Zenaldo Coutinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Zenaldo Coutinho
Prefeito de Belém
Mandato 1 de janeiro de 2013
até atualmente
Deputado federal por  Pará
Mandato 1 de fevereiro de 1999
até 31 de dezembro de 2012
(4 mandatos consecutivos)
Deputado estadual por  Pará
Mandato 1 de fevereiro de 1991
até 31 de janeiro de 1999
(2 mandatos consecutivos)
Vereador de Bandeira belem.jpg Belém
Mandato 1º mandato: 1 de janeiro de 1984
até 1 de fevereiro de 1988
2º mandato: 1 de janeiro de 1988
até 1 de fevereiro de 1991
(2 mandatos consecutivos)
Vida
Nascimento 4 de fevereiro de 1961 (53 anos)
Belém, Pará
Dados pessoais
Cônjuge Rosário Coutinho
Partido PSDB
Profissão Advogado

Zenaldo Rodrigues Coutinho Júnior (Belém, Pará 4 de fevereiro de 1961) é um advogado e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Zenaldo Rodrigues Coutinho Junior nascido em Belém do Pará no dia 4 de fevereiro de 1961 e conhecido como Zenaldo Coutinho é casado com Rosário Coutinho, com quem tem duas filhas: Camila, de 18 anos e Beatriz, de 11. Seus pais são Zenaldo Rodrigues Coutinho (pai) e Maria Helena Neves Coutinho. É formado Bacharel em Direito pela UFPA.

Aos 21 anos, foi eleito vereador da capital paraense, o mais jovem do Brasil, à época, sendo reeleito em 1988. Duas vezes deputado estadual, chegou à presidência da Assembleia Legislativa do Estado em 1995. Também ocupou o posto de líder do Governo na casa no ano de 1997. Dois anos depois, Zenaldo chegou à Câmara Federal, em Brasília, para cumprir seu primeiro mandato como deputado federal. No congresso, ele ocupou importantes cargos, como a vice-presidência da Comissão de Constituição e Justiça. Em sua quarta legislatura, Zenaldo Coutinho se licenciou das atividades como parlamentar para atender convite do Governador do Estado, Simão Jatene, e assumir a chefia da Casa Civil da Governadoria, onde teve a oportunidade de se aproximar ainda mais das comunidades, auxiliando o governador na interlocução política. Em agosto de 2011, ele deixou a Casa Civil para encarar outro desafio, dessa vez à frente da Secretaria Especial de Proteção e Desenvolvimento Social (Seepds), que abrange áreas importantes como a de saúde, direitos humanos, trabalho e assistência social. Por causa do plebiscito, Zenaldo teve que deixar o órgão e retornar para suas atividades em Brasília, para seu cargo de deputado federal.

Plebiscito 2011[editar | editar código-fonte]

Em 2011, no Plebiscito sobre a divisão do estado do Pará Zenaldo deixou a secretaria para atuar na frente parlamentar contra a criação do estado de Carajás durante o plebiscito que consultou a população do Pará sobre a possibilidade da divisão do estado.[1] Os eleitores paraenses responderam a duas perguntas "Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado de Carajás?" e "Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado do Tapajós?". O número 77 correspondeu à resposta "sim" para qualquer uma das perguntas. E o número 55 foi usado para o "não". A frente da luta em defesa do Pará, contra a Criação do estado de Carajás. O resultado foi 66,60% de paraenses escolheram a NÃO divisão, sendo vitorioso nas urnas em dezembro de 2011; na capital Belém a união pelo Pará inteiro foi de 95% dos belenenses que disseram NÃO à divisão do Pará.

Legado[editar | editar código-fonte]

Apresentou emenda ao Orçamento da União de 2012, destinando R$ 5,6 milhões ao Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-ad) do Pará. Localizado no bairro da Marambaia, o Centro foi construído há seis anos, pelo governador Simão Jatene. Que se destaca por ser a única clínica pública de tratamento de dependentes químicos em Belém, sendo resultado de emenda parlamentar elaborada por Zenaldo Coutinho.

Outras emendas e contribuições políticas Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps-Ad); Construção de quadras poliesportivas; Hospital Ofir Loyola; Qualificação profissional – Três emendas foram aprovadas: R$ 2 milhões destinados a trabalhadores em geral; R$ 1 milhão para a qualificação de egressos do sistema penal; R$ 1 milhão destinado a qualificação de jovens infratores atendidos pela Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará; Ônibus escolares – Zenaldo conseguiu R$ 570 mil em recursos para a compra de ônibus escolares: 1 ônibus para o Tenoné, 1 para Mosqueiro, 2 para Icoaraci, 1 para Oteiro, 1 para a Pratinha; Emenda para o portal da Amazônia; Modernização e Reforma do Hospital Geral de Belém – R$ 200 mil; Reforma do Hospital do Exército.

Missões oficiais[editar | editar código-fonte]

Visita profissional a convite do Departamento de Estado Americano, Washington, Salt Lake, Nova Orleans, e Gainesville, E.U.A., 1997; Representante da Câmara dos Deputados no Projeto Heranças Portuguesas na Amazônia - 2º Encontro de Parlamentares Luso-Amazônicos, Portugal, 4/2004.

Eleições municipais em 2012[editar | editar código-fonte]

Deu continuidade com seus projetos e emendas parlamentares, se ausentando de seus trabalhos, em junho, para concorrer à Prefeitura de Belém. Em 2012, Zenaldo Coutinho é candidato a prefeito de Belém pelo PSDB, cargo que já havia disputado em 2000, porém sem êxito. No primeiro turno recebeu 30,67% dos votos válidos, equivalente a escolha de 237.252 eleitores belenenses, indo para o segundo turno. Recebeu apoio do candidato Jefferson Lima que ficou 3ª colocado na eleição à prefeitura de Belém em 1ª turno.

No 2º turno das eleições municipais 2012, realizadas em 28 de outubro de 2012, Zenaldo Coutinho foi eleito prefeito de Belém, com 56,61% dos votos válidos, equivalentes a 438 435 votos.

Referências

Precedido por
Duciomar Costa
Prefeito de Belém
2013 — atualidade
Sucedido por