Willi Hennig

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Willi Hennig (1972)

Emil Hans Willi Hennig (Dürrhennersdorf/Oberlausitz, leste de Dresden, Alemanha, 20 de Abril de 1913, — Ludwigsburg, Alemanha, 5 de Novembro de 1976), foi um biólogo alemão de destaque, e é considerado o pai da Sistemática Filogenética. Com seus trabalhos sobre evolução e sistemática ele revolucionou a visão sobre a ordem natural dos seres vivos. Entomólogo taxonomista, ele era especialista em dípteros (moscas e mosquitos).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos e estudos[editar | editar código-fonte]

Willi Hennig era filho da doméstica, mais tarde, operária, Marie Emma (12 de junho, 1885 — 3 de agosto, 1965) e do ferroviário Karl Ernst Emil Hennig (28 de agosto, 1873 — 28 de dezembro, 1947) e tinha dois irmãos, Fritz Rudolf (5 de março, 1915 — 24 de novembro, 1990), que se tornou ministro, e Karl Herbert (24 de abril, 1917 — desconhecido), que desapareceu em Leningrado, 1943.

Dendrophis caudolineolata e Dipsas barnesii

Na primavera de 1919, Willi Hennig começou sua vida escolar em Dürrhennersdorf, continuando depois em Taubenheim (Spree) e Oppach. Em 1927, continuou sua educação no internato Realgymnasium em Klotzche, próximo a Dresden. Hennig alojou-se com M. Rost, seu professor. Rost tinha um certo interesse por insetos e apresentou Hennig a Wilhelm Meise, que era cientista no Dresdener Museum für Tierkunde (Museu Zoológico de Dresden). Ele se formou em 26 de Fevereiro de 1932. Em 1931, quando ainda estava na escola, Hennig compôs um ensaio intitulado Die Stellung der Systematik in der Zoologie (O estado da Sistemática na Zoologia), publicado postumamente em 1978. O ensaio mostra seus precoces interesses e pontos de vista a respeito do tratamento que deveria ser dado aos problemas sistemáticos. Além de estudar, nesta época Willi Hennig trabalhava como voluntário no museu e, em colaboração com Meise, investigava a sistemática e biogeografia das cobras "voadoras" pertencentes ao gênero Dendrophis, que veio a se tornar seu primeiro trabalho publicado.
A partir do verão de 1932, Hennig passou a se dedicar ainda mais ao estudo da História Natural, estudando Zoologia, Botânica e Geologia na Universidade de Leipzig, e continuou a a freqüentar o Museu em Dresden. Lá ele conheceu o curador da coleção entomológica, especialista em dípteros, Fritz Isidor van Emden e passou a encontrá-lo regularmente até que van Emden foi expulso pela Alemanha nacional-socialista por ter uma esposa judia.
No entanto Hennig fez grande amizade com Klaus Günther, o sucessor de Emden. Em 1936 Hennig pôde concluir seus estudos com uma dissertação intitulada Beiträge zur Kenntnis des Kopulationsapparates der cyclorrhaphen Dipteren, que tratava a respeito da genitália dos dípteros. Até o momento Hennig já havia publicado oito artigos científicos. Além da sua revisão de 300 páginas de Tylidae (agora classificado como Micropezidae), ainda tinha mais artigos com Diptera e com lagartos do gênero Draco (Agamidae). Depois de concluir seus estudos, Hennig trabalhou como voluntário no Museu Nacional de Zoologia em Dresden. Em 1° de Janeiro de 1937 obteve uma bolsa de estudos do Deutsche Forschungsgemeinschaft (DFG) para trabalhar no Deutsches Entomologisches Institut (Instituto Entomológico Alemão) de Kaiser-Wilhelm-Gesellschaft em Berlin-Dahlem. Em 13 de maio, 1939, Hennig casou-se com Irma Wehnert, que foi sua colega de estudos. Até 1945 eles tiveram três filhos, Wolfgang (1941 —), Bernd (1943 —) e Gerd (1945 —).

