Zaida Chongo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Zaida Mucavele foi uma bailaria e cantora moçambicana. Nasceu na província de Gaza na cidade de Xai-Xai, Moçambique a 17 de Junho de 1970.

Vida e obra[editar | editar código-fonte]

Iniciou-se como bailarina com Carlos Chongo de cuja banda fez parte integral até Janeiro de 1982, altura em que Zaida faz a sua primeira aparição pública como cantora.

Em 1983, Zaida e Carlos Chongo contraem matrimónio passando a usar coreografias que tinham tanto de erótico como de artístico. Em 1984, através de Victor José, o casal é pela primeira vez convidado a gravar um espectáculo ao vivo sob a direcção dos produtores do Kuxa-kanema. Em 1992, sob custódia de Domingos Macamo, editor musical da Rádio Moçambique, o casal foi convidado a registar o primeiro número musical em fita magnética no estúdio M1, cuja voz era da Zaida Chongo com o título "Kiribone", que atingiu as paradas de sucesso nacionais. Gravaram o seu primeiro álbum em cassete, contendo dez temas originais (temas compostos por Carlos Chongo). No ano seguinte Gloria Muianga, produtora do top feminino, convidou Zaida a participar na parada de sucessos, onde sagrou-se vencedora do Prémio Revelação. Em 1997, a editora Orion-Trading (extinta) convida Zaida e Carlos que abandonam a Rádio Moçambique gravam o seu primeiro cd – “Sibo”. Com o decorrer dos anos este grupo cria a tradição de anualmente gravar um disco e conquistar prémios em todas as paradas nacionais (Top Feminino e Ngoma Moçambique.) Dos vários convites para actuações no exterior, destaca-se um concerto que se repetiu em varias cidades da República Alemã, em 1999.

A dada altura as divergências matrimoniais e os conflitos internos começam a tomar conta do casal quando Zaida começa a deixar-se levar pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas. A relação matrimonial agravou-se terminando com um divórcio, já nos finais de Janeiro de 2003. Zaida, já divorciada decide juntar-se com um novo companheiro, indo viver para a vila de Marracuene, província de Maputo.


Ultímos Dias[editar | editar código-fonte]

Em meados de Maio, quando repentinamente Zaida começa a ter recaídas constantes, é abandonada pelo companheiro, num estado tido como totalmente deplorável (não falava, nem se movia da cama), até que a vizinhança invade a casa e encontra-a semi-morta.

Imediatamente Carlos Chongo, seu primeiro marido, é chamado e resgata Zaida para a Clínica do Hospital Central de Maputo, onde veio a falecer a4 de junho de 2004.

Discos[editar | editar código-fonte]

  • Sifa si Lhile(2004) - Vidisco
  • Matekaway(2003) - Vidisco
  • Alfândega(1999) - Orion
  • Drenagem(1998) - Orion
  • Toma que te dou(1997) - Orion
  • Sibo(1997) - Orion

Prémios[editar | editar código-fonte]

Top feminino:

  • 1996 - Melhor canção
  • 1995 - Canção mais popular
  • 1994 - Imprensa
  • 1993 - Revelação.

Ngoma Moçambique:

  • 2001 - Imprensa
  • 1999 - Canção mais popular
  • 1998 – Imprensa
  • 1998 - Disco Toma que te dou – Disco de Platina.
  • 1997 - Canção mais Popular
  • 1997 - Disco Sibo – Disco de Prata

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]