Yörük

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Yörük, Yürük ou Yuruk
Yoruk-map.gif
Mapa com as principais áreas da Anatólia habitadas pelos yörük a vermelho.
População total
Regiões com população significativa
Línguas
turco
Religiões
Islão
Etnia
Caucasianos
Grupos étnicos relacionados
turcos e outros povos turcos
Pastor Yörük nas montanhas Aladağlar (Anti-Tauro).

Os Yörük, Yürük ou Yuruk (em turco: Yörük, em búlgaro: юруци, em grego: Γιουρούκοι) são um povo turco de ascendência oguz. Habitam principalmente as montanhas do sul da Anatólia (Turquia) e uma parte da península balcânica. Alguns yörük ainda são nómadas.[nt 1] [1] [2]

O termo "Yörük" deriva do verbo turco yürü (yürümek no infinitivo), e significa "aqueles que caminham, caminhantes".[3]

Os yörük na Europa[editar | editar código-fonte]

Os yörük aparentam ser descendentes das populações oguzes que se fixaram na Macedónia e na Trácia no século XIV, senão mais cedo.[4] Apesar de atualmente a maior parte dos yörük estarem cada vez mais sedentarizados, muitos deles ainda mantêm o seu estilo de vida nómada tradicional, criando cabras e ovelhas nos Montes Pindo (na região grega de Épiro e no sul da Albânia), os Montes Šar no Kosovo, os montes Pirin e Ródope na Bulgária, e em Dobruja, entre a Bulgária e a Roménia.[carece de fontes?] Um ramo antigo dos yörük, os kayılar (ou kayı), foram dos primeiros turcos a colonizar a Europa, fixando-se nas regiões gregas da Tessália e da Macedónia.[4] Ver "Yörük e kayılar".

Até 1923, encontravam-se yörük naquelas regiões, especialmente na cidade de Kozani e seus arredores. Acredita-se que se tenham convertido ao Islão no século XVIII, depois de um período em que cohabitaram com uma parte dos nativos meglenorromenos da Grécia,[carece de fontes?] os quais foram expulsos para a Turquia em 1923, no âmbito da troca de populações entre a Grécia e a Turquia. Na Bélgica e na Holanda há também yörük, cujos nomes foram ligeiramente mudados — teem origem turca e os seus nomes de família são Yürük.

Yörük e sarakatsani[editar | editar código-fonte]

O estilo de vida nómada e o facto de se terem espalhado pelos Balcãs levou o antropólogo francês Arnold van Gennep a tentar estabelecer uma relação entre os yörük e os sarakatsani (ou karakachans ou saracatsans) da Grécia. No entanto a primeira menção aos sarakatsani refere-se a cristãos ortodoxos que falavam um dialeto grego. Embora não haja ligações linguísticas ou religiosas entre os yörük e os sarakatsani, há no entanto similaridades entre o estilo de vida trasumante e nómada das duas etnias, pelo que Gennep pôs a hipótese de partilharem a mesma origem.[5]

Yörük e kayılar[editar | editar código-fonte]

Registos otmanos de assentamentos de yörük kayılar.

A origem dos turcos kayılar (ou kailar) acima referidos, que alguns estudiosos associam aos yörük[4] não é clara. Os kayılar habitavam regiões gregas da Tessália e da Macedónia, principalmente nas imediações da cidade de Ptolemaida, cujo nome até 1928 era Kayılar.[6] Eram o pequeno grupo de criadores de gado semi-sedentários que adotaram o Cristianismo a fim de evitarem a expulsão depois da Tessália passar a fazer parte da Grécia, em 1881[carece de fontes?], o mesmo acontecendo na Macedónia meridional após 1913. Estes turcos são também conhecidos como konariotes,[4] um termo que também foi um dos gentílicos de Konya, a cidade da Anatólia. Os kayılar, principalmente os da aldeia de Erdemuş, perto de Kayılar (atualmente Ptolemaida), reclamam-se descendentes do que eles descrevem como a "nobre e sóbria família Yörükhan", que, segundo os arquivos otomanos era descendente dos Pervâneoğulları[a] "timariotes".

O termo kayılar deriva de kayı, o nome da tribo oguz de Osman I, o fundador da Dinastia Otomana.[nt 2] [7]

Yörük na Anatólia e no Médio Oriente[editar | editar código-fonte]

Yörük nómadas.

