Xerife Woody

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Xerife Woody
Personagem de Toy Story
Woody toy story 3.jpg
Morada Casa do Andy (1-2)
Casa da Bonnie (3)
Sexo Masculino
Espécie Boneco puxa-corda
Amigo(s) Buzz, Jessie, Rex, Porquinho, Slinky, Sr. Cabeça de Batata e Sra. Cabeça de Batata, Bala no Alvo, Botão de Ouro, Dolly, Trixie, Totoro, Chuckles, Ervilhinhas e os Aliens
Criado por John Lasseter, Pete Docter, Andrew Stanton, Joe Ranft
Voz Estados Unidos Tom Hanks
Brasil Alexandre Lippiani (Toy Story 1)/Marco Ribeiro
Portugal Miguel Ângelo
Filme(s) Toy Story 1, 2 e 3
Género(s) Animação, comédia
Primeira aparição Toy Story (1995)
Última aparição Toy Story 3 (2010)
Projecto Banda desenhada  · Portal Disney

Xerife Woody ou simplesmente Woody (criado em 25 de março de 1995) é um personagem fictício, que apareceu pela primeira vez no filme Toy Story lançado em 1995, depois no segundo filme Toy Story 2 lançado em 1999 e no terceiro filme Toy Story 3 lançado em 2010.

História[editar | editar código-fonte]

Antes de Woody tornar-se o brinquedo preferido de Andy, um boneco com sua versão estrelou em um programa de TV dos anos 1950, chamado "O Rodeio do Woody", que incluiu também os personagens Bala-no-Alvo, a vaqueira Jessie, e Pete Fedido, o Mineiro. No entanto, a série foi cancelada após o homem ter ido ao espaço, ou seja, após os brinquedos espaciais tornarem-se uma nova mania entre as crianças.

Ele é o brinquedo favorito de Andy desde o "Jardim-de-Infância", com um lugar especial sobre a cama de Andy, e é o líder dos brinquedos no quarto de Andy. Em Toy Story 2, se revelou que ele é baseado no personagem principal de um popular programa dos anos de 1950 "O Rodeio do Woody". Quando Al tenta comprar Woody da mãe de Andy, ela diz que Woody se trata de "um brinquedo antigo de família". Na versão original dos filmes, ele é manifestado por Tom Hanks nos dois filmes e por seu irmão Jim Hanks em outras ocasiões. No Brasil, Woody é dublado por Marco Ribeiro (exceto na dublagem do Toy Story 1, cujo é dublado por Alexandre Lippiani). Com a morte de Alexandre Lippiani em 1997, Marco Ribeiro tornou-se o dublador definitivo do personagem.

Em Toy Story 3, Andy (seu dono) está indo para a faculdade e tem de deixar os brinquedos em uma creche, e Woody é o único que ele separa para levar. Quando tenta resgatar seus amigos na Creche Sunnyside, onde os brinquedos são maltratados pelo maligno urso Lotso, conhece a jovem Bonnie, que se torna a nova dona de todos os brinquedos. Os novos curtas da série, como Toy Story Toons: Hawaiian Vacation e Toy Story Toons: Small Fry tem os brinquedos já na casa de Bonnie. Woody também tem breves participações em A Bug's Life (batendo a claquete nos erros de gravação) e Carros (como um carro de brinquedo).

Características[editar | editar código-fonte]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Woody é um antiquado boneco cowboy puxa-corda. Como mencionado em Toy Story 2, a sua construção inclui uma "original pintura à mão em seu rosto, com uma camisa costurada com tingimento natural, e com o chapéu coberto com vinil".

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter sido considerado o líder do quarto do Andy, Woody é visto nos filmes como um personagem imperfeito, devido ao fato dele ter aleatórias crises de ciúme, raiva, frustração, e sentimentos inadequados em relação ao seu papel. Ele foi descrito por Buzz Lightyear, no primeiro filme, como um "homem triste e estranho" e que, ele fez pouco para dissipar esta acusação.

Inspirações[editar | editar código-fonte]

Woody foi inspirado pelo brinquedo favorito do produtor executivo John Lasseter, um boneco puxa-corda que fala. A Pixar e o diretor Bud Luckey desenhou o personagem e surgiu a ideia de fazer dele um cowboy.

Mania Toy Story[editar | editar código-fonte]

Woody também aparece na atração Mania Toy Story. A atração está localizado na Disney's California Adventure, no Disneyland Resort em Anaheim, Califórnia.

Dubladores[editar | editar código-fonte]

  • Estados Unidos - Tom Hanks/Jim Hanks
  • Brasil - Alexandre Lippiani (1995) e Marco Ribeiro (1999-atual)
  • Itália - Fabrizio Frizzi
  • Alemanha - Peer Augustinski
  • Espanha - Oscar Barberán
  • América Latina (exceto Brasil) - Carlos Segundo e Arturo Mercado Jr.
  • Finlândia - Antti Pääkkönen
  • França - Jean-Philippe Puymartin
  • Québec - Mario Desmarais
  • Hungria - Stohl András
  • Holanda - Gijs Scholten van Aschat
  • Língua Flamenga - Warre Borgmans
  • Portugal - Miguel Ângelo
  • Polônia - Robert Czebotar
  • Suécia - Björn Skifs