Xadrez epistolar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cartão postal para uso específico no Xadrez Postal em nível internacional, com indicações em cinco línguas diferentes: inglês, espanhol, francês, alemão e russo.
A Wikipédia possui o
Portal de Enxadrismo

Xadrez Epistolar (ou Postal) é uma modalidade de enxadrismo que é praticada por meio de correspondência, entre enxadristas localizados em pontos distantes do globo, originalmente por meio de cartas e cartões-postais, nos quais era utilizada um tipo especial de notação de partidas denominado Notação Epistolar. Atualmente, o xadrez epistolar também é praticado por e-mail e servidores de internet.

A principal entidade em nível mundial dedicada a esta modalidade de enxadrismo é a International Correspondence Chess Federation (ICCF). No Brasil, a principal organização é o Clube de Xadrez Epistolar Brasileiro (CXEB), fundado 1964, na cidade do Rio de Janeiro. O Clube Epistolar é reconhecido pela Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) e filiado à ICCF.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

O xadrez por correspondência é tão antigo quanto o próprio jogo e os meios de comunicação à distância. Há relatos confiáveis e documentados de diversas partidas entre indivíduos, clubes e cidades desde meados do século XVI. Vários enxadristas célebres já o utilizaram como o principal meio de fortalecerem e aprimorarem seu jogo, dentre eles Alexander Alekhine, Max Euwe e Paul Keres.[2] Em sua pequena cidade natal de Narva, na Estônia, Keres não tinha muitas oportunidades de jogar xadrez, compensou a dificuldade por meio do xadrez por correspondência, chegando a jogar mais de 150 partidas simultaneamente. Veio a tornar-se um entusiasta do xadrez epistolar.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Em nível internacional, as partidas individuais disputadas pela ICCF são publicadas regularmente nas revistas ICCF AMICI, da federação internacional, Fernschach International, da Alemanha, e na Chess Mail, da Irlanda. No Brasil, são publicadas bimestralmente pela CXEB na Revista Brasileira de Xadrez Postal.[2]

Xadrez epistolar no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a primeira federação criada foi o Clube de Xadrez por Correspondência (CXC), substituído depois pela Liga Brasileira de Xadrez (LIBAXE). Esse clube deixou de existir em meados de 1965, dando lugar ao atual e atuante Clube de Xadrez Epistolar Brasileiro (CXEB). O CXEB é o clube que é filiado junto à ICCF e regular a modalidade no país. Também é o CXEB que organiza os torneios internos, torneios temáticos e os Campeonatos Nacionais Epistolares (individual e por equipes) e a Taça Brasil, maior evento postal do país, com participação de sócios e não-sócios.

Para se filiar ao CXEB, é necessário entrar na página oficial do clube e solicitar sua inscrição. É necessário o pagamento de uma anuidade, que varia de acordo com a idade do postalista. A anuidade dá ao associado todos os direitos, inclusive o de receber bimestralmente a Revista Brasileira de Xadrez Postal.

Títulos epistolares[editar | editar código-fonte]

Títulos epistolares nacionais e internacionais nas categorias masculino e feminino, segundo o CXEB.[3]

  • Grande Mestre Internacional Postal (GM - ICCF)
  • Grande Mestre Internacional Postal Feminino (LGM - ICCF)
  • Mestre Sênior Internacional Postal (SIM – ICCF)
  • Mestre Internacional Postal (IM - ICCF)
  • Mestre Internacional Postal Feminino (LIM - ICCF)
  • Mestre Latinoamericano Postal (MLP - ICCF)
  • Mestre Nacional Postal (MBXP - CXEB)
  • Árbitro Internacional (AI - ICCF)

Campeões mundiais ICCF[editar | editar código-fonte]

As datas informadas correspondem ao ano em que ocorreu a final dos campeonatos, segundo a CXEB/ICCF.[4]

Masculino[editar | editar código-fonte]

  1. Austrália Cecil John Seddon Purdy (1950-53)
  2.  União Soviética Viacheslav Ragozin (1956-59)
  3. Bélgica Albéric O'Kelly de Galway (1959-62)
  4.  União Soviética Vladimir Zagorovsky (1962-65)
  5. Estados Unidos Hans Berliner (1965-68)
  6. Alemanha Horst Rittner (1968-71)
  7.  União Soviética Yakov Estrin (1972-76)
  8. Dinamarca Jørn Sloth (1975-80)
  9. Estónia Tõnu Õim (1977-83)
  10. Estados Unidos Victor Palciauskas (1978-84)
  11. Alemanha Oriental Friedrich Baumbach (1983-89)
  12.  União Soviética Grigory Sanakoev (1984-91)
  13.  União Soviética Mikhail Umansky (1989-98)
  14. Estónia Tõnu Õim (1994-2000)
  15. Países Baixos Gert Jan Timmerman (1996-2002)
  16. Turquia Tunç Hamarat (1999-2004)
  17. Noruega Ivar Bern (2002-)
  18. Países Baixos Joop van Oosterom (2003-2005)
  19. França Christophe Léotard (2004-)
  20. Países Baixos Joop van Oosterom (2005-2007)

