Zizur Mayor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor melhore este artigo ou secção, expandindo-o. Mais informação pode ser encontrada no artigo «Zizur Mayor» na Wikipédia em espanhol e também na página de discussão. (maio de 2011)
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Espanha Zizur Mayor
Zizur Nagusia
 
—  Município  —
Vista das piscinas municipais e da Urbanização Zizur
Vista das piscinas municipais e da Urbanização Zizur
Bandeira de Zizur Mayor
Bandeira
Brasão de armas de Zizur Mayor
Brasão de armas
Localização do município de Zizur Mayor em Navarra e na Cuenca de Pamplona
Localização do município de Zizur Mayor em Navarra e na Cuenca de Pamplona
Zizur Mayor está localizado em: Espanha
Zizur Mayor
Localização de Zizur Mayor na Espanha
42° 47' 12" N 01° 41' 27" O
Comunidade autónoma Navarra
Província Navarra
Comarca Cuenca de Pamplona
 - Alcaide Pedro Huarte Iribarren (2007, NaBai)
Área
 - Total 5,05 km²
Altitude 470 m (1 542 pés)
População (2012)[1]
 - Total 14 084
    • Densidade 2 788,91/km2 
Gentílico: zizurtarra
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 31180
Orago Santa Cruz de Ardoi (14 de setembro)

Santo André (30 de novembro)

Principais festividades
  • Fiestas Patronales
    (10 a 14 de setembro)
  • Santo André
    (último fim de semana de novembro)
  • Natal
    (24 de dezembro a 6 de janeiro)
  • Carnaval
  • São João
    (23 e 24 de junho)
Sítio www.zizurmayor.es
Em 2006 foi considerado o município com maior rendimento per capita de toda a Espanha.
Urbanização Zizur (anos 1970)

Zizur Mayor (em espanhol) ou Zizur Nagusia (em basco) é um município da Espanha na província e Comunidade Foral (autónoma) de Navarra que faz parte da comarca da Cuenca de Pamplona e da área metropolitana de Pamplona. Tem 5,05 km² de área e em 2012 tinha 14 084 habitantes (densidade: 2 788,9 hab./km²).[1]

O município foi criado em 1992, promovendo o até então concelho (concejo) de Cizur Mayor, pertencente à Cendea de Cizur, da qual se separou. É constituído por três bairros: Zizur Mayor (Casco antiguo), Urbanização Zizur Mayor e Urbanização Ardoy, esta última só finalizada em 2011.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

O nome Cizur ou Zizur é usado para designar uma das cinco cendeas[a] da Cuenca de Pamplona. O significado etimológico de Cizur é geralmente relacionado com a palavra basca zintzur (ou txintxur), que significa garganta ou caminho estreito entre montanhas ou simplesmente passagem estreita. Alguns consideram que pode ser uma referência à localização geográfica entre a Serra del Perdón e o Monte Ezcaba (também chamado de São Cristóvão), embora Cizur só ocupa uma parte dessa área. O etnólogo e historiador Juan Ignacio de Iztueta considerava que zintzur significava também altura pequena.

Além da cendea, duas povoações da mesma têm o mesmo nome (Zizur Mayor e Cizur Menor), pelo que o topónimo pode ter tido origem nessas povoações e ter sido alargado para a cendea. Zizur Mayor era tradicionalmente a principal localidade da cendea, daí o seu nome, sendo Cizur Menor a localidade menor situado ao seu lado.

Há alguma polémica sobre a transcrição do nome. As formas Cizur e Zizur conviveram no passado e o nome oficial da cendea ainda é escrita oficialmente com C. A primeira menção escrita, de 1087" é como "Ciçur". De 1850 a 1920, a denominação oficial foi Zizur, mas a partir daí passou a figurar nos censos como Cizur. Seguindo a ortografia moderna do basco, surgida na década de 1960, o nome devia ser escrito como Zizur nesse idioma. Quando em 1992 o concejo de Cizur Mayor se separou do resto da cendea, o município então criado adotou oficialmente o nome de Zizur Mayor em castelhano e Zizur Nagusia em basco. Esta adoção deveu-se provavelmente à influência do nome basco e, ainda que fosse contrário ao costume das últimas décadas, não deixava de ser uma denominação histórica e tradicional em castelhano para o novo município. A cendea, pelo contrário, manteve a denominação oficial de Cizur.

