WordPress

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
WordPress
WordPress logo.svg
WordPress MP6 dashboard.png
Painel de administração do WordPress
Desenvolvedor Matt Mullenweg
Ryan Boren
Donncha O Caoimh
Plataforma Multiplataforma
Modelo do desenvolvimento Software livre
Lançamento 27 de maio de 2003 (11 anos)
Versão estável 3.9.2 (6 de agosto de 2014; há 3 semanas e 6 dias[1] )
Versão em teste 4.0 Beta 2 (18 de julho de 2014; há 6 semanas e 4 dias[2] )
Idioma(s) Vários, incluindo inglês e português
Escrito em PHP
Sistema operativo Multiplataforma
Gênero(s) CMS
Licença GPL versão 2
Estado do desenvolvimento Ativo
Tamanho 6,1 MB
Página oficial wordpress.org

WordPress é um aplicativo de sistema de gerenciamento de conteúdo para web, escrito em PHP com banco de dados MySQL, voltado principalmente para a criação de blogs via web. Essa é uma das ferramentas mais famosas na criação de blogs disputando diretamente com o serviço do Google chamado Blogger. No entanto, o WordPress é adotado por aqueles que queiram um blog mais profissional e com maiores recursos diferenciais.

O WordPress foi criado a partir do já desaparecido b2/cafelog e é hoje, junto com o Movable Type, o mais popular na criação de weblogs. As causas do seu rápido crescimento são, entre outras, seu tipo de licença (de código aberto), sua facilidade de uso e suas características como gerenciador de conteúdos. Criado por Ryan Boren e Matthew Mullenweg, é distribuído sob a GNU General Public License sendo gratuito.

O WordPress é utilizado também como plataforma de desenvolvimento de sites de comércio eletrônico, revistas, jornais, portfólio, gerenciador de projeto, diretório de eventos e outros conteúdos devido a sua capacidade de extensão através de plugins, temas e programação PHP[3] .

Características[editar | editar código-fonte]

Hierarquia de modelos WordPress

O WordPress possui um sistema de modelos, através de um processador de modelos. Os usuário pode re-organizar o layout através de widgets sem precisar editar códigos PHP ou HTML; eles também podem instalar e alternar entre temas WordPress. Os códigos PHP e HTML dos temas também podem ser editados para adicionar funcionalidades personalizadas.

Alguns dos recursos incluem:

  • Gerar XML, XHTML, e CSS em conformidade com os padrões W3C
  • Gerenciamento integrado de ligações
  • Estrutura de permalink amigável aos mecanismos de busca
  • Suporte extensivo a plug-ins
  • Categorias aninhadas e múltiplas categorias para artigos
  • TrackBack e Pingback
  • Filtros tipográficos para formatação e estilização de texto corretas
  • Páginas estáticas
  • Múltiplos autores
  • Suporte a tags (desde a versão 2.3)
  • Pode gerenciar múltiplos blogs em subpastas ou subdomínios (desde a versão 3.0)
  • Importação e exportação de dados
  • API de desenvolvimento de plugins
  • Níveis, promoção e rebaixamento de usuários
  • Campos personalizados que permitem armazenar dados extras no banco de dados

Há aplicações para Android,[4] iPhone/iPod Touch,[5] iPad,[6] Windows Phone 7 e BlackBerry[7] que oferecem acesso a alguns dos recursos do painel administrativo WordPress tanto para o WordPress.com quanto para alguns blogs WordPress.org.

O WordPress atualmente suporta a importação de dados, na forma de postagens (artigos), da maioria das plataformas de publicação disponíveis[8] . É possível importar dados exportados de outros sistemas como Blogger , WordPress.com etc.

História[editar | editar código-fonte]

Tela Adicionar novo Post, na versão 3.2

b2/cafelog, mais conhecido porb2 ou cafelog, foi o precursor do WordPress.[9] b2/cafelog estima ter sido empregado em aproximadamente 2,000 blogs até Maio de 2003. Escrito em PHP para uso em MySQL, o b2 foi escrito por Michel Valdrighi, que é agora um contribuidor no desenvolvimento do WordPress. Embora o WordPress seja o sucessor oficial, outro projeto b2evolution, também está em desenvolvimento ativo.

