Zópiro (neto de Datuvahya)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Zópiro, filho de Megabizo e neto de Datuvaya, foi um general persa a serviço do rei dos reis Dario I. Ele teve um filho de nome Megabizo e um neto de nome Zópiro.

Seu pai, Megabizo, foi um dos sete persas que derrubaram o mago.[1]

Há duas versões sobre Zópiro, conforme Heródoto ou Ctésias de Cnido; a história que Heródoto atribui a Zópiro, Ctésias atribui a Megabizo, filho de Zópiro.[2]

Versão de Heródoto[editar | editar código-fonte]

Quando Dario I atacou Samos [3] e o exército, liderado por Otanes, estava se dirigindo para esta ilha, a Babilônia se revoltou contra Dario.[4]

O cerco durou um ano e sete meses, sem sucesso,[5] até que, no vigésimo mês, Zópiro, após ver um prodígio (uma mula teve cria),[1] mutilou-se, cortando o próprio nariz, as orelhas e o cabelo.[6] Ele se apresentou a Dario, que ficou furioso de ver um nobre persa mutilado desta forma, mas Zópiro explicou que era para parecer que Dario tinha feito isso a ele, para que ele se infiltrasse entre os babilônios e os traísse.[7]

De fato, Zópiro foi acolhido na Babilônia como um refugiado,[8] recebeu um comando de tropas,[9] e traiu a defesa, abrindo as portas chamadas de Cissian e Belian.[10]

Dario, ao capturar a cidade, crucificou 3.000 de seus líderes, repopulando a cidade com pessoas da região.[11]

Zópiro recebeu, como prêmio, o governo da cidade, livre de impostos.[12]

Versão de Ctésias[editar | editar código-fonte]

Zópiro era o sátrapa da Babilônia antes da revolta, e foi morto durante a revolta.[2] Seu filho Megabizo foi quem capturou a Babilônia, e recebeu um prêmio de seis talentos de ouro.[2] Megabizo se casou com Amitis, filha de Xerxes I.[2]

Descendentes[editar | editar código-fonte]

Zópiro foi o pai de Megabizo,[12] [2] que lutou contra os atenienses no Egito [12] [13] e o avô de Zópiro, que fugiu da Pérsia para Atenas.[12] [14]

Referências

  1. a b Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 153 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  2. a b c d e Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 26 [em linha]
  3. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 139 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  4. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 150 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  5. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 152 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  6. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 154 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  7. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 155 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  8. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 156 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  9. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 157 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  10. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 158 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  11. Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 159 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  12. a b c d Heródoto, Histórias, Livro III, Tália, 160 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  13. Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 37
  14. Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 45