Yedioth Ahronoth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde abril de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.

O Yedioth Ahronoth (em hebraico: ידיעות אחרונות, significando "últimas notícias") é um jornal diário israelense de grande circulação, editado em hebraico. Desde a década de 1970, é o jornal de maior tiragem em Israel. [1]

Este jornal, um dos primeiros jornais israelenses a ser privatizados, foi fundado em 1939 por Nachum Komarov e pouco depois foi comprado por Yehuda Mozes. Foi o primeiro vespertino da Palestina Mandatária e tentava emular o formato do tabloide Evening Standard de Londres. Mas logo o jornal entrou em dificuldades financeiras, e Kumarov teve que vendê-lo a Yehuda Mozes, um rico negociante de terras que via o jornal como hobby mas também como investimento a longo prazo. O seu primeiro chefe de redação foi Noah Mozes, o filho de Yehuda Mozes.[2]

Em 1948, um grande grupo de jornalistas e membros do staff liderados por Azriel Carlebach, que era o editor na altura, deixou o jornal, para formar um jornal concorrente, o Maariv. Foi o início de uma batalha pelo mercado, que ainda prossegue, entre estes dois jornais de prestígio. Carlebach foi posteriormente substituído por Herzl Rosenblum.

Hoje, o jornal é dirigido pelo filho de Noah Mozes, Arnon Mozes. Por muitos anos, foi editado pelo filho de Herzl Rosenblum, Moshe Vardi, que foi substituído em 2005, por Rafi Ginat.

Yedioth Ahronoth adota uma linha editorial mais popular e é aberto a uma ampla variedade de pontos de vista políticos.[1] Em termos de conteúdo, contrasta com o Haaretz, que é voltado a um público mais sofisticado.[3]

Atualmente é controlado pelo Yedioth Ahronoth Group, que também tem interesse em diversas empresas israelenses, tais como "Channel 2", um canal de televisão comercial; "Hot", a companhia de televisão a cabo; "Yedioth Tikshoret", um grupo de jornais regionais; "Vesti", um jornal em língua Russa; revistas e outras empresas não ligadas a meios de comunicação.

Referências

  1. a b The press in Israel BBC Monitoring (8 May 2006). Página visitada em 20 de janeiro de 2013.
  2. The Israeli Press Jewish Virtual Library
  3. Wolfsfeld, G. (1997) Media and Political Conflict, p.96 ISBN 0-521-58967-3

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]