O WordPress apareceu em 2003 da junção de esforços entre Matt Mullenweg e Mike Little para criar um fork do b2.[10] O nome WordPress foi sugerido por Christine Selleck, uma amiga de Mullenweg.[11]

Em 2004 os termos de licenciamento para o concorrente Movable Type foi mudado pela Six Apart e muitos de seus usuários mais influentes migraram para o WordPress.[12] [13] Em Outubro de 2009, O sistema Market Share Report chegou a conclusão que o WordPress conseguiu criar uma das marcas mais fortes em sistemas de gerenciamento código aberto.[14]

A versão 3.0, lançada em 17 de junho de 2010, fundiu o WordPress MU ao aplicativo principal sendo assim, o projeto WordPress Mu foi descontinuado.[15] O WordPress MU era um fork do WordPress criado para permitir a existência e gerenciamento de vários blogs simultâneos em apenas uma instalação. Atualmente o WordPress pode se tornar multiusuário mediante a algumas configurações.[16]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em 2007, o WordPress ganhou um prêmio Packt de CMS código aberto.[17]

Em 2009, ganhou o prêmio de melhor CMS código aberto, o Open Source CMS Award.[18]

Em 2010, ganhou na categoria Hall of Fame CMS no 2010 Open Source Awards.[19]

Em 2011, ganhou o prêmio de aplicação web código aberto do ano, Open Source Web App of the Year Award no The Critters.[20] [21]

Remoção de temas patrocinados[editar | editar código-fonte]

Em 10 de Julho de 2007, seguindo a discussão no fórum de ideias WordPress[22] e artigo de Mark Ghosh em seu website Weblog Tools Collection,[23] Matt Mullenweg anunciou que o repositório oficial de temas WordPress em http://themes.wordpress.net não mais hospedará temas contendo link patrocinados.[24] [25] Embora isso tenha sido criticado por designers e usuários de tais temas, foi apoiado pela maioria dos usuários WordPress que consideravam tais temas como spam.[26] O repositório oficial de temas WordPress, parou a aceitação de qualquer tema, mesmo que sem links patrocinados, logo após o anúncio. Temas patrocinados ainda estão disponíveis, assim como temas gratuitos com links adicionados por terceiros.[27] [28]

Em 18 de Julho de 2008, um novo diretório de temas foi lançado em http://wordpress.org/extend/themes/. Com layout semelhante ao diretório de plugins.[29] Todo temas enviado é verificado por um script e então por voluntários.

Em 12 de Dezembro de 2008, mais de 200 temas foram removidos do diretório WordPress, por não compactuarem com a licença GPL.[30] Hoje, menções do autor são permitidas em cada tema, mas a política oficial não permite links patrocinados ou links para sites que distribuem temas não-GPL. Temas não-GPL agora são hospedados em outros diretórios.

Versões[editar | editar código-fonte]

A maioria das versões do WordPress tem o codinome de um cantor de jazz desde a versão 1.0.[31]

