Zap (LGBT)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O zap é uma forma de ação política direta, que foi usado pela primeira vez na década de setenta do [[século XX}}, no Estados Unidos. Popularizado pelo grupo pioneiro dos direitos dos gays, o "Gay Activists Alliance", o zap foi uma ação pública estridente projetada para constranger uma figura pública ou celebridade, chamando a atenção tanto dos gays como do heterossexuais sobre questões relacionadas com os direitos LGBT.

Embora as organizações de homossexuais dos EUA já se tivessem feito notar através de declarações públicas em 1959 , estas manifestações assemelhavam-se mais a piquetes pacíficos. Depois da rebelião de Stonewall de 1969 , considerado como o momento crítico do movimento de libertação gay, os ativistas gays mais jovens e radicais estavam cada vez menos interessados ​​nas táticas sóbrias da geração anterior. Os zaps faziam-se contra os políticos e outras figuras públicas e muitos deles conseguiram projetar a imagem dos gays nos meios de comunicação social. Os grupos de ativistas LGBT e do SIDA continuaram a usar táticas tipo zap até à década de 1990.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Bianco, David (1999). Gay Essentials: Facts For Your Queer Brain. Los Angeles, Alyson Books. ISBN 1-55583-508-2 .
  • Campbell, J. Louis (2007). Jack Nichols, Gay Pioneer: "Have You Heard My Message?". Haworth Press. ISBN 1-56023-653-1 .
  • Capsuto, Steven (2000). Alternate Channels: The Uncensored Story of Gay and Lesbian Images on Radio and Television. Ballantine Books. ISBN 0-345-41243-5 .
  • Carter, David (2005). Stonewall: The Riots That Sparked the Gay Revolution. Macmillan. ISBN 0-312-34269-1 .
  • Duberman, Martin (1993). Stonewall. Penguin Books. ISBN 0-525-93602-5 .
  • Eisenbach, David (2006). Gay Power: An American Revolution. Carroll & Graf Publishers. ISBN 0-7867-1633-9 .
  • Faderman, Lillian and Stuart Timmons (2006). Gay L.A.: A History of Sexual Outlaws, Power Politics, and Lipstick Lesbians. Basic Books. ISBN 0-465-02288-X .
  • Gross, Larry P. (2001). Up from Invisibility: Lesbians, Gay Men, and the Media in America. Columbia University Press. ISBN 0-231-11952-6 .
  • Kenney, Moira (2001). Mapping Gay L.A.: The Intersection of Place and Politics. Temple University Press. ISBN 1-56639-884-3 .
  • Loughery, John (1998). The Other Side of Silence – Men's Lives and Gay Identities: A Twentieth-Century History. New York, Henry Holt and Company. ISBN 0-8050-3896-5 .
  • Miller, Neil (1995). Out of the Past: Gay and Lesbian History from 1869 to the Present. New York, Vintage Books. ISBN 0-09-957691-0 .
  • Teal, Donn (1971, reeditado 1995). The Gay Militants: How Gay Liberation Began in America, 1969–1971. New York, St. Martin's Press. ISBN 0-312-11279-3 (edição 1995).
  • Tropiano, Stephen (2002). The Prime Time Closet: A History of Gays and Lesbians on TV. New York, Applause Theatre and Cinema Books. ISBN 1-55783-557-8 .