Zbigniew Brzezinski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Zbigniew Brzezinski
Nome completo Zbigniew Kazimierz Brzezinski
Nascimento 28 de Março de 1928 (86 anos)
Varsóvia, Polônia
Influências
Influenciados
Escola/tradição Filosofia Política
Principais interesses Realpolitik, Poder, Política, Geopolítica, Afeganistão
Ideias notáveis Teoria do Totalitarismo

Zbigniew Kazimierz Brzezinski (em polonês: Zbigniew Kazimierz Brzeziński ['zbigɲev bʐɛ'ʑiɲski]; Varsóvia, Polônia, 28 de Março de 1928) é um cientista político, geopolítico e estadista estadunidense, de origem polonesa. Brzezinski serviu como Conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos durante a presidência de Jimmy Carter, entre 1977 e 1981.

Conhecido por sua posição intervencionista ("hawkish") em política externa, em uma época na qual o Partido Democrata tendia de modo crescente ao isolacionismo ("dovish"), sua política externa realista é considerada por alguns como a resposta Democrata ao realismo de Henry Kissinger, do Partido Republicano.

Formulações Teóricas, Política Externa e Estratégia[editar | editar código-fonte]

Brzezinski é um dos poucos acadêmicos americanos que teve simultâneamente a oportunidade de produzir uma influente obra teórica e ao mesmo tempo atuar como formulador de política de Estado, enquanto Conselheiro de Segurança Nacional de Jimmy Carter. Nesta função foi uma espécie de "conselheiro do príncipe".,[1] quando aconselhava o presidente Carter a respeito de diversas crises políticas internacionais no decorrer do seu governo, como o desenrolar das guerras civis em Angola e Moçambique, a ascensão ao poder dos Sandinistas na Nicarágua (1979), a ascensão do regime socialista no Afeganistão seguido da subsequente invasão soviética ao país (1979), a Revolução Iraniana (1979), o início da Guerra Irã-Iraque (1980-1988), a Segunda crise petrolífera (1979-1980), e o início da 2a Guerra Fria contra a União Soviética.

Na concepção de Brzezinski, vencer não significava mais a capacidade de derrotar militarmente um adversário, algo inviável na era nuclear. Mas sim, seria a capacidade de prevalecer contra um adversário em uma paciente luta de longo prazo..[2]

Sua influência em diferentes processos de tomada de decisão são objeto de controvérsia, mas alguns analistas consideram que Brzezinski foi o "autor intelectual" da operação da CIA no Afeganistão para desestabilizar a URSS, que teria coordenado ou supervisionado pessoalmente junto com diretor da CIA, William Casey [3] [4] [5] [6]

Partindo da lógica do cerco defensivo contra a URSS, ou política do "cordão sanitário", de Nicholas Spykman, Brzezinski defende uma nova estratégia, de cerco "ofensivo" contra a URSS. Isto consistia na idéia de envolver a União Soviética em um conflito interminável no Afeganistão, onde os EUA e os países muçulmanos aliados colocariam bilhões de dólares e toneladas de armas leves para armar os mujahidins, chamados pelos americanos de "guerreiros da liberdade" na luta contra o comunismo.[6] [7] [8]

Pode-se afirmar também que Brzezinski teve grande influência na chamada "Doutrina Carter", de 1980.[9] A Doutrina Carter pode ser sintetizada como a securitização e militarização estratégica do acesso americano ao petróleo do Oriente Médio. Incluiu declarações públicas do presidente Carter[10] de que os EUA estariam dispostos a utilizar de quaisquer meios para defender seus interesses petrolíferos no Oriente Médio.[8] [9] [11] [12] [13]

Bibliografia (em inglês)[editar | editar código-fonte]

Obras Principais[editar | editar código-fonte]

  • The Permanent Purge: Politics in Soviet Totalitarianism, Cambridge: Harvard University Press (1956)
  • Soviet Bloc: Unity and Conflict, New York: Praeger (1961), ISBN 0-674-82545-4
  • Between Two Ages : America's Role in the Technetronic Era, New York: Viking Press (1970), ISBN 0-313-23498-1
  • Power and Principle: Memoirs of the National Security Adviser, 1977-1981, New York: Farrar, Strauss, Giroux (March 1983), ISBN 0-374-23663-1
  • Game Plan: A Geostrategic Framework for the Conduct of the U.S.-Soviet Contest, Boston: Atlantic Monthly Press (June 1986), ISBN 0-87113-084-X
  • Grand Failure: The Birth and Death of Communism in the Twentieth Century, New York: Charles Scribner's Sons (1989), ISBN 0-02-030730-6
  • Out of Control: Global Turmoil on the Eve of the 21st Century, New York: Collier (1993), ISBN 0-684-82636-4
  • The Grand Chessboard: American Primacy and Its Geostrategic Imperatives, New York: Basic Books (October 1997), ISBN 0-465-02726-1, subsequently translated and published in nineteen languages
  • The Choice: Global Domination or Global Leadership, Basic Books (March 2004), ISBN 0-465-00800-3
  • Second Chance: Three Presidents and the Crisis of American Superpower , Basic Books (March 2007), ISBN 0-465-00252-8

Outras Obras (Livros e Monografias)[editar | editar código-fonte]