Versão Codinome Data de Lançamento Notas
0.70 27 de maio de 2003 Tinha a mesma estrutura do seu predecessor, b2/cafelog. Só é possível baixar a versão 0.71-gold no site oficial.
1.2 Mingus 22 de maio de 2004 O mais importante foi a introdução ao suporte de plugins. Ainda hoje ainda é usado a mesma estrutura de cabeçalhos para os plugins.
1.5 Strayhorn 17 de fevereiro de 2005 Strayhorn trouxe uma grande quantidade de atualizações vitais, como a criação de páginas estáticas e de temas/design. Assim como veio com um tema padrão incluído (codinome Kubrick[32] ) criado por Michael Heilemann.
2.0 Duke 31 de dezembro de 2005 Nesta versão veio o editor WYSIWYG, uma grande melhora nas ferramentas de administração, o upload de imagens, melhora na velocidade do sistema, mudanças na forma de importar informações, e uma completa revisão do BackEnd. No WordPress 2.0 também veio com uma grande variedade de informações para os desenvolvedores de plugins.[33]
2.1 Ella 22 de janeiro de 2007 Além das correções de segurança, esta versão trouxe um re-design da interface, melhorando o painel de edição com a auto correção e o auto-save, e uma melhora nas opções de administração.
2.2 Getz 16 de maio de 2007 Na versão 2.2 veio o tão esperado suporte para widgets em temas, e uma mudança no feed Atom, e uma substancial melhora de velocidade.[34]
2.3 Dexter 24 de setembro de 2007 Na versão 2.3 tivemos como principal adição o suporte nativo a tags, um novo sistema de categorias e uma melhora das notificações de atualizações. Nesta versão também foi incluído o suporte completo ao Atom 1.0, junto com o protocolo de publicação e incluiu algumas correções de segurança, já muito necessárias.[35]
2.5 Brecker 29 de março de 2008 Foi decidido pelos desenvolvedores pular a versão 2.4, logo a versão 2.5 veio com duas atualizações importantes. Novamente um completo re-design da adminstração e o site do WordPress também ganhou uma completa modificação para acompanhar o estilo.[36]
2.6 Tyner 15 de junho de 2008 Tyner veio com poderosas ferramentas que ajudaram a tornar o WordPress mais CMS, agora você pode Criar revisões para cada um dos artigos que são criados, tornando fácil voltar para uma versão anterior do artigo se necessário.[37]
2.7 Coltrane 11 de dezembro de 2008 De novo vemos mais um re-design do administração. Juntamente com a introdução da atualização automática de plugin pela administração.[38]
2.8 Baker 10 de junho de 2009 Baker trouxe melhoras na velocidade, e a instalação de temas direto da administração. Trouxe também uma modificação para a melhor edição de arquivos pela administração e uma completa reestruturação da API dos Widgets.[39]
2.9 Carmen 19 de dezembro de 2009 Carmen trouxe uma estrutura de lixeira, um editor de imagens , atualização em massa de plugins, e uma grande quantidade de novas funções para os desenvolvedores.[40]
3.0 Thelonious 17 de junho de 2010 Thelonius trouxe um novo tema padrão chamado "Twenty Ten". A versão marca a fusão do Wordpress com o Wordpress MU, permitindo a existência de vários blogs em uma única instalação. Nesta versão, também foram corrigidos mais de 1200 bugs.[41]
3.1 Reinhardt 23 de fevereiro de 2011 Reinhardt teve como novidade mais notória a adição da Admin Bar, a qual aparece em todas as páginas do blog quando o administrador está conectado. Trouxe maior facilidade de acesso a funções críticas, tal como comentários e atualizações, além de melhoria nas capacidades das ligações internas, entre outras.[42]
3.2 Gershwin 4 de julho de 2011 Gershwin teve como principal objectivo tornar o WordPress mais rápido e leve.[43]
3.3 Sonny 12 de dezembro de 2011 Sonny tem como principais objectivos tornar o WordPress mais amigável para principiantes e para utilizadores de tablet PC Nesta versão também lançou-se um importador especial para Tumblr.[44]
3.4 Green 14 de junho de 2012 Green pretende facilitar a personalização de temas e cabeçalhos, de embeds do Twitter e das legendas de imagens.[45]
3.5 Elvin 11 de dezembro de 2012 Suporte para Tela retina, seletor de cores mais intuitivo, novo tema: Twenty Twelve[46]
3.6 Oscar 01 de agosto de 2013 Um novo tema, Twenty Thirteen, preparado para apresentar os conteúdos de forma rica e com muitas cores. O editor de Menus está mais simples de entender e de usar. No editor, cada pequena alteração é salva, sendo possível restaurar de forma simples e rápida.[47]
3.7 Basie 24 de outubro de 2013 Foram adicionadas atualizações automáticas para a manutenção e atualizações de segurança. No momento de criar uma nova senha, a recomendação é mais interativa com o usuário. Um melhor suporte global para traduções com a ajuda da comunidade mundial também está melhor.[48]
3.8 Parker 12 de dezembro de 2013 Traz um novo visual para todo o painel de administração. Longe vão os gradientes arrogante e dezenas de tons de cinza. Traz em um maior, mais ousado design, mais colorido.[49]
3.9 Smith 16 de abril de 2014 Novos recursos como pré-visualização de widgets ao vivo e o novo instalador tema são agora estão melhores. Refinamentos de interface do usuário ao editar imagens e quando se trabalha com mídia no editor. Também trouxe de volta algumas das configurações avançadas de visualização das imagens. Se você quiser testar playlists de áudio e vídeo, os links vão aparecer no gerenciador de mídia, uma vez que você carregou um arquivo de áudio ou vídeo. Para os desenvolvedores de tema, foram adicionados suporte HTML5. A função de formatação que transforma citações diretas em citações inteligentes (entre outras coisas) sofreu algumas mudanças para acelerá-lo drasticamente.[50]

Vulnerabilidades[editar | editar código-fonte]

Em 2007 e 2008, muitos relatos de segurança[51] [52] foram relacionados ao software. De acordo com Secunia, em Abril de 2009, o WordPress tinha 7 advertências sem correções (de 32 do total), com uma taxa máxima de "Menos Crítico".[53] Secunia mantém uma lista atualizada de vulnerabilidades do WordPress[54] [55] .

