Yi-Fu Tuan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Yi-Fu Tuan (2012)

Yi-Fu Tuan, nascido em 5 de Dezembro de 1930), é um geógrafo sino-americano.

Tuan nasceu em Tianjin, China. Filho de um diplomata de classe média, teve acesso a uma boa educação. Cursou a educação básica em escolas chinesas, filipinas e australianas.

Embora iniciou os estudos de nível superior na University College, em Londres, sua graduação em Geografia foi obtida na Universidade de Oxford. Os graus de bacharel e de mestre foram obtidos em 1951 e 1955, respectivamente. A continuidade de seus estudos deu-se na California, na Universidade da California, Berkeley, onde recebeu, em 1957, o título de doutor.

Trajetória Profissional[editar | editar código-fonte]

Antes mesmo de concluir seu doutoramento, Tuan iniciou sua carreira como professor universitário na Universidade de Indiana, lecionando de 1956 a 1958. Nos seis anos seguintes, assumiu a cátedra de Geografia da Universidade do Novo México, onde trabalhou até 1966.

De Novo México, Tuan primeiro mudou-se para o Canadá. Entre 1966-68 foi docente na Universidade de Toronto. Transferiu-se para a Universidade de Minnesota em 1968. Foi nessa universidade que desenvolveu, com mais propriedade, seus trabalhos, sistematizando e organizando uma geografia humanística. Enfoca cuidadosamente uma geografia humana voltada para "as glórias e misérias da existência humana".

Assim, em 1974, esse autor publicou um dos livros mais importantes para a expansão da geografia humanista, intitulado Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Um objetivo central dessa obra é estudar os sentimentos de apego das pessoas ao ambiente natural ou construído, pois “topus” é uma palavra grega que significa “lugar”, enquanto “filo” significa amor, amizade, afinidade. Esse autor se propôs a encontrar os elementos universais das percepções e valores sobre o ambiente por vários caminhos, como identificar as respostas psicológicas comuns a todas as pessoas (derivadas da evolução biológica e da estrutura básica do cérebro) e depois mostrar que os mesmos tipos de respostas se manifestam na cultura dos povos[1] . Vê-se isso quando ele afirma que “a mente humana parece estar adaptada para organizar os fenômenos [...] em pares de opostos” e, mais adiante, comenta que todas as culturas pensam os fenômenos por oposições binárias entre macho e fêmea, terra e céu, montanha e mar, etc[2] .

Depois de catorze anos trabalhando na Universidade de Minnesota, tranferiu-se para a Universidade de Wisconsin, em Madison. Em 1998, nessa mesma universidade, Tuan se aposentou, embora continue, ainda hoje, como professor emérito.

Em 2012, foi laureado com o Prêmio Vautrin Lud, considerado como a maior honraria acadêmica no campo da Geografia. A cerimônia de entrega ocorreu durante o Festival Internacional de Geografia, em Saint-Dié-des-Vosges, na França.

Bibliografia selecionada[editar | editar código-fonte]

  • TUAN, Yi-Fu. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: Difel, 1983.
  • TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Difel, 1980.
  • TUAN, Y. F. A Geografia Humanística. In: CHRISTOFOLETTI, A. (Org.). Perspectivas da Geografia. São Paulo: Difel, 1982. Cap. 7, p. 143-164.
  • TUAN, Y. F. Paisagens do medo. São Paulo: Unesp, 2006.

Referências

  1. Luis Lopes Diniz Filho. Fundamentos epistemológicos da geografia. 1. ed. Curitiba: IBPEX, 2009 (Metodologia do Ensino de História e Geografia, 6), p. 164-165.
  2. Yi-Fu Tuan. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Difel, 1980

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Yi-Fu Tuan