Feminino[editar | editar código-fonte]

  1.  União Soviética Olga Rubtsova (1968-72)
  2.  União Soviética Lora Jakovleva (1972-77)
  3. Israel Ljuba Kristol (1978-84)
  4.  União Soviética Liudmila Belavenets (1984-92)
  5. Israel Ljuba Kristol (1993-98)
  6. Itália Alessandra Riegler (2000-05)
  7. Rússia Olga Mikhailovna Sukhareva (2002-2006)

Campeões brasileiros CXEB[editar | editar código-fonte]

Campeões brasileiros de xadrez epistolar nas categorias masculino e feminino, segundo o CXEB.[5]

Masculino[editar | editar código-fonte]

  • I CBI - Henrique Pereira Maia Vinagre
  • II CBI - Adaucto Wanderley da Nóbrega
  • III CBI - Antônio Pacini
  • IV CBI - Gilberto Fraga Portilho
  • V CBI - Orlando de Alcântara Soares
  • VI CBI - Marco Antônio Hazin Asfora
  • VII CBI - Hemar Antônio Galvão Barata
  • VIII CBI - Antônio José C. Domingos Tavares
  • IX CBI - Gilson Luis Chrestani
  • X CBI - Zélio Bernardino
  • XI CBI - Carlos Evanir Costa
  • XII CBI - Zélio Bernardino
  • XIII CBI - João Carlos de Oliveira 12/52
  • XIV CBI - Airton Ferreira da Silva 04/39
  • XV CBI - Ércio Perocco Junior
  • XVI CBI - Marcio Barbosa de Oliveira
  • XVII CBI - Rodrigo Veloso Fargnoli
  • XVIII CBI - Natalino Constancio Ferreira
  • XIX CBI - A - José Arnaldo de Bello Vieira
  • XIX CBI - B - Milton Goncalves Sanchez
  • XX CBI - Fábio Bidart Piccoli
  • XXI CBI - Marcos Antonio dos Santos
  • XXII CBI - Marcos Antonio dos Santos
  • XXIII CBI - Marcos Antonio dos Santos

Feminino[editar | editar código-fonte]

  • II CBF - Maria Amelia Matos
  • III CBF - Heloisa Stange Amorim
  • IV CBF - Heloisa Stange Amorim
  • V CBF - Jadilva Macario
  • VII CBF - Marilia Raeder Auar Oliveira

Campeões da Taça Brasil[editar | editar código-fonte]

  • I TB - Adaucto Wanderley da Nóbrega
  • II TB - Célio Sormani
  • III TB - Mário Silas Biava
  • IV TB - Salvador Homce de Cresce
  • V TB - Marco Antônio Hazin Asfora
  • VI TB - Marco Polo Rios Simões
  • VII TB - Gilson Luiz Chrestani
  • VIII TB - Rolf Dieter Bückmann
  • IX TB - João Maria Machado Filho
  • X TB - Ermano Soares de Sá
  • XI TB - José Antônio S Gonçalves
  • XII TB - Carlos Evanir Costa
  • XIII TB - Edmundo Zuchowski Filho
  • XIV TB - Zelio Bernardino
  • XV TB - Fábio Bidart Piccoli
  • XVI TB - Alberto Mourão Bastos
  • XVII TB - Luiz Claudio Guimarães
  • XVIII TB - Alfredo Dutra
  • XIX TB - Jose Arnaldo Bello Vieira
  • XX TB - Bolivar Ribeiro Gonzalez
  • XXI TB - Romeu Edgar Mundstock
  • XXII TB - Denis Moreira Leite
  • XXIII TB - Leonardo Guedes Magalhães
  • XXIV TB - Odilo Blanco Lizarzaburo
  • XXV TB - Leonardo Guedes de Magalhães

Campeão do Torneio Temático TT/N.05(SD)01[editar | editar código-fonte]

  • Nilson José Espindola Pereira

Referências

  1. Informações sobre o xadrez postal.. Acessado em 5 de março de 2010.
  2. a b Filguth, 222.
  3. Associados do CXEB titulados.. Acessado em 5 de março de 2010.
  4. Campeões Mundiais de Xadrez - ICCF.. Acessado em 5 de março de 2010.
  5. Galeria dos Campeões Brasileiros Postais.. Acessado em 5 de março de 2010.

Obras utilizadas nas referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


A Wikipédia possui o
Portal de Enxadrismo
Ícone de esboço Este artigo sobre enxadrismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.