Wild Wild West

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wild Wild West
Wild Wild West (PT)
As Loucas Aventuras de James West (BR)
 Estados Unidos
1999 • cor • 106[1] min 
Direção Barry Sonnenfeld
Produção Jon Peters
Barry Sonnenfeld
Roteiro S. S. Wilson
Brent Maddock
Jeffrey Price
Peter S. Seaman
baseado nos personagens criados por Michael Garrison
Elenco Will Smith
Kevin Kline
Kenneth Branagh
Salma Hayek
Gênero faroeste
steampunk
comédia de ação
ficção científica
Idioma inglês
Música Elmer Bernstein
Cinematografia Michael Ballhaus
Edição Jim Miller
Estúdio Peters Entertainment
Sonnenfeld Josephson Worldwide Entertainment
Distribuição Warner Bros.
Lançamento Estados Unidos 30 de junho de 1999
Reino Unido 9 de julho de 1999
Portugal 6 de agosto de 1999
Orçamento US$ 170 milhões[2]
Receita US$ 222,105,681[2]
Página no IMDb (em inglês)

Wild Wild West (br: As loucas aventuras de James West / pt: Wild Wild West) é um filme estadunidense de 1999, do gênero faroeste steampunk de comédia de ação e aventura, dirigido por Barry Sonnenfeld e ambientado no Velho Oeste. Estrelado por Will Smith, Kevin Kline (que aparece em dois papéis como protagonista Artemus Gordon e como o presidente Ulysses S. Grant), Kenneth Branagh e Salma Hayek.

O roteiro é baseado numa série homônima exibida no período de 1965 a 1969, estrelada por Robert Conrad e Ross Martin. A série tinha a proposta (aproveitada pelo filme) de misturar elementos de western, ficção científica e aventura no estilo dos filmes de James Bond.

Semelhante a série, o filme apresenta uma grande quantidade de engenhocas. Elas servem como uma paródia, no entanto, como a engenhoca é mais altamente avançada, tecnologia steampunk implausível e invenções mecânicas bizarras, incluindo inúmeras invenções dos gênios mecânicos Artemus Gordon e Dr. Loveless, como nitroglicerina movimentando bicicletas de rodas gigantes, cadernos carregados com armas, colete de malha à prova de balas, máquinas voadoras, tanques de vapor, e aranha mecânica gigante de Loveless.

Embora popular, Wild Wild West não fez jus às expectativas de sucesso de seus criadores, como tinha sido Men in Black dois anos antes: ainda mais que alguns espectadores e críticos sentiram que repetiram coisas já feitas em Men in Black. Ele recebeu muitas críticas negativas, apesar de ser um sucesso comercial.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

No Velho Oeste americano, James West (Will Smith), um herói da Guerra Civil Americana, e Artemus Gordon (Kevin Kline), um criativo inventor, são chamados pelo Presidente dos Estados Unidos Ulysses S. Grant para combater o Dr. Arliss Loveless (Kenneth Branagh), que pretende conquistar os Estados Unidos com suas máquinas modernas.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 1992, a Variety informou que a Warner Bros. estava planejando uma versão teatral de The Wild Wild West, dirigido por Richard Donner, escrito por Shane Black, e estrelado por Mel Gibson como James West. (Donner dirigiu três episódios da série original). Donner e Gibson em vez disto fizeram uma versão teatral de Maverick em 1994. Ainda em fase de desenvolvimento, com Tom Cruise sendo apontado sob rumores para o protagonista em 1995. Cruise optou pela versão em filme da Mission: Impossible (série de televisão), série homônima de TV dos anos 60, no ano seguinte.

Finalmente, em 1999, um filme teatral vagamente baseado na série foi lançado. Dirigido por Barry Sonnenfeld, o filme Wild Wild West (sem o artigo definido usado no título da série) fez mudanças substanciais para os personagens da série, a releitura de James West era agora de um afro-americano (interpretado por Will Smith), Que incluiu, para um pequeno grau, algumas das questões raciais, já que certamente teria sido difícil para um homem negro ser um agente do serviço secreto dos Estados Unidos no final do século 19. (No entanto, no final de "The Night of the Returning Dead", West e Gordon convidaram um personagem afro-americano interpretado pelo ator convidado Sammy Davis, Jr. para se juntar ao departamento.)

Mudanças significativas foram feitas ao Dr. Loveless como retratado por Kenneth Branagh no filme. Foi de um anão para um homem sem pernas e também seu primeiro nome foi mudado de Miguelito para Arliss e foi dado o motivo de um sulista que buscava a derrota do Norte após a Guerra Civil. Kevin Kline interpreta Gordon, cujo personagem era similar à versão interpretada por Ross Martin, exceto que estava amargamente competitivo com James West, e muito mais egoísta. O roteiro do filme tinha o personagem de Kline Gordon sendo um inventor mais ridículo, humor-relacionados, e engenhocas implausíveis do que aqueles criados pelo Gordon de Martin na série de televisão. O filme também está sendo representado West e Gordon como rivais competitivos (quase ao ponto de uma antipatia mútua e desconfiança um do outro), Considerando que na série de televisão, West e Gordon tinham uma amizade muito próxima e de confiança um ao outro com suas vidas. Além disso, enquanto Gordon representar, de fato, passar por Grant na série ("The Night of the Steel Assassin", "The Night of the Colonel's Ghost" and "The Night of the Big Blackmail"), eles não foram interpretados pelo mesmo ator.

