Ácido cloroáurico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido (desde março de 2008). Ajude e colabore com a tradução.
Ácido cloroáurico
Alerta sobre risco à saúde
ChloroauricAcid.svg
Outros nomes ácido tetracloroáurico
tetracloro aurato(III) de hidrogênio
tetracloro aurato
Identificadores
Número CAS 16903-35-8
Propriedades
Fórmula molecular HAuCl4
Massa molar 339,79 g/mol (forma anidra)
411,85 g/mol (tri-hidrato)
Aparência cristais amarelo ouro
higroscópico
Densidade 3,9 g/cm3 (tri-hidrato)
Solubilidade em água solúvel em água
Solubilidade solúvel em álcool, éter
Riscos associados
Principais riscos
associados
Hazard C.svg
Corrosivo
C
Frases R 34​‐​43
Frases S 26​‐​36/37/39​‐​45
Compostos relacionados
Compostos relacionados ácido cloroplatínico
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Ácido cloroáurico é o composto fórmula química HAuCl4. Ele é normalmente usado como fonte de ouro (Au) em experiências quimicas. O ácido cloroáurico é produto formado ao dissolver ouro em água régia, por exemplo, ao retirar ouro de componentes eletrônicas. O mesmo nome é usado para a forma anidra e para a forma tri-hidratada.

Obtenção e síntese[editar | editar código-fonte]

A maneira mais convencional e trivial de se obter o ácido cloroáurico é a dissolução de ouro elementar em água régia (uma mistura de três partes de ácido clorídrico para uma parte de ácido nítrico):[1]

\mathrm{2\ Au + 2\ NOCl + 3\ Cl_2 + 2\ HNO_3 \rightarrow} \mathrm{2\ HAuCl_4 + 4\ NO_2}


Uma outra possibilidade é a reação entre cloreto áurico e ácido clorídrico:[1]

\mathrm{AuCl_3 + HCl \longrightarrow HAuCl_4}

Propriedades[editar | editar código-fonte]

Propriedades físicas[editar | editar código-fonte]

Propriedades químicas[editar | editar código-fonte]

Reações[editar | editar código-fonte]

O tratamento alcalino do ácido cloroáurico, com uma base padrão, resulta na produção de sal metálico de tetracloro-ouro e água. O respectivo sal de tálio possui solubilidade baixa na maioria dos solventes. A combinação com amônio (sal quaternário de amônio) também é conhecida.[2] Outros sais de forma complexa são: [Au(bi-pir)Cl2][AuCl4][3] e [Co(NH3)6][AuCl4]Cl2.

A redução parcial do ácido produz dicloroaurato(I), [AuCl2]- (oxônio como contra-ião).[4] <--- (Ref. ERRADA??) Através de redução podem também ser produzidos outris compostos de coordenação do ouro(I), especiamente utilizando-se ligantes orgânicos. Frequentemente o próprio ligante serve como agente redutor, como é no caso da tioureia, (H2N)CS:

\mathrm{AuCl^{-}_4 + 4 (H_2N)_2CS + H_2O \longrightarrow Au[(H_2N)_2CS]^{+}_2 + (H_2N)_2CO + S + 2 Cl^{-} + 2 HCl}


O ácido cloroáurico é o composto percursor na preparação de nanopartículas de ouro. Para precipitação destas agentes redutores, como por exemplo o tiosulfato (Na2S2O3), são usados.[5]

O aquecimento da forma hidratada (HAuCl4n H2O) em uma corrente de gás cloro resulta em cloreto áurico (o cloreto de ouro (III), Au2Cl6).[6]

Anedota histórica[editar | editar código-fonte]

Durante a Segunda Grande Guerra, o químico húngaro residente na Dinamarca, George de Hevesy, laureado com o Prémio Nobel no ano de 1943, decidiu literalmente transformar as medalahas de pelo menos dois, também laureados, colegas (Max von Laue e James Franck) em ácido cloroáurico, dissolvendo-as em água régia, para escondê-las dos nazistas. E assim o fez, quando Copenhagen acabara de ser invadida. Após a guerra, o ouro foi recuperado e a Fundação Nobel generosamente refez as medalhas.[7]

Referências

  1. a b "Gold-Verbindungen". RÖMPP-Online (em alemão). Consult. 28 de novembro de 2014. 
  2. Makotchenko; Kokovkin. (setembro 2010). "Solid contact [AuCl4]-selective electrode and its application for evaluation of gold(III) in solutions" (em en). Russian Journal of General Chemistry 80 (9): 1733-1737. DOI:10.1134/S1070363210090021. ISSN 1070-3632.
  3. Mironov, Tsvelodub. L. D.; "Equilibria of the substitution of pyridine, 2,2'-Bipyridyl, and 1,10-Phenanthroline for Cl in AuCl4 in aqueous solution", Russian Journal of Inorganic Chemistry. 2001, vol. 46, p. 143–148.
  4. Huang, Xiaohua; Peng, Xianghong; Wang, Yiqing; Yuxiang, Wang; Shin, Dong M.; El-Sayed, Mostafa A.; Nie, Shuming (26 October 2010). "A reexamination of active and passive tumor targeting by using rod-shaped gold nanocrystals and covalently conjugated peptide ligands". ACS Nano ACS Publications [S.l.] 4 (10): 5887–5896. doi:10.1021/nn102055s. 
  5. Zhang et al.. (2012). "Tunability and stability of gold nanoparticles obtained from chloroauric acid and sodium thiosulfate reaction". Nanoscale Research Letters 7: 337. DOI:10.1186/1556-276X-7-337.
  6. Mellor J. W. A comprehensive treatise on inorganic and theoretical chemistry. Vol. 3. 1946. p. 593.
  7. Lemmel, Birgitta (11/03/1998). "The Nobel Medals and the Medal for the Prize in Economic Sciences". Consult. 28 de novembro de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]