Yo soy Betty, la fea

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Betty, a Feia
Eu sou Betty, a feia (PT)
Betty, a Feia (BR)
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 45 min. cada capítulo
Criador(es) Fernando Gaitán
País de origem  Colômbia
Idioma original Espanhol
Produção
Diretor(es) Mario Ribero Ferreira
Produtor(es) María del Pilar Fernández
Elenco Ana María Orozco
Jorge Enrique Abello
Natalia Ramírez
Lorna Paz
Luis Mesa
Tema de abertura Se Dice de Mi - Yolanda Rayo
Tema de
encerramento
Se Dice de Mi
Exibição
Emissora de
televisão original
Colômbia RCN
Formato de exibição SDTV
HDTV
Transmissão original 25 de outubro de 19998 de maio de 2000
Nº de temporadas 1
Nº de episódios Colômbia 179

Yo Soy Betty, La Fea (no Brasil Betty, A Feia) é uma telenovela colombiana produzida e exibida pela RCN entre 25 de outubro de 1999 á 08 de maio de 2000, escrita por Fernando Gaitán. Teve Ana María Orozco, Jorge Enrique Abello e Natalia Ramírez nos papéis principais. Considerada pelo Guinness World Records como a telenovela mais bem sucedida da história, por ser transmitida em mais de 100 países, e ser dublada em mais de 15 idiomas e 22 adaptações.[1] [2]

No Brasil foi exibida na RedeTV! entre 27 de maio de 2002 á 28 de junho de 2003, era exibida das 20:35h até ás 21:10h. Foi reapresentada entre 1 de dezembro de 2004 e 10 de março de 2006, totalizando mais de dois anos no ar.[3] Foi reexibida novamente de 04 de março a 06 de dezembro de 2013, inicialmente às 18h00, depois 18h15, 18h45 e até o final ás 18h30, em 194 capítulos e exibida em HDTV. [4]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A sonhadora Beatriz Pinzón Solano, interpretada por Ana María Orozco, é uma competente economista de 26 anos, que sempre sofreu com sua aparência. A jovem que usava óculos de aros grossos, aparelho nos dentes e se vestia como uma mulher muito mais velha, ao buscar uma posição profissional, era sempre preterida por outras candidatas mais bonitas do que ela. Já cansada de buscar oportunidades na sua área de atuação, essa moça, conhecida como Betty, se candidata ao posto de secretária na Eco Moda, uma organização empresarial do mundo da moda.

Escolhida por Armando Mendoza, um belo empresário que havia assumido há pouco tempo o cargo de presidente da empresa, Betty seria a secretária ideal, porque não causaria ciúmes à sua bela noiva Marcela, além de ser a pessoa adequada para acobertar suas aventuras amorosas com as modelos do casting da companhia.

No dia a dia, com a convivência, Betty se apaixona perdidamente, em segredo, por seu chefe, e acoberta seus casos para que ele sempre se saia bem. Além disso, diante de uma crise financeira da empresa, maquia o balanço para proteger seu grande amor já que ele não estava atingindo as metas necessárias para manter seu posto.

Não satisfeito só com o maquiar dos balanços, Armando, confiante na lealdade de Betty, a envolve em uma jogada, criando uma empresa em seu nome, para que ela pudesse embargar a Eco Moda em caso de uma emergência com seus credores.

Para assegurar a total lealdade da secretária, Armando instigado por seu amigo Mário decide, a contragosto, seduzi-la. Ela, frágil e desacostumada a ser amada, cai nas garras do patrão e passa a se encontrar com ele às escondidas.

Para a surpresa de Armando, ele começa a se encantar de verdade por Betty, mesmo sem aceitar o fato, um amor genuíno cresce diariamente em seu coração, ainda que envolvido em uma complicada trama de mentiras e armações.

Entretanto, antes de que Armando se dera conta e confessasse à Betty seu amor, ela descobre a armação dele com Mário e, magoada, entrega seu amor ao conselho da empresa.

Betty parte pela porta dos fundos da Eco Moda, mas encontra na relações públicas Catalina uma amiga que a levará como assistente para trabalhar em Cartagena, o que acarretará uma transformação na sua maneira de olhar o mundo e de mirar a si mesma. Decidida, viaja com a nova chefa, deixando Armando desesperado e sem notícias suas.