Entomólogo e militar[editar | editar código-fonte]

Willi Hennig foi convocado em 1938 para treinar na infantaria e concluiu este curso em 1939. A partir do começo da Segunda Guerra Mundial foi destacado como infante na Polônia, França, Dinamarca e Rússia. Foi ferido na Rússia por estilhaços de granada em 1942, e passou vários meses se recuperando em hospitais militares. Subseqüentemente recebeu o cargo de entomólogo no Instituto de Medicina Tropical e Higiene em Berlim, carregando o título ""Sonderführer Z"" (líder especial Z). Um pouco antes de a guerra acabar, foi enviado a Itália ao décimo exército, destacamento C, para combater a malária e outras doenças epidêmicas. Ao fim da guerra, em maio de 1945, ele foi capturado pelos britânicos enquanto estava com o corpo de treinamento contra Malária no Golfo de Briest, e só foi libertado em outubro daquele ano. Embora prisioneiro, Hennig não foi mandado a campos de concentração dos Aliados, ao invés disso foi imediatamente levado ao serviço anti-malária das tropas britânicas até a sua soltura.
Pela sua participação ativa na guerra como soldado e cientista, mais tarde Hennig foi acusado de ter sido membro do Partido Nacional Socialista (NSDAP), especialmente pelo biólogo, pai da panbiogeografia, Leon Croizat. Porém, não existem evidências concretas que sustentem a acusação. Willi Hennig nunca foi membro do partido Nacional-Socialista e não apoiou seus ideiais em qualquer ocasião pública.
Durante seu tempo como prisioneiro de guerra, Hennig esboçou sua mais importante contribuição à Sistemática, que permaneceu inédita até 1950 (Intitulada Grundzüge einer Theorie der Phylogenetischen Systematik - Fundamentos de uma Teoria da Sistemática Filogenética). O rascunho escrito a lápis e caneta esferográfica num caderno A4 chega a 170 páginas. Durante a guerra, ele também publicou cerca de 25 artigos científicos. A maioria da correspondência e pesquisa bibliográfica foi conduzida por sua esposa, Irma.

1950: Fundamentos de uma Teoria da Sistemática Filogenética[editar | editar código-fonte]

De 1° de dezembro, 1945 a 31 de março, 1947, Willi Hennig substituiu seu supervisor de tese Paul Buchner como assistente do Professor Friedrich Hempelmann na Universidade de Leipzig, dando conferências em biologia geral, zoologia, especialmente entomologia. Retornou ao Instituto alemão de Entomologia em Berlim no dia 1 de abril de 1947, e abandonou seu cargo em Leipzig. De 1° novembro, 1949 dirigiu a seção de entomologia sistemática e era o segundo diretor do instituto. No dia 1° de agosto de 1950, se tornou autoridade em zoologia na Universidade de Bradenburg (Brandenburgische Landeshochschule) em Potsdam. Em 10 de outubro do mesmo ano, ofereceram-lhe uma cadeira com responsabilidades de ensino, que ele cumpriu lecionando em zoologia de invertebrados, zoologia sistemática e práticas em taxonomia. No mesmo ano, ele publicou seu livro "Fundamentos uma Teoria da Sistemática Filogenética", e nos anos seguintes mais trabalhos sobre a metodologia da Sistemática Filogenética, acompanhados por numerosos trabalhos taxonômicos sobre Diptera. Seu livro de dois volumes Taschenbuch der Zoologie (Livro de bolso de Zoologia), em que ele aplicou a sistemática filogenética a invertebrados pela primeira vez, foi particularmente bem sucedido. A revisão e tradução da sua grande obra de 1950 para o inglês, publicada em 1966, Phylogenetic Systematics, fez com que Hennig e suas idéias ficassem amplamente conhecidos.

