Winnie-the-Pooh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Winnie-the-Pooh
Ursinho Puff
Autor (es) A. A. Milne
Idioma Inglês
País Reino Unido
Ilustrador E. H. Shepard
Editora Methuen & Co. Ltd. (Londres)
Lançamento 14 de outubro de 1926

Winnie-the-Pooh (O Ursinho Pooh, em português) é o primeiro livro sobre as aventuras do Ursinho Pooh, criado por A. A. Milne. Publicado em 1926, Winnie-the-Pooh foi seguido por The House at Pooh Corner (1928). Milne também incluiu um poema sobre o urso no livro infantil em versos When We Were Very Young (1924) e vários outros em Now We Are Six (1927). Todos os quatro volumes foram ilustrados por E. H. Shepard.

Os hífens no nome do personagem foram mais tarde retirados quando a Companhia Walt Disney adaptou as histórias de Pooh em uma sequência de filmes média-metragem no filme The Many Adventures of Winnie the Pooh, tornando-se uma das licenças de maior sucesso da empresa no mundo.

As histórias de Winnie-the-Pooh foram traduzidas em vários idiomas, incluindo a tradução em latim de Alexander Lenard, Winnie ille Pu, que foi publicada pela primeira vez em 1958, e, em 1960, tornou-se o único livro em latim que figurou na lista de livros mais vendidos do New York Times.[1]

Floresta Ashdown: o cenário das histórias[editar | editar código-fonte]

Christopher Robin, Pooh e os demais personagens do romance.

As histórias de Winnie-the-Pooh são ambientadas na Floresta de Ashdown, Sussex, Inglaterra. A floresta é uma área grande de pântano aberto calmo nos mais altos cumes arenosos da Área da Beleza Natural Proeminente situado a 30 milhas (50 km) ao sul de Londres. Em 1925, Milne, um londrino, comprou uma casa de campo a uma milha ao norte da floresta na Fazenda Cotchford, perto de Hartfield. Segundo Christopher Milne, enquanto seu pai continuou a viver em Londres "…nós quatro—ele, sua esposa, seu filho e a babá do seu filho—nos apertávamos dentro de um Fiat, azul, e viajávamos todo sábado de manhã e voltávamos toda segunda à tarde. E nós passávamos um mês inteiro maravilhoso por lá na primavera e dois meses no verão." [2] Do gramado da frente, a família tinha uma vista através de uma campina de uma linha de amieiros que cobriam o Rio Medway, pelo qual o terreno subia através de mais árvores até finalmente "acima deles, muito distante, arrematando a vista, havia um cume descoberto de morro. No centro desse cume de morro, tinha um bosque de pinheiros." A maioria das visitas do pai à floresta nessa época foram, ele observou, expedições familiares a pé "para fazer ainda uma nova tentativa de tentar contar os pinheiros na Gill's Lap ou procurar uma genciana pantanosa". Christopher adicionou isso, inspirado pela Floresta Ashdown, e seu pai o fez "cenário de dois dos seus livros, finalizando o segundo pouco mais de três anos após a sua chegada".

Muitos locais nas histórias podem ser ligados a lugares reais dentro e ao redor da floresta. Como Christopher Milne escreveu em sua autobiografia: "A floresta de Pooh e a Floresta de Ashdown são idênticas". Por exemplo, o fictício "Bosque dos 100 Acres" era na verdade o Bosque de Quinhentos Acres; o Galleon's Leap foi inspirado pelo cume proeminente do morro de Gill's Lap, enquanto o bosque de árvores ao norte de Gill's Lap tornou-se O Lugar Encantado de Christopher Robin porque ninguém nunca tinha sido capaz de contar se havia sessenta e três ou sessenta e quatro árvores no círculo.[3]

As paisagens descritas nas ilustrações de E.H. Shepard para os livros de Winnie-the-Pooh são diretamente inspiradas pela paisagem inconfundível da Floresta Ashdown, com os seus elevados, pântanos de urzes, tojos, samambaias, vidoeiros prateados cercados por bosques de pinheiros. Em muitos casos, as ilustrações de Shepard correspondem aos panoramas reais, concedendo uma espécie de licença artística. Os esboços de Shepard dos pinheiros e outras cenas das florestas estão em exposição no Museu V&A em Londres.