Demografia e urbanismo[editar | editar código-fonte]

Núcleos populacionais

Zizur Mayor é composta de três partes ou bairros:

  • Zizur Mayor (Casco Antiguo) — É conhecido como a aldeia de Zizur, é a parte antiga da localidade.
  • Urbanização Zizur (centro) — É onde se encontram os primeiros prédios construídos nos anos 1970, chamados "Las Torres de Santa Cruz". São os edifícios mais altos de Zizur, tendo alguns 12 andares. Atuamente esta urbanização é o centro da localidade e a que tem mais residentes (aproximadamente 10 000).
  • Urbanização Ardoy — É o bairro mais moderno.
Demografia

Com 13 316 residentes (49,6% do sexo masculino e 50,4% do sexo feminino), Zizur Mayor era o quinto município de Navarra em população em 2010. A densidade populacional era 2 377,86 hab./km².

Em 2009, a distribuição etária da população era a seguinte:

Faixa etária (idades);  Percentagem da
população total
Menor de 20 anos 28,69%  
Entre 20 e 40 anos 27,58%  
Entre 40 e 60 anos 34,35%  
Mais de 60 anos 9,38%  

Geografia[editar | editar código-fonte]

Municípios vizinhos de Zizur Mayor
Arazuri (Cendea de Galar) Barañain Pamplona
Gazólaz (Cendea de Cizur) Rosa de los vientos.svg Cizur Menor (Cendea de Cizur)
Gazólaz (Cendea de Cizur) Galar (Cendea de Galar) Cizur Menor (Cendea de Cizur) e Galar

Zizur Mayor encontra-se a sudoeste da Cuenca (bacia) de Pamplona, a 470&nbps;metros de altitude. O município tem uma área de 5,6 km² e confina a norte com o de Barañain; a noroeste com a Cendea de Olza (concelho de Arazuri); a nordeste com Pamplona (bairro de Echavacóiz); a sul com a Cendea de Galar (concelho de Galar) e com a Cendea de Cizur (concelho de Cizur Menor); a sudeste com a Cendea de Cizur (concelho de Cizur Menor); e a oeste com a Cendea de Cizur (concelho de Gazólaz).

Relevo e hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município situa-se sobre um pequeno planalto que se ergue sobre um barranco escarpado, com encostas com inclinação entre 5% e 10%. A nordeste encontra-se a Serra del Perdón. O rio Elorz, percorre o município e desagua no Arga em Arazuri.

Clima[editar | editar código-fonte]

Gráfico de dados climatéricos da estação meteorológica do Aeroporto de Pamplona

O município encontra-se numa zona de transição entre o clima atlântico, caracterizado por ser quente e húmido, e o clima mediterrânico, quente e seco. O clima da zona tem ainda algumas características de continental (temperaturas extremas não suavizadas pelo mar). No seu conjunto pode definir-se como submediterrânico. A temperatura anual média é cerca de 12°C.

Os invernos são bastante frios e os verões são quentes, embora sem que se atinjam temperaturas extremas. A pluviosidade total ao longo do ano ronda os 1 000 mm. A época do ano com menores precipitações é o verão. No período 1975-2000 a estação meteorológica de Pamplona-Aeroporto registou médias anuais de 12,5°C para a temperatura e de 721 mm para a pluviosidade. No mesmo período, o número anual de dias sem nuvens foi de 58, o número de dias com geada foi de 42, e o número de horas de sol 2 201.

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Aeroporto de Pamplona Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 8,9 11,1 14,0 15,5 19,8 23,9 27,6 27,9 24,4 18,7 12,8 9,7 17,8
Temperatura mínima média (°C) 1,2 1,9 3,3 4,9 8,2 11,2 13,7 14,0 11,7 8,4 4,3 2,4 7,1
Precipitação (mm) 63 52 52 77 74 47 40 43 43 74 80 75 721
Fonte:
Valores extremos de precipitação e temperatura
  Estação meteorológica de Pamplona entre 1885 e 1931    Aeroporto de Pamplona a partir da década de 1970
Ocorrência Valor Data Valor Data
Precipitação máxima num dia 180 l/m² 8 de setembro de 1928 107,4 l/m² 9 de outubro de 1979
Temperatura máxima absoluta 39°C 12 de julho de 1931 41,2°C 8 de julho de 1982
Temperatura mínima absoluta -18°C 20 de janeiro de 1885 -16,2°C 12 de janeiro de 1985

História[editar | editar código-fonte]

Desde que se conhecem registos da localidade, cerca do ano 1807, em que aparece como "Ciçur", até 1992, quando alcança o estatuto de município, Zizur Mayor passou por diversas situações em termos administrativos.

