Wilhelm Jensen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wilhelm Jensen

Wilhelm Jensen (Heiligenhafen, 15 de fevereiro de 1837Munique, 24 de Novembro de 1911) foi um escritor e poeta alemão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Wilhelm Jensen nasceu em Heiligenhafen em Holstein, filho natural de Swenn Hans Jensen (1795-1855), governante da cidade de Kiel e depois administrador (Landvogt) da ilha Germano-Danesa Sylt, que fora dos velhos patrícios da Frísia. Jensen era genro do jornalista e escritor Johann August Moritz Bruehl (1819-1877), também sogro do historiador e editor Eduard Heyck e avô do escritor poeta Hans Heyck. Depois de cursar estudos clássicos em Kiel e Lübeck, Jensen estudou medicina nas universidades de Kiel, Würzburg e Breslau. Porém, veio a abandonar a profissão de médico pelas letras, passando anguns anos em estudos particulares para, depois, ir para Munique, onde se associou a outros literatos. Residiu em Stuttgart (1865-1869), por pouco tempo conduzindo o Schwabische Volks-Zeitung (Jornal do Povo Suábio, fazendo uma amizade de vida inteira com o escritor Wilhelm Raabe. Tornou-se editor em Flemsburg do Norddeutsche Zeitung (Jornal da Alemanha do Norte), retornando em 1872 a Kiel. Viveu de 1876 a 1888 em Freiburg im Breisgau e de 1808 até sua morte em Munique e em St. Salvator próximo a Prien do Lago Chiemsee.

Obra literária[editar | editar código-fonte]

Jensen foi um dos mais férteis escritores alemães de ficção de sua época (final do século XIX), a era Bismarckiana, tendo escrito mais de 150 obras, das quais poucas, porém, cairam no gosto do público. Entre os romances mais conhecidos estão:

  • Karin von Schweden (Berlin, 1878);
  • Die braune Erica (Berlin, 1868); and the tale,
  • Die Pfeifer von Dusenbach, Eine Geschichte aus dem Elsass (1884).

Houve ainda alguns outros a mencionar[editar | editar código-fonte]

  • Barthenia (Berlin, 1877);
  • Götz und Gisela (Berlin, 1886);
  • Heimkunft (Dresden, 1894);
  • Aus See und Sand (Dresden, 1897);
  • Luv und Lee (Berlin, 1897)

Algumas narrativas[editar | editar código-fonte]

  • Aus den Tagen der Hansa (Leipzig, 1885);
  • Aus stiller Zeit (Berlin, 1881-1885); e Heimat.

Houve algumas tragédias[editar | editar código-fonte]

  • Dido (Berlin, 1870)
  • Der Kampf fürs Reich (Freiburg im Br., 1884) .

Foi também um competente poeta, havendo uma coleção de seus poemas no livro "Vom Morgen zum Abend" (1897).

Modernamente Jensen é muito respeitado como autor da novela "Gradiva", a qual atraiu a atenção de Sigmund Freud, cuja análise por Freud em 1907 é a mais longa interpretação psico-analítica de uma obra literária, "Delírios e Sonhos em "Gradiva" de Wilhelm Jensen.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]