Zona Militar dos Açores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Zona Militar dos Açores
Brasão da Zona Militar dos Açores.png
Brasão do ZMA
País  Portugal
Corporação Exército Português
Subordinação Força Operacional Permanente do Exército (FOPE)
Missão Defesa Nacional
Sigla ZMA
Lema Sempre Prontos
Sede
Sede Ilha de São Miguel - Açores
Quartel Ponta Delgada
Morada Avenida Infante D.Henrique
Internet Portal do Exército Português

A Zona Militar dos Açores (ZMA), sedeada em Ponta Delgada é o comando do Exército Português responsável pelo aprontamento, instrução e condução operacional das forças terrestres estacionadas no arquipélago dos Açores. Até 2006, a ZMA era considerada um comando territorial, sendo a partir daí, parte integrante da Força Operacional Permanente do Exército.

A ZMA é comandada por um Major-General, administrativamente dependente do Comando Operacional do Exército, mas operacionalmente dependente do Comando Operacional dos Açores.

História[editar | editar código-fonte]

A ZMA tem origem na 10ª Divisão Militar, criada em 1836, com quartel-general em Angra do Heroismo. Desde então, foi sucessivamente reorganizada, adoptando várias denominações:

  • 1868 - 5ª Divisão Militar;
  • 1884 - Comando Central dos Açores;
  • 1901 - Comando Militar dos Açores;
  • 1926 - Governo Militar dos Açores;
  • 1937 - Comando Militar dos Açores;
  • 1960 - Comando Territorial Independente dos Açores.

Em 1977, adoptou a actual designação.

Organização[editar | editar código-fonte]

A força operacional da ZMA é o Agrupamento de Defesa Territorial dos Açores. Este agrupamento tem como núcleo, dois Batalhões de Infantaria, uma Companhia de Morteiros Pesados e uma Bataria de Artilharia Antiáerea, organizados e mantidos pelos RG1 e RG2, reforçados por uma unidade de apoio na dependência direta do CmdZMA.

Heráldica[editar | editar código-fonte]

Praça de Armas do Regimento de Guarnição nº 1.

Armas[editar | editar código-fonte]

  • Escudo de prata, sete burelas ondeadas de verde; um escudete de verde perfilado de ouro carregado de três açores estendidos de ouro; bordadura diminuída de vermelho;
  • Elmo militar, de prata, forrado de vermelho, a três quartos para dextra;
  • Correia de vermelho perfilada de ouro;
  • Paquife e virol de prata e de verde;
  • Timbre: duas garras dianteiras de leão de ouro; passadas em aspa, erguendo o escudete do escudo;
  • Divisa: num listel de branco, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de negro, maiúsculas, de estilo elzevir "SEMPRE PRONTOS".

Simbologia e Alusão das Peças[editar | editar código-fonte]

  • As BURELAS ONDADAS simbolizam o Oceano Atlântico, do qual emerge o Arquipélago dos Açores;
  • O ESCUDETE simboliza o carácter militar do mesmo arquipélago, e os três AÇORES aludem, de um modo falante, aos três grupos de ilhas que constituem o dito arquipélago;
  • A BORDADURA diminuída de vermelho simboliza uma Zona Militar;
  • AS GARRAS dianteiras do leão erguendo o escudete simbolizam os braços do soldado português defendendo o Arquipélago dos Açores.

Esmaltes[editar | editar código-fonte]

  • OURO: nobreza e pureza;
  • PRATA: riqueza e eloquência;
  • VERMELHO: ardor bélico e força;
  • VERDE: esperança e liberdade.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]