Zero Hora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Zero Hora
Zero Hora
Sede da Zero Hora em Porto Alegre.
Razão social Zero Hora Editora Jornalística S.A.
Periodicidade Diário
Formato Tabloide
Proprietário Eduardo Sirotsky Melzer
Fundador(es) Maurício Sirotsky Sobrinho
Diretor Marcelo Rech
Editor Ricardo Stefanelli e Marta Gleich
Fundação 4 de maio de 1964 (50 anos)
Slogan Papel. Digital. O que vier.
Sede Porto Alegre, RS
Página oficial www.zerohora.com

Zero Hora é um dos maiores jornais de circulação diária do Brasil. É editado em Porto Alegre e controlado pelo Grupo RBS.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundado em 4 de maio de 1964 pelo jornalista Ary de Carvalho.[1] Sua primeira sede localizava-se na Rua Sete de Setembro. Em 1969, foi inaugurada a sede na Avenida Ipiranga, no bairro Azenha.[2] Em 1970, o controle de Zero Hora passa ao Grupo RBS. [3]

Um incêndio atingiu as instalações do jornal em 29 de março de 1973, consumindo parte dos arquivos e redação. A redação foi transferida provisoriamente para o Jornal do Comércio, onde também foi impressa a edição do dia seguinte.[4]

Em 1975, o jornal passou a circular em todos os municípios do Rio Grande do Sul. [5] Em 1984, tornou-se o quinto jornal mais lido do país, com mais de 3 milhões de exemplares vendidos ao longo do mês. Em 1988, ZH deixa de ter produção artesanal e esta passa a ser padronizada. [5] Em 1995, entra no ar o primeiro site de Zero Hora na internet. [5] Em 1996, a edição e produção passa a ser totalmente digital.[6]

Às 4h do dia 19 de setembro de 2007, entrou no ar o website ZeroHora.com, que apresenta notícias atualizadas 24 horas por dia, sete dias por semana, mais a versão impressa do periódico.[7] Em 8 de setembro de 2010, o jornal passou a cobrar pela versão digital do seu conteúdo impresso.[8]

Nas comemorações dos 50 anos do jornal em 2014, foi adotado um novo padrão gráfico. [5] Com novas divisões e novo estilo de capa, em 1º de maio estreou o novo formato e nova logomarca, com a sigla "ZH" e um triângulo-retângulo amarelo encaixado na primeira letra. A logomarca, então fixa no cabeçalho, passa a ser móvel, seguindo uma tendência internacional e um estilo que chegou a ser adotado pelo jornal até 1994.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Marco Schuster. [E daqui a 50? Nem isso, 10 anos? E daqui a 50? Nem isso, 10 anos?] Revista Press. Visitado em 24 de março de 2015.
  2. Zero Hora: caderno especial 50 anos de comunicação, páginas 11 e 17 (31/08/2007)
  3. (30 de abril de 2014) "Jayme Sirotsky: contra a inércia". Zero Hora. Visitado em 04 de abril de 2015.
  4. Ricardo Chaves. (04 de maio de 2013). "Zero Hora, 49 anos". Zero Hora. Visitado em 04 de abril de 2015.
  5. a b c d Zero Hora promove mudanças ao comemorar 50 anos Núcleo RBS de Divulgação (30 de abril de 2014). Visitado em 04 de abril de 2015.
  6. a b Nossas Empresas Grupo RBS.
  7. (19/09/2007)
  8. Zero Hora começa a cobrar por parte de seu conteúdo online Tecnologia Gráfica (28 de setembro de 2010). Visitado em 04 de abril de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.