Os yörük da Anatólia são usualmente chamados yörük turcomanos ou turcomanos [b] pelos historiadores de etnologistas Na linguagem comum atual da Turquia, os termos türkmen e yörük, que indicam as suas raízes oguzes, são associados a diferentes graus de aderência da mesma etnia ao estilo ancestral baseado no nomadismo. Chama-se türkmen aos que, apesar de manterem uma parte da sua cultura ancestral nas tradições, folclore e artesanato que caracterizavam o estilo de vida nómada, são já completamente sedentários. A tecelagem de tapetes, o hábito de ter uma casa em yaylas (prados em planaltos ou montanhas) onde passam o verão e as frequentes ligações à comunidade alevita (um ramo místico do Islão) são algumas das características dos türkmen. O termo yörük geralmente está mais associado aqueles que ainda manteem mais arreigados os hábitos nómadas, mesmo que os camelos, o meio de transporte tradicional tenha vindo a ser cada vez mais substituído por camionetas e carrinhas.

Clãs, tribos relacionadas e ramos[editar | editar código-fonte]

Yörük nómadas.

Existem clãs relacionados com os yörük espalhados pela Antólia e suas imediações, principalmente à na cadeia dos Montes Tauro e à sua volta e, mais a leste, nas margens do Mar Cáspio. Dentre os turcomanos do Irão, os yomut são os mais aparentados com os yörük. Um ramo interessante dos yörük são os tahtadji das montanhas da Anatólia Ocidental, os quais, como o seu nome indica, desde há séculos se ocupam de trabalhos florestais e artesanato de madeira. Os tahtadji partilham algumas tradições com os yörük, como por exemplo, uma estrutura social com tons marcadamente matriarcal. Os qashqai do sul do Irão (à volta de Xiraz) o os chepni da costa turca do Mar Negro também partilham algumas características culturais com os yörük. Uma parte considerável da população turca do norte do Chipre é igualmente de ascendência yörük.

Notas

[a] ^ Pervâneoğulları ("os filhos de Pervâne" em turco) é também o nome de um beilhique (beylik, pequeno estado surgido na sequência do desmoronamento do sultanato seljúcida de Rum) que existiu nos séculos XIII e XIV na região de Sinop, na costa do Mar Negro, que foi integrado no Império Otomano.
[b] ^ "turcomano" pode ter o sentido mais estrito de "Oguz".[nt 1]
  1. a b A maior parte do texto foi inicialmente baseado no artigo artigo «Yörük» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).
  2. Trecho baseado no artigo artigo «Kayı tribe» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).

Referências

  1. Vakalopoulos, Apostolos Euangelou. Origins of the Greek Nation: The Byzantine Period, 1204-1461 (em <Língua não reconhecida>). [S.l.]: Rutgers University Press, 1970. 163,330 pp. ISBN 978-0813506593.
  2. Marushiakova, Elena; Popov, Vesselin. Gypsies in the Ottoman Empire: A Contribution to the History of the Balkans (em <Língua não reconhecida>). [S.l.]: University of Hertfordshire Press, 2001. 35 pp. ISBN 978-1902806020.
  3. "yuruk". (em inglês) Webster's Third New International Dictionary, Unabridged. (2002). Merriam-Webster. 
  4. a b c d Macedonia/Races [ligação inativa] (em inglês) www.1911encyclopedia.org LoveToKnow Classic Encyclopedia baseada na Encyclopædia Britannica (edição de 1911). Visitado em 2010-10-08.
  5. Kavvadias, Georgios V.. Pasteurs-Nomades Mediterraneens: Les Saracatsans de Grèce (em <Língua não reconhecida>). Paris: Gauthier-Villars, 1965. 6 pp.
  6. Πτολεμαϊδα (História) (em grego) www.ptolemaida.net. Visitado em 2010-10-08.
  7. Shaw, Stanford Jay. History of the Ottoman Empire and Modern Turkey (em <Língua não reconhecida>). [S.l.]: Cambridge University Press, 1976. 306 pp. ISBN .
  • Brailsford, H.N.. Macedonia: Its Races and Their Future: Kailar Turks (em <Língua não reconhecida>). Londres: Methuen & Co., 1906.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Yörük