Wonder Boy in Monster Land

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wonder Boy in Monster Land
Produtora Sega / Westone
Editora(s) Sega
Plataforma(s)
Conversões/
relançamentos
Arcade, Sega Master System, Commodore 64, PC Engine, Amstrad CPC, ZX Spectrum, Amiga, Atari ST
Data(s) de lançamento 1987
Gênero(s) Plataforma
Modos de jogo Até 2 jogadores, alternadamente
Controles Joystick 4 direções
Hardware
Sistema Sega System 2
Gabinete Tradicional
Vídeo RGB, Raster, Vertical: 256 x 224

Wonder Boy in Monster Land é um jogo de arcade produzido pela Westone e publicado pela Sega. É a sequência do jogo Wonder boy, embora a jogabilidade seja diferente do jogo original. Wonder Boy in Monster Land foi convertido para diversas plataformas, dentre elas o Sega Master System.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O reino conhecido como Monster Land está sendo invadido por monstros, liderados pelo dragão Meka. Assim, cabe ao herói Book Shonen[1] derrotar o dragão e salvar monster land. O herói deve adquirir equipamentos necessários para auxiliá-lo em sua aventura, conversar com os habitantes da monster land e enfrentar diversos monstros até alcançar o castelo do Dragão. No final é revelado que este dragão é na verdade um robô que veio do espaço.

O jogo[editar | editar código-fonte]

Diferente do jogo Wonder boy, esta continuação possui elementos de RPG e está ambientado em um cenário medieval, ao invés de um cenário pré-histórico. O objetivo do jogador é chegar até o castelo do dragão Meka e derrotá-lo. Para isso o jogador deve adquirir espadas, que podem ser adquiridas ao derrotar monstros-chefes, além de outros equipamentos que podem ser comprados em lojas. O jogador adquire ouro ao derrotar inimigos que aparecem no decorrer da fase. Há determinados pontos de cada estágio, como o topo de uma torre, que ao ser tocado pelo jogador revela moedas ou sacos de moedas de ouro escondidos. Além das lojas de equipamentos, há bares onde o jogador pode comprar uma bebida e assim adquirir alguma dica do jogo, e há também hospitais para recuperar energia, sendo esta medida em corações.

Para concluir uma fase o jogador deve adquirir uma chave. Esta só pode ser obtida derrotando o chefe da fase. Assim como no primeiro Wonder Boy, há um limite de tempo, neste caso marcado por uma ampulheta. Para que o tempo do estágio seja estendido, é preciso adquirir um item ampulheta, escondido em alguns estágios. Caso o tempo se esgote, o jogador perde um coração de sua barra de energia.

Outra mudança em relação ao jogo é a barra de energia, sendo medida em corações. O jogador adquire novos corações ao atingir determinadas quantidades de pontuação, de forma análoga à evolução de nível de jogos de RPG. A barra de energia é diminuída a medida em que o jogador receber danos dos inimigos, de armadilhas como poços de lava ou espinhos, ou com o término do tempo marcado pela ampulheta. Caso a barra de energia se esgote, esta será recuperada com o uso da Elixir, um item raro adquirido no início do jogo. O jogo termina quando o dragão Meka for derrotado, ou quando forem perdidos todos os corações da barra de energia.

Equipamentos[editar | editar código-fonte]

A Espada é a principal forma de ataque. No começo do jogo adquire-se uma espada básica e com o decorrer da aventura novas espadas são adquiridas, garantindo ao herói maior força de ataque. O Escudo permite ao jogador se proteger de flechas e demais projéteis. A Armadura aumenta a defesa do personagem, permitindo ao mesmo receber mais danos antes de esgotar a barra de energia. As Botas aumentam a velocidade do jogador e a altura do pulo. Por fim, há equipamentos diversos de ataque como bombas e magias como a bola de fogo.

Além destes itens, o jogador pode adquirir itens secretos que podem auxiliá-lo na sua jornada, como uma carta que deve se entregue, ou uma flauta capaz de revelar um castelo secreto.

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Wonder Boy in Monster Land introduziu uma dinâmica de jogo diferente do original, sendo assim um sucesso. Dessa forma as continuações utilizaram desse mesmo mecanismo, porém sem o limite de tempo e tendo uma jogabilidade menos voltada para o Arcade. O jogo possui até os dias atuais uma legião de fãs e é considerado um dos melhores jogos da Sega por muitos, sendo relançado para o console Playstation 2 como parte de uma coleção de jogos da série (Monster World Complete Collection)[2] .

No Brasil[editar | editar código-fonte]

O jogo foi comercializado no Brasil pela Tec Toy. Contudo, o personagem principal foi alterado, sendo substituído pela personagem de histórias em quadrinhos Mônica. O jogo foi então intitulado Mônica no Castelo do Dragão e tornou-se um dos jogos de maior sucesso para o Sega Master System, o que contribuiu para o aumento da popularidade deste console no Brasil. Além do jogo Mônica no Castelo do Dragão, Wonder Boy in Monster Land foi a base para diversos outros clones, como Bikkuriman World para o console PC-Engine e Saiyuki World para o famicom.

Notas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.