O jogo de Poohsticks foi originalmente jogado por Christopher Milne em uma ponte que passava sobre um afluente do Rio Medway no Bosque Posingford, perto da Fazenda Cotchford. É tradição jogar o jogo lá usando os gravetos que caem próximos às florestas. Quando o pé da ponte precisou ser substituído recentemente, o engenheiro desenhou uma nova estrutura baseada nos desenhos de E. H. Shepard da ponte dos livros originais, já que a ponte não se parecia originalmente como o artista a desenhou. Uma tábua informativa na ponte explica como jogar.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Capítulos[editar | editar código-fonte]

  1. In Which We Are Introduced to Winnie-the-Pooh and Some Bees and the Stories Begin
  2. In Which Pooh Goes Visiting and Gets Into a Tight Place
  3. In Which Pooh and Piglet Go Hunting and Nearly Catch a Woozle
  4. In Which Eeyore Loses A Tail and Pooh Finds One
  5. In Which Piglet Meets a Heffalump
  6. In Which Eeyore Has A Birthday And Gets Two Presents
  7. In Which Kanga And Baby Roo Come To The Forest And Piglet Has A Bath
  8. In Which Christopher Robin Leads An Expedition To The North Pole
  9. In Which Piglet Is Entirely Surrounded By Water
  10. In Which Christopher Robin Gives Pooh A Party and We Say Goodbye

Sequência[editar | editar código-fonte]

Uma sequência autorizada De volta ao Bosque dos 100 Acres foi publicada em 5 de outubro de 2009. O autor, David Benedictus, desenvolveu, mas não mudou, a caracterização de Milne. As ilustrações, de Mark Burgess, são no estilo das de Shepard.[4]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Áudio[editar | editar código-fonte]

As melhores histórias do Pooh lidas por Maurice Evans lançadas em LP de vinil:

  • Winnie-the-Pooh (consistindo de três faixas: Introducing Winnie-the-Pooh and Christopher Robin; Pooh Goes Visiting and Gets Into a Tight Place; Pooh and Piglet Go Hunting and Nearly Catch a Woozle) 1956
  • More Winnie-the-Pooh (consistindo de três faixas: Eeyore Loses a Tail; Piglet Meets a Heffalump; Eeyore Has a Birthday.)

Gravações parciais lidas por Peter Dennis dos quatro livros do Pooh:

  • When We Were Very Young
  • Winnie-the-Pooh
  • Now We Are Six
  • The House at Pooh Corner

Rádio[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Uma versão de Winnie The Pooh, na qual os animais eram representados por marionetes, foi apresentada em 3 de outubro de 1960, no Show da Shirley Temple na NBC Television.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Winnie-the-Pooh

Referências

  1. McDowell, Edwin. "Winnie Ille Pu Nearly XXV Years Later", New York Times (18 November 1984). Recuperado de 2 January 2010.
  2. Willard, Barbara. The Forest - Ashdown in East Sussex. Sussex: Sweethaws Press, 1989. introduction pp. xi-xii
  3. Winnie-the-Pooh Ashdown Forest. The Conservators of Ashdown Forest. Página visitada em 2008-05-30.
  4. Kennedy, Maev. "Sequel brings Pooh friends old and new", The Guardian, 5 October 2009, pp. 15. Página visitada em 2009-10-05.
  5. "Hastings Marionettes: Will Open Holiday Season at Guild Theatre on Saturday", New York Times: 28, Dec. 22, 1931 
  6. "A Children's Story by A. A. Milne", London Evening News: p. 1, Dec. 24, 1925 
  7. "His Master's Voice Speaks Again", Playthings, Nov.