Em Janeiro de 2007, muitos blogs de SEO, e também sites menores com AdSense, foram alvo de ataques através de uma vulnerabilidade WordPress.[56] Uma vulnerabilidade de um dos sites do projeto permitia inserir códigos vulneráveis na forma de um back door a alguns dos downloads da versão WordPress 2.1.1. O lançamento da versão 2.1.2 corrigiu isso.[57]

Em Maio de 2007, um estudo revelou que 98% dos blogs WordPress eram vulneráveis porque estavam usando uma versão ultrapassada.[58]

Em Junho de 2007, Stefan Esser, o fundador do PHP Security Response Team, criticou os relatórios de segurança, citando problemas com a arquitetura da aplicação que tornavam difíceis a escrita de códigos seguros, além de outros problemas.[59]

Em Junho de 2001 a rede wordpress.org foi alvo de ataques. Várias modificações em plugins populares foram observados, algumas contendo códigos maliciosos; as modificações foram revertidas por serem visivelmente suspeitas[60] . Por precaução, a senha de acesso à rede wordpress.org de todos os usuários precisou ser redefinida[61] .

Desde então, o WordPress tem melhorado em termos de segurança e as últimas versões tem relatos mínimos de vulnerabilidades.

Desenvolvedores[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento do WordPress é liderado por Ryan Boren e Matt Mullenweg. Mullenweg e Mike Little foram os co-fundadores do projeto. Principais desenvolvedores:[10]

  • Ryan Boren
  • Mark Jaquith
  • Matt Mullenweg
  • Andrew Nacin
  • Andrew Ozz
  • Peter Westwood

Apesar de ser desenvolvido em grande parte pela sua comunidade, o WordPress é associado com a Automattic, onde alguns dos principais desenvolvedores do WordPress são funcionários.[62]

Em parte desenvolvido pela comunidade, o WordPress tem entre estes os WP testers, um grupo de pessoas que testa os lançamentos voluntariamente. Eles tem acesso aos nightly builds, versões Beta e Release Candidates. Atualizando a essas versões, eles podem encontrar e reportar erros em uma lista de emails especial, ou na ferramenta Trac do projeto.

WordCamp[editar | editar código-fonte]

WordCamp é o nome dado para todos os encontros relacionados WordPress, tanto os encontros formais quanto os encontros descontraídos.[63]

O primeiro evento aconteceu em Agosto de 2006, em San Francisco, durou um dia e reuniu mais de 500 pessoas.[64] . O evento seguinte aconteceu em Julho de 2007, também em San Francisco, durou dois dias e reuniu cerca de 400 pessoas[65] .

O primeiro WordCamp fora de San Francisco aconteceu em Beijing em Setembro de 2007[66] . Desde então, aconteceram mais de 150 WordCamps no mundo[66] . O WordCamp San Francisco, um evento anual, continua sendo uma conferência para usuários e desenvolvedores WordPress[67] .

WordCamps Realizados no Brasil[editar | editar código-fonte]

21 de junho de 2009
O primeiro WordCamp brasileiro aconteceu na FUNART, na cidade de São Paulo[68] .
22 e 23 de outubro de 2010
O segundo WordCamp brasileiro aconteceu em Curitiba, Paraná, nas instalações da Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP)[69] .
15 e 16 de junho de 2012
O terceiro WordCamp brasileiro e o segundo em Curitiba, Paraná, na Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP),[70] conteve uma grade de atividades direcionadas à usuários, desenvolvedores e profissionais do WordPress[71] . O lançamento da tradução do WordPress 3.4, então lançado dias antes, foi atrasado para que uma grande revisão da tradução fosse feita durante o evento.[72]
13 de julho de 2013
O quarto WordCamp brasileiro e o primeiro em Porto Alegre, Rio Grande do Sul ocorreu na FTEC FaculdadesErro de citação: Código <ref> inválido; refs sem conteúdo devem ter um parâmetro de nome
23 de novembro de 2013
O WordCamp São Paulo 2013[73] aconteceu na PUC-SP e contou com palestras para desenvolvedores e administradores de WordPress.

