Água de Beber

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Água de beber)

"Agua de Beber" é uma canção do movimento chamado Bossa nova, composta por Antonio Carlos Jobim, com letra de Vinicius de Moraes. A versão em inglês foi escrita por Norman Gimbel.

Histórias sobre a música[editar | editar código-fonte]

"Um dos engenheiros que ajudaram na construção de Brasília, Kléber Farias, relatou que em 1959, época da construção da nova capital do Brasil, Juscelino Kubitschek, o presidente do país, convidou Tom Jobim e Vinicius de Moraes para passar uma temporada no Catetinho (palácio provisório, feito de madeira) para compor uma sinfonia que deveria ser executada no dia da inauguração de Brasília. Numa noite qualquer, Vinicius e Tom caminhavam perto do Palácio de Madeira, quando ouviram o barulho de água atrás do Catetinho, e perguntaram para o vigia, “mas que barulho de água é esse aqui?"."Você não sabe não? É aqui que tem água de beber, camará." Assim conheceram a fonte de água e de inspiração para a primeira música composta em Brasília."[1]

Esse engenheiro, Kleber Farias Pinto, "foi um dos primeiros a ouvir a música, cantada por Tom e Vinícius no único hotel da cidade horas depois de compô-la. Para mostrar que a história é verdadeira, guarda até hoje uma declaração escrita do próprio Tom Jobim."[2]

Vale destacar que na época da construção de Brasília, o termo "camarada" era muito usado pelos empregados/serviçais do local ao dirigirem a palavra aos engenheiros, artistas que frequentavam o lugar e ao próprio Presidente Juscelino Kubitschek.

Como a maioria das pessoas que prestavam serviços no Catetinho tinham suas origens em Minas Gerais - e se sabe que o povo mineiro é famoso por adaptar as palavras cortando-as (aquele "jeitin" mineiro de falar) - esses passaram a chamar os frequentadores da primeira residência oficial da capital em construção de "CAMARÁ".

E assim, a expressão dita pelo vigia, possivelmente de origem mineira, foi percebida rapidamente por Tom Jobim, que citou a Vinicius, passando a integrar a canção.

Há ainda a entrevista dada por João Bosco, que afirma que numa conversa com Tom Jobim sobre a admiração que tinha sobre essa música e a frase do título e da inspiração deles, ele disse: "É, mas você tem que tomar cuidado porque não é a que vocês bebem. A água é a aquavit [ou akvavit], uma aguardente da Dinamarca, Noruega... à base de batata e ervas, uma bebida particular”, disse o músico.[3]

Referências

Gravações[editar | editar código-fonte]