William Saroyan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
William Saroyan
Nascimento 31 de agosto de 1908
Fresno, Estados Unidos
Morte 18 de maio de 1981 (72 anos)
Fresno, Estados Unidos
Ocupação Escritor, dramaturgo

William Saroyan (Fresno, 31 de agosto de 1908 - 18 de maio de 1981) foi um escritor e dramaturgo dos Estados Unidos de ascendência armênia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai, um armênio, era ministro presbiteriano e agricultor; morreu quando Saroyan tinha dois anos de idade. Com a morte do pai, foi obrigado a viver num orfanato juntamente com seus outros três irmãos. Aos doze anos, abandonou a escola e empregou-se como estafeta numa agência telegráfica. De emprego em emprego, chegou ao posto de gerente de uma agência postal postal e telegráfica de São Francisco.

Foi aos 16 anos que Saroyan resolveu ser escritor. Na época, graças sobretudo à atuação de algumas revistas, o conto tinha se tornado uma verdadeira mania nos Estados Unidos. Assim, Saroyan decidiu escrever pequenas histórias. No início, tentou imitar o estilo das revistas sensacionalistas, mas seus contos foram rejeitados. Passou então a escrever com espontaneidade, inspirando-se em acontecimentos pessoais, pequenas aventuras vividas no decorrer de sua infância e adolescência. A fórmula deu certo e, em 1934, com a publicação do volume de contos O Ousado Rapaz no Trapézio Volante (The Daring Young Man on the Flying Trapeze) recebeu entusiástica acolhida da crítica.

Saroyan continuou a recorrer com freqüencia ao conto autobiográfico, de que escreveu uma longa série: Inalar e Exalar (Inhale and Exhale, 1936), Criancinhas (Little Children, 1937), Amor, Aqui Está Meu Chapéu (Love, Here Is My Hat, 1938), A Confusão Com Os Tigres (The Trouble With Tigers, 1938), Meu Nome É Aram (My Name Is Aram, 1941), Depois dos Trinta Anos (After Thirty Years, 1962), entre outros. Escreveu também para o teatro, tendo ganho o prêmio Pulitzer em 1939 com a peça O Tempo De Sua Vida (The Time of Your Life). Prêmio que Saroyan recusou, alegando que "a riqueza não tem o direito de patrocinar a arte". A Comédia Humana (The Human Comedy, 1942) é sem dúvida seu romance mais famoso e constitui uma das mais tocantes páginas da moderna ficção norte-americana. A adaptação para o cinema da Comédia Humana rendeu a Saroyan o prêmio da Academia para Melhor História Original. Escrito em plena Segunda Guerra Mundial, o romance apresenta uma seqüencia de quadros simples, cotidianos, que mostram as experiências humanas de um adolescente, Homero Macauley, estafeta (como o próprio autor) de uma agência postal.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.