Na Eco Moda, enquanto isso, tudo está em ruínas, as dívidas afloram, a família está em crise, Armando termina o noivado com Marcela e sofre com a falta de Betty por quem se descobriu perdidamente apaixonado. Mas uma grande reviravolta acontece na trama quando Betty, transformada, volta para salvar a empresa da bancarrota. Armando luta por ela, mas Betty teme que essa paixão não seja verdadeira.

Trabalhando juntos outra vez, mas agora com ela no comando, eles descobrirão o valor do amor, do companheirismo e o valor de agir com ética, descobrindo que é preciso mais do que a simples beleza na construção de relações duradouras.

Eco Moda[editar | editar código-fonte]

Este é o local de trabalho de Beatriz Pinzón Solano, a Betty, na novela Betty, a Feia. Também trabalham lá o grupo de secretárias chamadas de "O Quartel das Feias", o chefe e presidente da empresa, Armando Mendoza, Marcela, sua noiva, Hugo Lombardi, o estilista, Patrícia Fernandez, secretária incompetente e melhor amiga de Marcela, entre muitos outros. A novela se passa principalmente na Eco Moda.

A trama de Betty, a Feia, mostra o desenvolvimento da gestão de Armando frente à empresa e os desastres financeiros nos quais acaba se colocando. Com a cumplicidade de Betty, Armando falsifica balanços para esconder as dívidas e a situação real da empresa, para não perder a presidência. Ao ver a situação complicada, empresta capital suficiente para a criação da Investimentos Terra Moda, por Betty. A nova empresa será a responsável por embargar a Eco Moda e evitar que ela seja entregue e partilhada pelos bancos. A trama também mostra o envolvimento afetivo de Armando e Betty e o jogo sujo no qual ele envolve a Feia para não perdê-la, com medo de que ela possa dar um golpe e assumir sozinha a Eco Moda.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem Dublador/Dubladora
Ana María Orozco Beatriz Aurora Pinzón Solano "Betty" Fátima Noya
Jorge Enrique Abello Armando Mendoza Sáenz Alexandre Marconato
Natalia Ramírez Marcela Valencia Eleonora Prado
Lorna Paz Patricia Fernández de Brickman "A Oxigenada" Cláudia Carli
Luis Mesa Daniel Valencia Affonso Amajones
Julián Arango Hugo Lombardi Marcelo Campos
Scarlet Ortiz Alejandra Zinng Letícia Quinto
Ricardo Vélez Mario Calderón Luiz Laffey
Mario Duarte Nicolás Flaminio Mora Sérgio Moreno
Kepa Amuchastegui Roberto Mendoza Carlos Campanile
Talú Quintero Margarita Sáenz De Mendoza Patrícia Scalvi
Celmira Luzardo Catalina Ángel Adriana Pissardini
Jorge Herrera Hermes Pinzón Galarza Walter Breda
Adriana Franco Julia Solano Galindo de Pinzón Rosa Maria Barolli
Pilar Uribe María Beatriz Valencia Denise Reis
Júlio César Herrera Freddy Stewart Contreras Marcelo Pissardini
Dora Cadavid Inés "Inesita" Peña de Gómez Isaura Gomes
Stefanía Gomez Aura María Fuentes Sandra Mara
Paula Peña Sofía de Rodríguez Maralisi
Luces Velásquez Bertha Muñoz de González Zaíra Zordan
Marcela Posada Sandra Patiño ("A Girafa") Cecília Lemes
María Eugenía Arboleda Mariana Valdéz Márcia Regina
Martha Isabel Bolaños Jenny García, ("A Demonstradora" ou "A Puputchurra") Raquel Marinho
Paulo Sanchez Neira Ingeniero Ortiz Sérgio Stern

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Artistas que interpretaram eles próprios em participações especiais:

Música[editar | editar código-fonte]

Título Intérprete Gênero Musical
Se dice de mí Yolanda Rayo Milonga
Los chicos no lloran Miguel Bosé Balada
Locura mía Joe Cuba Bolero
Llorarás Oscar D’Leon Salsa
Si nos dejan Vicente Fernández / Luis Miguel Ranchera
Solo con un beso Ricardo Montaner Balada
Yo sé que es mentira Amaury Gutiérrez Pop Rock
Religiones Mario Duarte Rock em espanhol
Golpe de ala
Se dejaba llevar por ti Diego Torres / Ketama (Chillout) Balada romántica
Un buen perdedor Franco DeVita Balada romántica
Bésame Ricardo Montaner Balada romántica
Somos novios Armando Manzanero e Olga Tañon Bolero