Antiguidade[editar | editar código-fonte]

Há dúvidas quanto à existência de um povoado vascão na zona do município antes da chegada dos romanos a Navarra, embora isso seja muito provável tendo em conta as descobertas feitas até à data. Apesar de haver poucos testemunhos da época romana na Cuenca de Pamplona, parece lógico supor que a romanização aí decorreu de forma semelhante ao resto de Navarra. A presença de pequenos núcleos agrícolas em Barañáin, Muru-Astráin e Paternáin, que possivelmente abasteciam o macelo (mercado) da recém fundada Pompaelo (Pamplona), fundada em 75 a.C.. Esses núcleos já existiam antes, mas foram ampliados e cresceram demograficamente devido à expansão romana na bacia do Arga e o sul de Navarra.

Idade Média[editar | editar código-fonte]

Em 1341, durante o reinado de Joana II de Navarra e Filipe III de Evreux (1328-1343), o lugar-tenente dos reis, possivelmente um francês, que executou o porteiro real Pedro García de Mondragón, concedeu metade da vila de Zizur Mayor e todas as suas propriedades a Juana de Almoravit, a quarta filha de Fortuño de Almoravit. Os Almoravit eram uma das famílias de ricos-homens (alta nobreza) do Reino de Navarra. Com esta concessão, Juana de Almoravit e os descendentes do senhor de Cameros, Juan Alfonso de Haro (Alvar Díaz, Diago Lopiz y Fortuynno e Alfonso Teylliz) converteram-se nos donos de Zizur Mayor.

Durante os séculos XIV e XV a localidade dependeu quase por completo do Mosteiro de Santa María la Real de la Oliva e de alguns palacianos que tinham adquirido e herdado propriedades procedentes das primeiras famílias que detiveram as primeiras quintas que não pertenciam à Igreja, controladas pelos mosteiros ou pela Ordem de São João de Jerusalém (Hospitalários ou Ordem de Malta).

Idade Moderna[editar | editar código-fonte]

A conquista e subsequente incorporação do Reino de Navarra na Coroa de Castela (1515) tiveram como consequência uma perda progressiva de privilégios e a sucessiva adaptação às normas, valores e costumes particulares da nova monarquia.

Entre 1637 e 1640 foi emitida uma ordem requesitando a incorporação de alguns varões na frente, o que motivou que as sete cendeas de Navarra se unissem para apresentar uma queixa formal às Cortes de Navarra, na qual expunham as graves consequências que o serviço militar representava para as suas populações, já que faltava gente para lavrar as terras e outras razões consideráveis.

Zizur Mayor continuou dependente do Mosteiro de La Oliva e no século XVII pagava uma taxa anual de 24 "cahíces" de trigo e 6 de cevada, além de comida para o abade e onze acompanhantes nas suas visitas a Pamplona, assim como palha e cevada para as suas montadas.

Idade Contemporânea[editar | editar código-fonte]

Guerra da Independência

Durante a ocupação francesa, no dia 16 de agosto de 1812, o general francês Abbé saiu de Pamplona acompanhado de 1 200 tropas de infantes e apoderou-se de Astráin com o objetivo de recolher víveres. No entanto, pouco tempo depois os franceses foram atacados pelos guerrilheiros de Francisco Espoz y Mina, obrigando os franceses a retirar para Zizur Mayor, onde receberam importantes reforços de Pamplona, constituídos por 800 infantes, 100 cavalos e 4 canhões. Os guerrilheiros defenderam-se com bravura, mas exaustos e sem munições, optaram por retirar-se. O general francês decidiu não os perseguir, deixando os víveres obtidos em Astráin nas mãos de Espoz y Mina.

Primeira Guerra Carlista

Durante este conflito ocorreu um motim em Pamplona, provocado pelas tropas liberais dos chamados "corpos francos de Navarra", que tinham estado aquartelados em Zizur Mayor, Cizur Menor e Esquíroz.