O filme tem semelhança significativa com Batman: The Animated Series no episódio "Showdown" de 1995, com Jonah Hex.

Produção[editar | editar código-fonte]

Teve locações em Idaho na Camas Prairie Railroad, mas a grande parte do filme foi rodado em torno de Santa Fé, Novo Mexico, especialmente no Cooke Movie Ranch. Durante a filmagem de uma sequência envolvendo acrobacias e pirotecnia, um incêndio do edifício planejado cresceu fora de controle e rapidamente foi dominado pelos bombeiros locais, que estavam perto. Grande parte da cidade foi destruída antes que o fogo foi contido.[3]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Wild Wild West recebeu revisões geralmente negativos de críticos de cinema, com um índice de aprovação de 20% no Rotten Tomatoes, baseado em 104 comentários. O consenso afirma: "Bombástico, maníaco, e em grande parte livre de rir, Wild Wild West é uma falha de ignição bizarro em que um maior cuidado foi derramado sobre os efeitos especiais do que no roteiro".[4]

Em um orçamento de 170 milhões, o filme arrecadou 113,804,681 no mercado interno e 108,.300,000 no exterior para um total mundial de 222,104,681.[2]

Prêmios e nomeações[editar | editar código-fonte]

O filme também ganhou cinco prêmios Framboesa de Ouro incluindo Pior Filme, Pior Diretor, Pior Casal na Tela (Kevin Kline e Will Smith), Pior Roteiro e Pior Canção Original (" Wild Wild West"). Cada prêmio Framboesa de Ouro foi "aceito" em pessoa por Robert Conrad, que havia retratado Jim West na série original de TV e filmes subseqüentes. Ele aceitou os prêmios para mostrar suas objeções ao filme. O filme também foi indicado para Pior Ator para Kevin Kline, Pior Ator Coadjuvante por Kenneth Branagh e Pior Atriz Coadjuvante para ambos Salma Hayek e Kevin Kline como uma prostituta.

  • Pior Filme - Jon Peters e Barry Sonnenfeld
  • Pior Diretor - Barry Sonnenfeld
  • Pior Casal na Tela - Kevin Kline e Will Smith
  • Pior Roteiro - História de Jim Thomas e John Thomas, roteiro de S. S. Wilson, Brent Maddock, Jeffrey Price, e Peter S. Seaman, baseado nos personagens da série de televisão criados por Michael Garrison
  • Pior Canção Original - "Wild Wild West"

O filme também recebeu indicações para:

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

Em 1997, o escritor Gilbert Ralston processou a Warner Brothers sobre o próximo filme baseado na série. Ralston ajudou a criar a série de televisão The Wild Wild West, e roteiro do episódio piloto, "The Night of the Inferno". Em um depoimento, Ralston explicou que foi abordado em 1964 pelo produtor Michael Garrison, que "disse que eu tinha uma idéia para uma série, uma boa idéia comercial e queria saber se eu poderia colar a noção de um herói de western e um James Bond estarem juntos no mesmo show".[5] Ralston disse que, em seguida, criou os personagens da Guerra Civil, o formato, o resumo da história e nove rascunhos do script que foi a base para a série de televisão. Foi idéia dele, por exemplo, para ter um agente secreto chamado Jim West, que iria realizar missões secretas para um trapalhão Ulysses S. Grant.

A experiência de Ralston trouxe à luz uma prática comum da Hollywood das décadas de 1950 e 1960 quando escritores ajudam na criação de séries de TV populares e produtores ou estúdios são autorizados a tomar os créditos para o show, enganando os escritores e ganhando milhões de dólares em royalties. Ralston morreu em 1999, antes de sua ação foi resolvida. Warner Brothers acabou pagando a sua família entre US $ 600.000 e $ 1,5 milhão.[6]

Legado[editar | editar código-fonte]

Wild Wild West é mencionado em um episódio da terceira temporada de South Park intitulado "Cat Orgy", onde Cartman se disfarça e trata de parecer-se com James West e realiza um breve rap de Will Smith parodiando a "Wild Wild West" (foi feito na mesma época do filme). A aranha mecânica foi parodiada em outros meios de comunicação, incluindo Os Simpsons, no episódio "Sweetest Apu". O filme foi considerado cult por conta do vestuário steampunk dos personagens[7] , até hoje replicados. A música "Wild Wild West" aparece no jogo de videogame Just Dance 4.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.