Ele continuou a trabalhar no Instituto alemão de Entomologia no Setor Soviético de Berlim, Berlim-Friedrichshagen, enquanto vivia em Steglitz, um bairro do setor Americano de Berlim. Numa viagem a França com seu filho no dia 13 de agosto de 1961, ouviu sobre o iminente Muro de Berlim e retornou a Berlim imediatamente para desistir de seu compromisso. Mudar-se para a Berlim oriental estava fora de cogitação, Hennig tinha ideais anti-comunistas e já havia entrado em conflitos com o Sozialistische Einheitspartei Deutschlands (Partido Socialista de Unidade de Alemanha, SED) o único partido político da Alemanha Oriental, pois por várias vezes ajudou colegas do instituto a se empregarem na Alemanha Ocidental.

De 1961 a 1976[editar | editar código-fonte]

Willi Hennig, por volta de 1970

Na Berlim Ocidental, Hennig recebeu um posto interino na Technischede Universität Berlin (Universidade Técnica de Berlim) como Professor Distinto. Rejeitou ofertas do departamento de Agricultura em Washington, D.C., EUA, e uma oferta feita por seu amigo Elmo Hardy, de tornar-se um pesquisador na Universidade do Havaí em Honolulu, dando como razões que a educação de seus filhos era prioridade para ele, e que precisava "ter a mão as testemunhas culturais da antiga Europa greco-romana". Em vez disso preferiu um cargo no Museu de Ciências Naturais em Stuttgart, onde lhe foi dado um departamento para pesquisa filogenética. Em abril de 1963, mudou-se para Ludwigsburg-Pflugfelden para assumir esta posição. As coleções científicas do museu desde a guerra tinham sido provisoriamente mantidas em Ludwigsburg e lá permaneceram até seu realojamento no novo local do museu em Stuttgart (Löwentor) em 1985.
Os trabalhos de Hennig em Stuttgart trataram quase exclusivamente de revisões taxonômicas de dípteros. Para o Stuttgarter Beiträge zur Naturkunde, onde publicou a maioria de seus trabalhos, ele completou 29 edições até o fim de sua vida. Também destacam-se os artigos de revisão publicados no Die Fliegen der paläarktischen Region, editado por Erwin Lindner, e no Handbuch der Zoologie. A metodologia cladística também foi representada em vários trabalhos publicados, entre eles o artigo publicado em 1975, Cladistic analysis or cladistic classification? A reply to Ernst Mayr (1974), em resposta às críticas que o ornitólogo Ernst Mayr tinha feito a Sistemática Filogenética.
Willi Hennig só visitou outras intituições duas vezes, apesar de receber inúmeros convites para conferências. De 1° de setembro a 30 de novembro de 1967, trabalhou no Instituto de Pesquisa de Entomologia no Departamento Canadense de Agricultura em Ottawa e participou do Congresso Internacional de Entomologia em Canberra de 22 a 30 de agosto, 1972. Com sua esposa, ele também visitou Banguecoque, Nova Guiné (onde muito do conhecimento de Mayr sobre taxonomia de aves originou-se) e Singapura nesta última viagem. Aproveitou sua permanência no Canadá para visitar várias coleções entomológicas em museus dos EUA, incluindo Cambridge, Chicago, Washington, D.C. e Nova Iorque, sempre na esperança de encontrar mais dípteros inclusos em âmbar, que caracterizou sua pesquisa no final da década de 1960 e início da década de 1970. Por iniciativa de Klaus Günther, que lhe tinha assegurado uma cadeira na Freie Universität Berlin, Hennig ganhou um doutorado honorário no dia 4 de dezembro de 1968. Por razões de saúde, ele não pode aceitar esta honra pessoalmente, que lhe foi dada por Günther em 21 de março, 1969 em Stuttgart. Por iniciativa de estudantes, a quem ele tinha lecionado sobre vários táxons de animais, Hennig foi feito professor honorário no Eberhard-Karls-Universität Tübingen em 27 de fevereiro de 1970.
Na noite de 5 de novembro de 1976, Hennig faleceu de um ataque cardíaco. Ele já tinha cancelado suas conferências por diversas vezes por causa de sua saúde, e já havia sofrido um ataque na sua viagem a Ottawa. Foi enterrado no dia 10 de novembro no cemitério Bergfriedhof em Tübingen.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikipedia-pt-hist-cien-logo.png Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.