Wong Kar-Wai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wong Kar-wai
王家衛
Wong Kar-wai em 2008
Nascimento 17 de julho de 1958 (56 anos)
Xangai, China
Ocupação Cineasta
Roteirista
Atividade 1982 – atividade
Festival de Cannes
Melhor Diretor
1997 - Chun Gwong Cha Sit
César
Melhor Filme Estrangeiro
2000 - Fa Yeung Nin Wa
IMDb: (inglês)

Wong Kar-Wai (Xangai, 17 de Julho de 1958) é um cineasta chinês de Hong-Kong.

Juntamente com diretores como Eddie Fong, Stanley Kwan e Clara Law, pertence ao movimento chamado de "Segunda Nova Onda" do cinema de Hong Kong. Foi o primeiro chinês a ganhar o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes de 1997.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Xangai em 1958, batizado com o sobrenome de família Wong, que vem antes do prenome Kar-Wai, conforme funciona na cultura chinesa. Mudou-se com os pais para Hong Kong em 1963. Vindo da China continental e falando apenas mandarim de Xangai, era levado frequentemente pela mãe em salas de cinema, como uma forma de acelerar a sua exposição ao dialeto cantonês falado em Hong Kong, em que ele se tornou fluente a partir dos 13 anos de idade.[1]

Em meados da década de 1970 estudava design gráfico na Escola Politécnica de Hong Kong. Graduado em 1980 e interessado em fotografia, em particular o trabalho de Robert Frank, Henri Cartier-Bresson e Richard Avedon, matriculou-se logo após sua formatura em 1980 em um programa de treinamento patrocinado pelo canal Television Broadcasts Limited (HKTVB).[2] Reconhecido por seu trabalho inicial como assistente de produção de uma série de periódicos, ele rapidamente progrediu para escrita de roteiros, principalmente para a popular telenovela popular Don't Look Now, em 1981, e passou a se dedicar unicamente a essa carreira. Deixou a HKTVB no ano seguinte para se tornar um roteirista em tempo integral para o cinema, onde escreveu roteiros para os mais variados gêneros, sempre com uma veia comercial, para as renomadas empresas de produção local The Wing Scope Co. e In-gear Film Production Company. Além de assinar os roteiros dos filmes "Rainbow" (1982), "Chase a Fortune" (1985) e "The Final Victory" (1987), Wong Kar-Wai considera ter colaborado de alguma forma em cerca de cinquenta outros, embora não tenha ganho crédito oficial.[3] Durante esse período, encontrou no diretor Patrick Tam, de "The Final Victory", um mentor que lhe apresentou o trabalho do escritor argentino Manuel Puig, pelo qual Wong Kar-Wai seria particularmente influenciado pela narrativa fragmentária de Boquitas pintadas.

Carreira como diretor[editar | editar código-fonte]

Enquanto trabalhava em "The Final Victory", Wong Kar-Wai preparava sua estreia como diretor de cinema fazendo o filme policial "Conflito Mortal". Embora guardasse semelhança com obras comerciais baseadas em artes marciais do cinema de Hong Kong, o primeiro longa-metragem do cineasta registrava um estilo visual muito próprio e fazia tributo ao filme "Caminhos Perigosos", de Martin Scorsese.[4] Lançado em 1988, "Conflito Mortal" foi uma sensação no circuito local e possibilitou que Kar-Wai apostasse na direção cinematográfica.[2]

Em 1990, Wong Kar-Wai fez seu segunda longa-metragem, "Dias Selvagens", o seu primeiro filme autoral. Embora tenha sido um fracasso comercial que custou muito dinheiro para a produtora, o filme rendeu seus elogios da crítica e os primeiros prêmios internacionais, além de apresentar algumas das características que se tornariam marca registrada do estilo do diretor, como o enfoque em personagens melancólicos e desajustados, atormentados por memórias, com histórias tortuosas, contadas sobre o fundo de trilhas sonoras elaboradas.[5] No mesmo período e ao lado de seu colega de direção Jeff Lau, fundou a Jet Tone Films, sua própria produtora, com o objetivo de ter total controle sobre seus projetos e fazer filmes à sua maneira.[6]

A primeira produção da Jet Tone Films foi "Cinzas do Passado", que Wong Kar-Wai começou a trabalhar em 1992.[7] Este um épico wuxia lhe tomou cerca de dois anos de filmagens no deserto de Gobi e milhões de dólares.[8] O cansaço causado pela longa produção e o elevado custo da obra o levou a rodar, em um intervalo da pós´produção de "Cinzas", um filme paralelo, "Amores Expressos", de baixo orçamento e menos esforço criativo que foi filmado e editado em apenas três meses e estreou pouco antes da conclusão de "Cinzas do Passado", em 1994.[7] [9] Além de lhe render reconhecimento internacional, especialmente na Europa e nos Estados Unidos, "Amores Expressos" representou um escape ao cineasta, que lhe ajudou a finalizar seu épico de artes marciais meses depois, embora não tenha sido reconhecido à época como um sucesso comercial e de crítica.[7] [9]

Em 1995, foi lançado "Anjos Caídos", que originalmente foi concebido junto ao processo de produção de "Amores Expressos", mas acabou desmembrado em um filme próprio. Dois anos mais tarde, estreou "Felizes Juntos", seu sexto longa metragem e que lhe rendeu o prêmio de Melhor Diretor do júri no Festival de Cannes. Dois anos mais tarde estreou Wong Happy Together no Festival de Cannes, indo para casa com o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes de 1997. Wong Kar-Wai consolidou-se como um diretor autoral bem-visto pela crítica com seus dois filmes seguintes, "Amor À Flor Da Pele" e "2046 - Os Segredos do Amor", lançados respectivamente em 2000 e 2004. Também dirigiu um dos três segmentos do filme "Eros", também de 2004, e dois anos depois foi convidado para presidir o júri do Festival de Cannes, tornando-se o primeiro diretor chinês a fazê-lo.

