Za'atar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Za'atar, um condimento do Médio Oriente.

Za'atar (em árabe زعتر; em hebraico: זעתר), também zátar ou zaatar, é uma mistura de especiarias usada como condimento e originária do Oriente Médio.

O za’atar é tradicionalmente uma mistura moída de tomilho, orégão, manjerona, gergelim torrado, sumagre e sal; [1] no entanto, nem todos estes ingredientes estão sempre presentes, enquanto que por vezes se adicionam outros, como cominho e coentro[2]

O termo za’atar provém da palavra árabe para a erva usada como principal ingrediente, a manjerona. [3] Os nomes científicos desta erva incluem Origanum majorana, Origanum syriacum (também conhecida na Bíblia como hissope, orégão-da-síria, ou manjerona selvagem), e Thymus capitatus (tomilho). [4] Za'atar birri (ou za'atar selvagem) é identificado como Origanum vulgare. [5] Tanto o orégão como a manjerona são plantas mediterrânicas da família Labiatae, que inclui também a hortelã e a sálvia. [1]

A erva za'atar é um condimento popular desde a Arménia a Marrocos e é muitas vezes usada ao pequeno-almoço para aromatizar um queijo feito com iogurte e pão.[6] [7] Também pode ser misturada com azeite para formar uma pasta chamada za'atar-ul-zayt, usada muitas vezes com os bolos de gergelim chamados ka'ak. [7] Outra maneira de o usar é misturado com massa de pão, o "manaeesh bi zaatar". [8]

História[editar | editar código-fonte]

O za'atar tem sido usado na culinária árabe desde os tempos medievais. [9] [10] Para os judeus de Israel, o za’atar estece associado às padarias árabes, mas a sua produção comercial tornou-a um “elemento integral da culinária de Israel”. [11]

Propriedades curativas[editar | editar código-fonte]

No Líbano, existe a crença de que esta mistura é boa para o cérebro e para a resistência do corpo; por essa razão, as crianças são encorajadas a comê-la ao pequeno-almoço, principalmente antes de um exame. [12]

Maimónides, um rabbi e médico medieval que viveu no norte de África, prescrevia o za'atar como antisético, cura para parasitas intestinais, para a constipação, a perda de apetite e a flatulência; como pomada, aplicada nas fontes, o za'atar oil reduziria as dores de cabeça.[13]

Referências

  1. a b Za'atar:On Language
  2. Margaret Roberts. Margaret Roberts' A-Z Herbs: Identifying Herbs, How to Grow Herbs, the Uses. [S.l.]: Struik. p. 83. ISBN 1868724999
  3. Aliza Green. Za'atar CHOW. Página visitada em 2008-03-09.
  4. Johannes Seidemann. World Spice Plants. [S.l.: s.n.], 2005. p. 365. ISBN 3540222790
  5. Sorting Origanum Names
  6. Krishnendu Ray. The Migrant's Table: Meals and Memories in Bengali-American Households. [S.l.]: Temple University Press, 2004. p. 154. ISBN 1592130968
  7. a b Recipes of the West Bank Olive Harvest (November 21 2007). Página visitada em 2008-03-14.
  8. Terry Carter, Lara Dunston, Andrew Humphreys. Syria & Lebanon. [S.l.]: Lonely Planet, 2004. p. 68. ISBN 1864503335
  9. Ghillie Basan. Middle Eastern Kitchen. [S.l.]: Hippocrene Books, 2007. p. 27. ISBN 0781811902
  10. Dorothea Bedigian. (September 2004). "History and Lore of Sesame in Southwest Asia". Economic Botany Volume 58, Issue 3: pp. 330–353.
  11. Hyssop: Adding Spice to Life in the Middle East Israel Ministry of Foreign Affairs (1998-07-01).
  12. Aglaia Kremezi. Zaatar Recipe Zaar.
  13. The Magic of Zaatar Exotic Spices Center. Página visitada em 2008-03-09.