Álida Grubba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Álida Grubba Rudge
Nome completo Álida Victoria Grubba Rudge
Conhecido(a) por Segundo brasileiro supercentenário[nota 1]
Nascimento 10 de julho de 1903
Jaraguá do Sul, Santa Catarina, Brasil
Morte 23 de dezembro de 2016 (113 anos)
Jaraguá do Sul, Santa Catarina, Brasil
Nacionalidade brasileira
Progenitores Mãe: Maria Elisabetta Moser
Pai: Bernardo Grubba
Parentesco Irmãos: Waldemar Grubba e outros.
Cônjuge Manuel Rudge
Filho(s) Adhemar Rudge

Álida Victoria Grubba Rudge (Jaraguá do Sul, 10 de julho de 1903Jaraguá do Sul, 23 de dezembro de 2016) foi uma supercentenária brasileira que, chegou a ser a pessoa viva mais longeva do Brasil e da América do Sul. Ela foi a segunda supercentenária do Brasil depois de Maria Gomes Valentim (1896-2011).[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Álida Victoria Grubba nasceu em Jaraguá do Sul, no estado de Santa Catarina, no dia 10 de julho de 1903[2], sendo a segunda filha na prole de sete filhos de Bernhardt "Bernardo" Grubba, nascido na extinta Prússia de origem étnica polaca, e de Maria Elisabetta Moser, nascida em Blumenau, filha de um imigrante tirolês de língua italiana.[3] Em 1905, o pai construiu sua casa de família em Jaraguá do Sul, e ali criou seus filhos já nascidos e os outros filhos que nasceram nesta casa. Álida viveu nessa casa toda a sua infância e adolescência. Nessa mesma grande casa, ocorreu a sua festa de casamento com Manuel Rudge. Aos 22 anos deu à luz um filho, Adhemar Rudge, nascido em 25 de Junho de 1926. Em 1953, seu marido morreu deixando-a viúva aos 50 anos. Seu filho seguiu a carreira militar, chegando a patente de coronel do Exército Brasileiro, onde exerceu boa parte da sua vida profissional, reformou-se e em 2012 residia na cidade de São Paulo.

Em 2012, devido à idade avançada, Álida tornou-se incapaz de andar. Em seu 111.º aniversário foi mencionado que ela toma medicação diária contra o colesterol, anemia, diabetes e pressão arterial elevada.

Morreu em 23 de dezembro de 2016, aos 113 anos e 166 dias.[4]

Precedido por
Maria Gomes Valentim
Decana do Brasil
21 de junho de 2011 - 23 de dezembro de 2016
Sucedido por
Luzia Mohrs

Notas

Referências

  1. «Jaraguaense Álida Grubba está prestes a integrar lista oficial de supercentenários». Consultado em 15 de maio de 2016. 
  2. Registro civil de Jaraguá do Sul (15 de agosto de 1903). «Assento de nascimento (nº. 399, página 147)». Consultado em 15 de maio de 2016. 
  3. «Família Moser». Consultado em 15 de maio de 2016. 
  4. «Morre a pessoa mais velha da América do Sul». Rádio RBN. 23 de dezembro de 2016. Consultado em 23 de dezembro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • A Notícia, 9 de julho de 2011[1]
  • OCP on-line 10 de julho de 2014[2]
  • «Mulher mais velha de Jaraguá do Sul completa 108 anos». A Notícia. Consultado em 23 de fevereiro de 2016. 
  • «Mulher mais idosa de Jaraguá do Sul completa 111 anos hoje». OCP Online. 10 de julho de 2014. Consultado em 23 de fevereiro de 2016.