África Latina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
África Latina

A África Latina é composta de estados e regiões da África influenciados pela cultura latina, particularmente no nível linguístico. O termo faz referência as colônias da Europa Latina que importaram sua língua para essas regiões, seja oficialmente ou culturalmente. Tendo esses países europeus liderado um império colonial durante séculos anteriores (impérios coloniais franceses, portugueses, espanhóis, belgas e italianos), a África é hoje o terceiro continente com o maior número de falantes de línguas românicas no mundo (após a Europa e as Américas).

História[editar | editar código-fonte]

África Latina, historicamente os países do Norte de África, de Marrocos ao Egipto, que faziam parte do Império Romano. Alguns excluem Egito, pois a língua dominante da administração e negócios era grega, em vez de latim. A região entre a Tunísia e Marrocos foi mais tarde chamado o Magrebe (Oeste) pelos árabes, que ele conquistou no sétimo século.

Atualmente, a expressão é usada para se referir a esses países africanos que são membros da Organização Internacional da Francofonia (OIF) e Organização Internacional de Francofonia e os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) cujas línguas oficiais são ou francês, português ou espanhol, ou têm uma população significativa que fale um destes idiomas.

Nem todos os países da África latina são membros da União Latina.

Países africanos sub-saarianos onde francês ou africano-francês é falado África francófona. Os países coloridos azul escuro tinha uma população de 321 milhões em 2007. Sua população está prevista para atingir 733 milhões em 2050.

Países africanos em Português Africano.

Sub-saariana Africano, países onde se fala espanhol

Na África do Norte, existem países onde Magrebe francês ou espanhol são falados.

Algumas populações na Eritreia, Etiópia, Líbia, Somália conservam o italiano, outra língua românica.

Ver também[editar | editar código-fonte]