Em 2007, foi lançado "My Blueberry Nights", seu nono longa-metragem e o primeiro feito integralmente em língua inglesa, que teve a estreia da cantora Norah Jones como atriz. Em 2013, finalizou e lançou "O Grande Mestre", filme baseado na vida do mestre de kung fu Yip Man.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Longa-metragem[editar | editar código-fonte]

Ano Título original Título no Brasil Título em Portugal
1988 Wong Gok Ka Moon (旺角卡門) Conflito Mortal Ao Sabor da Ambição
1990 A Fei Zheng Chuan (阿飛正傳) Dias Selvagens Days of Being Wild
1994 Dung Che Sai Duk (東邪西毒) Cinzas do Passado As Cinzas do Tempo
Chung Hing Sam Lam (重慶森林) Amores Expressos Chungking Express
1995 Duo Luo Tian Shi (墮落天使) Anjos Caídos Anjos Caídos
1997 Chun Gwong Cha Sit (春光乍洩) Felizes Juntos Felizes Juntos
2000 Fa Yeung Nin Wa (花樣年華) Amor à Flor da Pele Disponível para Amar
2004 2046 (filme) 2046 - Os Segredos do Amor 2046 - Os Segredos do Amor
2007 My Blueberry Nights (藍莓之夜) Um Beijo Roubado O Sabor do Amor
2013 Yi dai zong shi (一代宗師) O Grande Mestre O Grande Mestre

Outros[editar | editar código-fonte]

Ano Título Original
1996 wkw/tk/1996@7'55"hk.net curta-metragem/publicidade
2000 Hua yang de nian hua curta-metragem
2001 The Hire: The Follow curta-metragem/publicidade
2002 Six Days videoclipe
2004 "A Mão" segmento do Eros
2007 "I Travelled 9000 km to Give It to You" curta-metragem em Chacun son cinéma : une déclaration d'amour au grand écran
There's Only One Sun curta-metragem/publicidade

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Recebeu três nomeações ao Independent Spirit Awards de Melhor Filme Estrangeiro, por "Chungking Express" (1994), "Happy Together" (1997) e "In the Mood for Love" (2000).
  • Recebeu uma nomeação ao BAFTA de Melhor Filme Estrangeiro, por "In the Mood for Love" (2000).
  • Ganhou o César de Melhor Filme Estrangeiro, por "In the Mood for Love" (2000).
  • Recebeu uma nomeação ao Préio Bodil de Melhor Filme Não-Americano, por "In the Mood for Love" (2000).
  • Ganhou o Prémio de Melhor Realizador no Festival de Cannes, por "Happy Together" (1997).
  • Ganhou o Prémio FIPRESCI no Festival de Valladolid, por "2046 - Os Segredos do Amor" (2006).
  • Ganhou o Prémio FIPRESCI no Festival de Estocolmo, por "Chungking Express" (1994).
  • Ganhou o Prémio de Melhor Filme no Festival de Valdivia, por "In the Mood for Love" (2000).

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Interview with Wong Kar Wai (em inglês). ABC Austrália. Página visitada em 22 de fevereiro, 2014.
  2. a b Wong Kar Wai (em inglês). The New York Times. Página visitada em 21 de fevereiro, 2014.
  3. Stokes, Lisa Odham; Michael Hoover. City on Fire: Hong Kong Cinema. London: Verso, 1999. ISBN 1-85984-203-8
  4. Bruno Yutaka Saito (15 de abril de 2007). Lançamentos evidenciam a maturação da obra de Kar-wai (em português). Folha de S.Paulo. Página visitada em 21 de fevereiro, 2014.
  5. Luiz Renato Gazzola (Junho 2008). Amor à Flor do Vinho (em português) pp. 113. UFMG. Página visitada em 22 de fevereiro, 2014.
  6. Tony Rayns (Janeiro 2000). Charisma Express (em inglês). BFI. Página visitada em 22 de fevereiro, 2014.
  7. a b c Scarlet Cheng (03 de outubro de 2008). Wong Kar-wai’s Phoenix Project, Rising at Last (em inglês). The New York Times. Página visitada em 21 de fevereiro, 2014.
  8. Laurence Van Gelder. Ashes Of Time (1994) (em inglês). The New York Times. Página visitada em 21 de fevereiro, 2014.
  9. a b Lee Hyo-won (09 de dezembro de 2013). Wong Kar-Wai Reminisces About Hellish Shoot for 'Ashes of Time' (em inglês). The New York Times. Página visitada em 21 de fevereiro, 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]