Essas tropas estavam irritadas porque se encontravam desmobilizadas há vários meses, proibidos de entrar em Pamplona e não recebiam salário há mais de três meses. As tropas aquarteladas em Zizur Mayor decidiram planear uma sublevação quando a 26 de agosto de 1837 receberam ordem de se dirigir para Villava, ordem essa que ignoraram e em vez disso dirigiram-se para Pamplona, onde chegaram pela Cuesta de La Reina e entraram pelo Portal Nuevo, ante a surpresa da guarda que o velava. Depois tomaram de assalto o resto das portas e baluartes e chegaram até à Taconera.

Sede do Ayuntamiento de Zizur Mayor

Economia[editar | editar código-fonte]

Grande parte dos residentes em Zizur Mayor trabalham no setor secundário, mas quase o fazem fora do município, principalmente por causa de não existir qualquer parque industrial no município e por causa da proximidade da capital, na qual existe a maior concentração industrial de Navarra. O setor de serviços tem vindo a crescer em importância, tanto pela variedade de empresas como pela percentagem de empregos que gera.

Segundo estudos do banco La Caixa, em 2006 Zizur Mayor era o município com maior rendimento per capita de toda a Espanha, estando classificado como "município 10" pela sua qualidade de vida, economia e serviços.

Monumentos[editar | editar código-fonte]

  • Igreja paroquail de Santa Maria da Esperança de Doniantzu — Encontra-se na Urbanização Zizur Mayor e foi construída em 1994.
  • Palácio de Cabo de Armería — É um edifício que se destaca pelo seu robusto torreão quadrado. O escudo heráldico original que possuía está desaparecido.
  • Túmulo de Julio Paternáin — Encontra-se no cemitério de Zizur Mayor. Julio Paternáin era um residente de Zizur que se alistou no exército e morreu durante a Guerra Civil Espanhola, em 1937, com 26 anos.

Festas populares[editar | editar código-fonte]

  • Fiestas Patronales — Usualmente com a duração de cinco dias, terminando a 14 de setembro, dia da padroeira, Santa Cruz de Ardoi. Atraem gente não só da terra como dos arredores, que acorrem para assistir às atuações noturnas de grupos de música e aos desfiles matinais dos gigantones (comparsa de gigantes). Antigamente as maiores festas realizavam-se no final de novembro em honra de Santo André, também padroeiro da localidade. Nos anos 1960 foram mudadas para o dia da padroeira.
  • Fiestas pequeñas de San Andrés — São celebradas no fim de semana mais próximo do dia de Santo André, 30 de novembro, o padroeiro da localidade. As atuações começam na sexta-feira, com uma atuação no frontón maior de todos os grupos musicais de Zizur Mayor, que incluem a banda de música municipal, a escola de música, charangas, tocadores de gaita de fole e de txistu, corais, auroro[necessário esclarecer], grupos de danças, a comparsa de gigantones, etc.
  • Natal — Entre os dias 24 de dezembro e 6 de janeiro há atividades para crianças e jovens, como concertos de música, Olentzero (24 de dezembro), cinema, peças de teatro, Cavalgada dos Reis Magos (5 de janeiro), etc.
  • Carnaval — Zizur veste-se de carnaval toda a semana. No sábado realiza-se um baile de máscaras no frontón médio. Na sexta-feira celebra-se a "La búsqueda del Mayo", a que se segue no dia seguinte a captura e a queima de Tartalo, uma figura da mitologia basca, que segundo a lenda vivia no monte próximo Erreniega (Serra do Perdão; Sierra del Perdón). Depois realiza-se uma txistorrada (a chistorra é um enchido tradicional navarro e basco).
  • Festa de São João — É celebrada durante dois dias com várias atividades, tanto para os mais pequenos como para os adultos. Na véspera de São João (noite de 23 de junho), realizam-se as fogueiras de São João e no dia seguinte a festa continua.

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Uma cendea é uma entidade autárquica própria da Cuenca de Pamplona, uma espécie de município constituído por um conjunto de "concelhos" (concejos, isto é, aldeias ou o que poderiam ser freguesias em Portugal) autónomos, geridos pelo sistema de concejo abierto, uma assembleia de cidadãos usada. Ver «Cendea» na Wikipédia em espanhol.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Zizur Mayor