigner, dentre outros). Para promover o novo álbum a banda lança seu primeiro vídeo clip em mais de uma década "Love Will Set You Free" que ao lado da música título, tornam-se presença regular nos shows da banda. Embora participe do álbum, o tecladista Timothy Drury deixa a banda sendo substituído por Brian Ruedy. Com essa formação, o grupo embarca para uma grande turnê que inclui shows na América do Norte, Europa, Japão e América do Sul.

Em Maio de 2011, um presente para os fãs com o lançamento oficial do CD/DVD "Live at Donington" gravado em 1990 durante a turnê do álbum Slip of the Tongue.

Em 2013, mais um lançamento em vídeo e em áudio. Tratam-se do CD/DVD "Made in Japan", gravado ao vivo na famosa Budokan Arena em Tókio, e o álbum duplo ao vivo "Made in Britain/ The World Record" que registra diversos momentos da turnê, incluindo faixas gravadas no Brasil.

Em Fevereiro do mesmo ano, o baterista Brian Tichy anunciou sua saída da banda, dando lugar para Tommy Aldridge que retorna a banda pela terceira vez.

Em 14 de Outubro de 2013, David Coverdale revelou no Twitter que o Whitesnake planejava voltar ao estúdio logo após os shows no Brasil.

Em Maio de 2014, o guitarrista Doug Aldrich anunciou sua saída da banda para dar sequência a outros projetos musicais.

Formação atual[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b WHITESNAKE. musicmight.com. Página visitada em 28 de janeiro de 2013.
  2. DPAS/Darker Than Blue. Whitesnake History. deep-purple.net. Página visitada em 28 de janeiro de 2013.
  3. Curiosidades e casos excêntricos do Rock in Rio. msn.com. Página visitada em 28 de janeiro de 2013.
  4. Greg Prato. Starkers in Tokyo - Whitesnake. allmusic. Página visitada em 28 de janeiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Whitesnake