Wieland Wagner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Wieland Wagner (5 de Janeiro de 1917 - 17 de Outubro de 1966) foi um diretor de ópera alemão.

Vida[editar | editar código-fonte]

Wieland foi um dos dois filhos do casal Siegfried e Winifred Wagner e o neto de Richard Wagner.

Em 1941 ele casou-se com a dançarina e coreógrafa Gertrude Reissinger. Ele tiveram quatro crianças: Iris (1942), Wolf-Siegfried (1943), Nike (1945) e Daphne (1946). No fim da sua vida ele teve um affair com a cantora Anja Silja, uma das recrutadas para o Festival de Bayreuth.

Ele morreu de câncer no Outubro de 1966.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Wieland Wagner começou sua carreira como diretor depois da Segunda Guerra Mundial, trabalhando em óperas de seu pai ou de seu avô. Seu design para o Festival de Bayreuth de 1937 para a produção de Parsifal foi conservador.

Quando o Festival de Bayreuth foi reaberto depois da guerra em 1951, Wielang e seu irmão Wolfgang se tornaram os diretores no lugar de sua mãe, que, graças a sua amizade com Adolf Hitler, não pode permanecer no cargo. Com eles as produções foram extremamentes revolucionárias.

A produção mais conhecida e lembrada é da ópera de seu avô: Tannhäuser, que ele produziu, além do Festival, em Nápoles, Stuttgart, Cologne, e a ópera Fidelio de Beethoven, que foi produzia em Stuttgart, Londres, Paris e Bruxélas.

O grande amor de sua vida foi a soprano alemã Anja Silja, com quem teve uma relação no fim da vida.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Skelton, Geoffrey. Wieland Wagner: The Positive Sceptic, St Martin's Press, 1971.