WordCamps Realizados em Portugal[editar | editar código-fonte]

24 de Setembro de 2011
Em Lisboa, Portugal, o primeiro WordCamp realizou-se no Auditório Agostinho da Silva, na Universidade Lusófona.[74]
29 e 30 de Setembro de 2012
Em Lisboa, Portugal, ocorreu no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) uma escola de engenharia actualmente integrada no Instituto Politécnico de Lisboa.[75]

WordPress.org vs. WordPress.com[editar | editar código-fonte]

É comum a confusão entre o WordPress.org e o WordPress.com.

WordPress.org

É o site comunitário do projeto do aplicativo WordPress, onde é possível fazer o download do aplicativo e contribuir com o projeto. Além de dispor o download, o portal também abriga o diretório de plugins e temas, a documentação chamada de Codex, lista de sites que utilizam o aplicativo WordPress, o Fórum de Suporte e o blog oficial.

WordPress.com

É um serviço de propriedade da Automattic que oferece hospedagem gratuita de blogs com software WordPress. Um usuário cria um endereço do tipo omeublog.wordpress.com, mas que inclui certas limitações como a de poder escolher apenas alguns temas, ou de incluir no rodapé o texto "Hospede seu blog com WordPress.com", e ainda de restringir a utilização de JavaScript, CSS e FTP.[76] Em abril de 2008, uma ordem judicial da 31ª Vara Civel do Tribunal de Justiça de São Paulo, pediu o bloqueio de um blog hospedado no WordPress.com por conter suposto conteúdo criminoso, a ação poderia retirar do ar todos os blogs hospedados no serviço,[77] a Automattic, responsável pelo serviço interveio no processo judicial sugerindo à Justiça duas formas de implementar o bloqueio sem prejudicar o serviço como um todo, ao contrário do que foi amplamente divulgado, o advogado que representou a Automattic no Brasil afirma que nunca houve vídeo erótico no blog.[78]