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmios India Catalina[editar | editar código-fonte]

Ano Categoría Indicação Resultado Ref.
2000 Melhor Telenovela Venceu [5] [6]
Melhor Atriz Principal Ana María Orozco Venceu
Melhor Ator Principal Jorge Enrique Abello Indicado
Melhor Autor Fernando Gaitán Venceu
Revelação Artística Julio César Herrera Venceu

Prêmios TP de Oro (Espanha)[editar | editar código-fonte]

Ano Categoría Indicação Resultado Ref.
2001 Melhor Telenovela Venceu [7]

Prêmios ACE (Estados Unidos)[editar | editar código-fonte]

Ano Categoría Indicação Resultado Ref.
2001 Melhor Programa Cênico Venceu [8]
Figura Internacional Femenina Ana María Orozco Venceu

Prêmios TVyNovelas (Colômbia)[editar | editar código-fonte]

Ano Categoría Indicação Resultado Ref.
2001 Melhor Telenovela Fernando Gaitán Venceu [9]
Melhor Atriz Ana María Orozco Venceu
Melhor Ator Jorge Enrique Abello Venceu
Melhor Atriz Coadjuvante Natalia Ramirez Venceu
Melhor Ator Coadjuvante Luis Mesa Venceu
Melhor Atriz De Elenco Lorna Paz Venceu
Melhor Ator De Elenco Julián Arango Venceu
Melhor Autor Fernando Gaitán Venceu
Melhor Diretor Mario Ribero Venceu
Ator Revelação Julio César Herrera Venceu
Atriz Revelação Martha Isabel Bolaños Venceu

Prêmios INTE (Estados Unidos)[editar | editar código-fonte]

Ano Categoría Indicação Resultado Ref.
2002 Melhor Telenovela Venceu [10]
Atriz do Ano Ana María Orozco Venceu

Internacionalmente[editar | editar código-fonte]

A novela foi vendida para 100 paises, dublada em 15 idiomas, sendo uma das novelas mais exibidas no mundo. Os direitos da novela foram para emissoras de todo o mundo que fizeram suas próprias versões. A versão mexicana A Feia Mais Bela (La Fea Más Bella), produzida pela Televisa foi exibida no Brasil pelo SBT. Nos Estados Unidos a telenovela tornou-se série com Ugly Betty, de grande sucesso que é exibida, originalmente pelo canal fechado Sony Entertainment Television, e também é exibida pelo SBT. Em 2009 a Record adaptou a novela Colombiana/Mexicana (La Fea Más Bella), intitulada de Bela, a feia, no princípio muitos criticaram, que a novela estava fugindo do seu texto original, mas depois de mudança de horário para às 22h00 a novela subiu na audiência, chegando na liderança, fazendo muitos a elogiar a atuações de Gisele Itié e Barbara Borges.

Países que fizeram versões:

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A novela colombiana chegou a ser adquirida pela Rede Globo, no final de 2000, com a finalidade de impedir a sua exibição no Brasil pela sua principal concorrente na época, o SBT. A emissora carioca desembolsou a bagatela de 100 mil dólares, o equivalente a produção de um capítulo da novela global, para comprar os direitos de Betty, A Feia. Em entrevista a revista ISTOÉ daquele ano, o diretor de vendas internacionais da Rede Globo, Luís Alberto Simonetti, chegou à cogitar a possibilidade de realizar uma adaptação da novela colombiana, fato este que não acontecia desde os anos 60.[11]
  • O SBT poderia ter adquirido Betty, A Feia, através de um pacote de novelas colombianas e venezuelanas que adquiriu em 2000. Entre as novelas que a emissora de Silvio Santos comprou estavam: Kassandra (exibida em 2000), Café com Aroma de Mulher (exibida em 2001), além das novelas "Mundo de Fieras" (1991, produção da Venevisión) e "Quirpa de Tres Mujeres" (1996, produção da Venevisión), ainda inéditas no Brasil.
  • Em 2002, quando o SBT decidiu entrar na briga pelos direitos de Betty, A Feia, teria sido impedida pela Televisa, já que na época mantinha um contrato de exclusividade com a emissora mexicana.
  • Com isso, a RedeTV! conseguiu tirar da Rede Globo, os direitos autorais, mas para isso, teve que desembolsar 3 milhões de dólares entre direitos e tradução.[12]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]