  • Russo-Soviet Nationalism, M.A. Thesis, McGill University (1950)
  • Political Control in the Soviet Army: A Study on Reports by Former Soviet Officers, New York, Research Program on the U.S.S.R (1954)
  • with Carl J. Friedrich, Totalitarian Dictatorship and Autocracy, Cambridge: Harvard University Press (1956)
  • Ideology and Power in Soviet Politics, New York: Praeger (1962)
  • with Samuel Huntington, Political Power: USA/USSR, New York: Viking Press (April 1963), ISBN 0-670-56318-8
  • Alternative to Partition: For a Broader Conception of America's Role in Europe, Atlantic Policy Studies, New York: McGraw-Hill (1965)
  • The Implications of Change for United States Foreign Policy, Department of State (1967)
  • International Politics in the Technetronic Era, Sofia University Press (1971)
  • The Fragile Blossom: Crisis and Change in Japan, New York: Harper and Row (1972), ISBN 0-06-010468-6
  • with P. Edward Haley, American Security in an Interdependent World, Rowman & Littlefield (September 1988), ISBN 0-8191-7084-4
  • with Marin Strmecki, In Quest of National Security, Boulder: Westview Press (September 1988), ISBN 0-8133-0575-6
  • The Soviet Political System: Transformation or Degeneration, Irvington Publishers (August 1993), ISBN 0-8290-3572-9
  • with Paige Sullivan, Russia and the Commonwealth of Independent States: Documents, Data, and Analysis, Armonk: M. E. Sharpe (1996), ISBN 1-56324-637-6
  • The Geostrategic Triad : Living with China, Europe, and Russia, Center for Strategic & International Studies (December 2000), ISBN 0-89206-384-X

Ensaios e Documentos[editar | editar código-fonte]

  • with William E. Griffith, Peaceful Engagement in Eastern Europe, Foreign Affairs, XXXIX, 4 (July 1961)
  • with David Owen, Michael Stewart, Carol Hansen, and Saburo Okita, Democracy Must Work: A Trilateral Agenda for the Decade, Trilateral Commission (June 1984), ISBN 0-8147-6161-5
  • with Brent Scowcroft and Richard W. Murphy, Differentiated Containment: U.S. Policy Toward Iran and Iraq, Council on Foreign Relations Press (July 1997), ISBN 0-87609-202-4
  • U.S. Policy Toward Northeastern Europe: Report of an Independent Task Force, Council on Foreign Relations Press (July 1999), ISBN 0-87609-259-8
  • with Anthony Lake, F. Gregory, and III Gause, The United States and the Persian Gulf, Council on Foreign Relations Press (December 2001), ISBN 0-87609-291-1
  • with Robert M. Gates, Iran: Time for a New Approach, Council on Foreign Relations Press (February 2003), ISBN 0-87609-345-4

Referências

  1. MELLO, Leonel Itaussu (1999). Quem tem medo de Geopolítica?. Edusp e Hucitec: São Paulo, SP p. 135-176
  2. MELLO, Leonel Itaussu (1999). Quem tem medo de Geopolítica?. Edusp e Hucitec: São Paulo, SP p. 174
  3. COGGIOLA, Osvaldo (2007). Islã histórico e islamismo político. ICARABE. http://www.icarabe.org/upload/download/isl%C3%A3%20hist%20isl%C3%A3%20politico.pdf
  4. FUSER, Igor (2005). O petróleo e o envolvimento militar dos Estados Unidos no Golfo Pérsico (1945-2003). Dissertação de Mestrado. http://www.santiagodantassp.locaweb.com.br/br/arquivos/defesas/igor.pdf
  5. OLIVEIRA, Lucas K. (2002). Democracia Terrorista: Um histórico do Imperialismo dos Estados Unidos. Site da Revista Caros Amigos, 01/08/2002, http://carosamigos.terra.com.br/. Disponível em: http://ube-164.pop.com.br/repositorio/18852/meusite/Democracia%20Terrorista%20um%20historico%20do%20Imperialismo%20dos%20EUA.html
  6. a b CECEÑA, Ana E. (2002) "A batalha do Afeganistão". p. 222-249. in: CECEÑA, A. E. & SADER, Emir (2002) A Guerra infinita. Buenos Aires: Clacso; Petrópolis, RJ: Ed. Vozes. http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/cecena/cecena.pdf
  7. FUSER, Igor (2005). citado acima , p. 173-188
  8. a b KLARE, Michael (2004) "Sangue por petróleo: a estratégia energética de Bush e Cheney". p. 201-223. in: LEYS, C. & PANITCH, L. (orgs.) O novo desafio Imperial. CLACSO, 2006. http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/social/2004pt/09_klare.pdf
  9. a b FUSER, Igor (2007) "O petróleo e a política dos EUA no Golfo Pérsico: a atualidade da Doutrina Carter". Lutas Sociais – PUC-SP, Vol. 17/18, p. 23-37, http://www.pucsp.br/neils/downloads/v17_18_igor.pdf
  10. OLIVEIRA, Lucas K. (2007) Petróleo e Segurança Internacional: aspectos globais e regionais das disputas por petróleo na África Subsaariana. Dissertação de Mestrado. p. 55
  11. FUSER, Igor (2007) "O petróleo do Golfo Pérsico, ponto-chave da estratégia global dos Estados Unidos". p. 87-102. In: FRATI, Mila. (org.). Curso de formação em política internacional. São Paulo, SP: Ed. Fundação Perseu Abramo.
  12. TORRES FILHO, Ermani T. (2004) "O papel do Petróleo na Geopolítica Americana". p.309-346. in: FIORI, José Luís. (org.) O Poder Americano. Ed. Vozes, Petrópolis, RJ, 2000.
  13. KLARE, M. T. (2008) A Nova Geopolítica da Energia. Agência Carta Maior. http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=15011

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.