Referências

  1. Matt Mullenweg (16 de abril de 2014). WordPress 3.9.2 (em inglês). wordpress.org. Página visitada em 16 agosto de 2014.
  2. WordPress 4.0 Beta 2.
  3. O que é possível desenvolver com o WordPress?. imasters.com.br.
  4. WordPress publishes native Android application. Android and Me (2010-02-02). Página visitada em 2010-06-15.
  5. Idea: WordPress App For iPhone and iPod Touch. WordPress iPhone & iPod Touch. Página visitada em 2008-07-12.
  6. "18 Million WordPress Blogs Land on the iPad", ReadWriteWeb, March 24, 2011.
  7. WordPress for BlackBerry. WordPress. Página visitada em 2009-12-27.
  8. Importando Conteúdo
  9. Andrew Warner, Matt Mullenweg. The Biography Of WordPress – With Matt Mullenweg (MPEG-4 Part 14) [Podcast]. Mixergy. Acessado em 2009-09-28. Evento ocorre em 10:57. “b2 had actually, through a series of circumstances, essentially become abandoned.”
  10. a b WordPress " About. wordpress.org. Página visitada em 2007-03-04. "WordPress started in 2003 (...)"
  11. Big Pink Cookie. Página visitada em 2009-03-10.
  12. "Blogging grows up", Salon.com
  13. "Freedom 0 ", an influential post by Mark Pilgrim
  14. "2009 Open Source CMS Market Share Report," page 57, by water&stone and CMSWire Oct, 2009. Cmswire.com (2009-12-17). Página visitada em 2010-06-15.
  15. WordPress Mu no longer exists as a separate project
  16. Ativando o Multisite
  17. Open Source CMS Award Previous Winners. Packt Publishing Technical & IT Book Store. Página visitada em 2010-06-15.
  18. Open Source CMS Awards. Página visitada em 2009-10-10.
  19. Open Source CMS Awards. Página visitada em 2010-10-10.
  20. Winning at The Critters. Página visitada em 2011-27-05.
  21. Open Source Web App of the Year Award. Página visitada em 2011-27-05.
  22. Idea: Remove Sponsored Themes from WordPress.org. WordPress Ideas. Página visitada em 2007-08-20.
  23. Mark Ghosh (2007-07-10). No Sponsored themes on WeblogToolsCollection. Página visitada em 2007-07-18.
  24. Matt Mullenweg (2007-07-10). WLTC High Ground. Página visitada em 2007-07-18.
  25. Lorelle van Fossen (2007-07-11). It’s Official. Sponsored WordPress Themes Are Out.. Lorelle on WordPress. Página visitada em 2007-07-25.
  26. No sponsor themes.
  27. Mark Ghosh (2007-08-04). WARNING: TemplatesBrowser dot com. Weblog Tools Collection. Página visitada em 2008-05-18.
  28. Mark Ghosh (2007-11-09). Blogstheme.com WARNING. Weblog Tools Collection. Página visitada em 2008-05-18.
  29. Joseph Scott (2008-07-18). Theme Directory. WordPress Blog. Página visitada em 2007-08-20.
  30. 200 Themes Removed From WordPress.org – Matt Explains Why. Blogherald.com (2008-12-12). Página visitada em 2010-06-15.
  31. WordPress › Blog » Versões
  32. Kubrick em Binary Bonsai
  33. WordPress › Blog » WordPress 2
  34. WordPress › Blog » WordPress 2.2
  35. WordPress › Blog » WordPress 2.3
  36. WordPress › Blog » WordPress 2.5
  37. WordPress › Blog » WordPress 2.6
  38. WordPress › Blog » WordPress 2.7
  39. WordPress › Blog » WordPress 2.8
  40. WordPress Codex: Versão 2.9
  41. WordPress Codex: Version 3.0
  42. WordPress › Codex » WordPress 3.1 “Reinhardt”. Wordpress.org. Página visitada em 2011-11-26.
  43. WordPress › Codex » WordPress 3.2 “Gershwin”. Wordpress.org. Página visitada em 2011-07-6.
  44. WordPress › Codex » WordPress 3.3 “Sonny”. Wordpress.org. Página visitada em 2011-12-13.
  45. WordPress › Codex » WordPress 3.4 “Green”. Wordpress.org. Página visitada em 2012-06-16.
  46. Wordpress 3.5 “Elvin”.
  47. Wordpress 3.6 “Oscar”.
  48. WordPress 3.7 “Basie”.
  49. WordPress 3.8 “Parker”.
  50. WordPress 3.9 “WordPress”.
  51. Wincent Colaiuta (2007-06-21).
  52. David Kierznowski (2007-06-28).
  53. Secunia Advisories for WordPress 2.x (2009-04-07).
  54. Secunia WordPress 2.x Vulnerability Report. Secunia.com. Página visitada em 2010-06-15.
  55. Secunia WordPress 3.x Vulnerability Report. Secunia.com. Página visitada em 2010-12-27.
  56. WordPress Exploit Nails Big Name Seo Bloggers | Threadwatch.org
  57. WordPress 2.1.1 dangerous, Upgrade to 2.1.2. WordPress.org (2 March 2007). Página visitada em 2007-03-04.
  58. Survey Finds Most WordPress Blogs Vulnerable. Blog Security (2007-05-23). Página visitada em 2010-06-15.
  59. Blog Archive » Interview with Stefan Esser. BlogSecurity (2007-06-28). Página visitada em 2010-06-15.
  60. Passwords Reset. Blog Security (2011-05-21). Página visitada em 2011-08-05.
  61. Falha de segurança obriga usuários do Wordpress.org a mudar senhas. UOL Notícias (2011-06-22). Página visitada em 2011-08-05.
  62. About Us « Automattic. automattic.com. Página visitada em 15 de Março de 2011.
  63. WordCamp Central
  64. WordCamp 2006
  65. WordCamp 2007
  66. a b WordCamp Central > Schedule
  67. WordCamp SF Announced (not WordCon), Jane Well
  68. WordCamp Brasil 2009 - Como foi o primeiro WordCamp Brasil
  69. WordCamp Curitiba 2012
  70. FESP sedia WordCamp Curitiba
  71. WordCamp Curitiba 2012
  72. Lançado o WordPress 3.4
  73. WordCamp São Paulo 2013.
  74. WordCamp Lisboa 2011.
  75. WordCamp Lisboa 2012
  76. José Fontainhas. A diferença entre WordPress.com e WordPress.org. Página visitada em 2011-08-10.
  77. Lygia de Luca (17/04/2008). Acesso ao WordPress pode ser bloqueado no Brasil por ordem judicial. IDG Now!. Página visitada em 01/08/2013.
  78. Lygia de Luca (15/03/2012). WordPress nomeia advogado brasileiro para enfrentar bloqueio de serviço. IDG Now!. Página visitada em 01/08/2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]